História, trabalho e educação: relações de produção e qualificação da força de trabalho na agroindústria canavieira

Autores

  • Manoel Nelito Matheus Nascimento Universidade Federal de São Carlos

DOI:

https://doi.org/10.20396/rho.v10i38e.8639763

Palavras-chave:

História da educação. Trabalho. Educação. Educação profissional. Agroindústria canavieira

Resumo

Este estudo analisa as transformações na produção e as relações com os processos educativosgerais e de formação da força de trabalho, tendo por base a agroindústria canavieira. A análiseestá dividia em fases: a primeira abrange o período que vai do século XVI ao XIX. A lavourada cana-de-açúcar e a produção do açúcar no engenho se realizavam com o trabalho escravo. Ainstrução escolarizada interessava apenas a uma pequena camada da elite. A segunda fase, atransição da produção no engenho para a usina, nas últimas décadas do século XIX, emprocesso concomitante à transição do trabalho escravo para o trabalho livre assalariado. Aeducação cumpria o papel estratégico de formadora do novo trabalhador. A terceira faseanalisa a expansão acelerada da industrialização no processo de substituição de importação demercadorias, a partir da década de 1930, momento em que surgiu a grande indústria brasileira ehouve uma crescente absorção de grandes contingentes de operários qualificados. A educaçãogeral e a educação técnica profissional passam a funcionar em redes. A quarta fase aborda areestruturação da produção com ênfase na automação (robotização) dos processos produtivos,com mudanças radicais para o trabalho e a formação profissional. Conclui-se que astransformações nas formas de organização da produção e no trabalho engendram novosprocessos educativos, que se transformam à medida que o capitalismo avança, mudando asrelações de produção e ampliando a divisão do trabalho.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Manoel Nelito Matheus Nascimento, Universidade Federal de São Carlos

Doutor em Educação pela Faculdade de Educação da UNICAMP e professor do Departamento de Educação da Universidade Federal de São Carlos-UFSCar.

Referências

ANTUNES, R. Trabalho e superfluidade. In: LOMBARDI, J. C.; SAVIANI, D.; SANFELICE, J.L. (Orgs.). Capitalismo, trabalho e educação. 2 ed. Campinas: Autores Associados / HISTEDBR, 2004, p. 35 - 44

ANTUNES, R. Os sentidos do trabalho: ensaio sobre a afirmação e a negação do trabalho São Paulo: Boitempo, 2000.

ANTUNES, R. Adeus ao trabalho? Ensaio sobre as metamorfoses e a centralidade do mundo do trabalho São Paulo: Cortez/Unicamp, 1997.

KUENZER, A. Z.. O ensino médio agora é para a vida: entre o pretendido, o dito e o feito. Educação e Sociedade. Campinas: Cedes, ano XXI, n.70, abril 2000. p. 15-39.

MARX, K. O Método da Economia Política. In.: MARX, K. Manuscritos econômico-filosóficos e outros textos escolhidos. São Paulo : Abril Cultural, 1974b.

MARX, K. O capital: crítica da economia política. Coordenação e revisão de Paul Singer. Tradução de Regis Barbosa e Flávio R.Kothe. São Paulo: Nova Cultural, 1996. (Os Economistas).

MARX, K. ; ENGELS, F. A ideologia alemã (Feuerbach). 6. ed. São Paulo: Hucitec, 1987

RIBEIRO, M. A. R.. Qualificação de Forca de Trabalho: A Experiência das Escolas Profissionais do Estado de São Paulo 1911/1942 In: RIBEIRO, Maria Alice Rosa (Org.). Trabalhadores Urbanos e Ensino Profissional. 2 ed., Campinas: Editora da UNICAMP, 1986

SAVIANI, D. Transformações do capitalismo, do mundo do trabalho e da educação. In: LOMBARDI, J. C.; SAVIANI, D.; SANFELICE, J.L. (Orgs.). Capitalismo, trabalho e educação. 2 ed. Campinas: Autores Associados / HISTEDBR, 2004, p. 13 - 24

SAVIANI, D. O trabalho como princípio educativo frente às novas tecnologias, In: FERRETTI, C. J.; et al (Orgs.) Novas tecnologias, trabalho e educação: um debate multidisciplinar. Ed. 6. Petrópolis, RJ: Vozes, 2000

Downloads

Como Citar

NASCIMENTO, M. N. M. História, trabalho e educação: relações de produção e qualificação da força de trabalho na agroindústria canavieira. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, SP, v. 10, n. 38e, p. 273–282, 2012. DOI: 10.20396/rho.v10i38e.8639763. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8639763. Acesso em: 11 ago. 2022.

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 > >>