Repercussões da acumulação flexível no campo educacional: o professor temporário em questão

Autores

  • Renata de Almeida Vieira UEPG
  • Lizete Shizue Bomura Maciel UEM

DOI:

https://doi.org/10.20396/rho.v11i41e.8639902

Palavras-chave:

Docência Temporária. Ensino Superior. Trabalho e Educação

Resumo

Este artigo tem como objetivo analisar o fenômeno docência temporária no ensino superior público e gratuito brasileiro. Para tanto, desenvolve uma pesquisa bibliográfica aliada a um estudo de campo, realizado por meio de questionário aberto. Sustentada em pressupostos teórico-metodológicos do materialismo histórico, a presente análise intenta apreender a relação entre reestruturação produtiva, flexibilização dos contratos de trabalho e precarização do trabalho docente. Com isso, busca evidenciar que a vinculação precária do professor do ensino superior é acionada no processo mais amplo de flexibilização dos vínculos empregatícios. O estudo conclui que a precarização das condições de trabalho do professor, em especial do professor temporário, e, por conseguinte, de sua própria atividade, segue a mesma direção das tendências que têm caracterizado o mundo do trabalho, logo revela o que se passa no conjunto social.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Renata de Almeida Vieira, UEPG

Professora da Universidade Estadual de Ponta Grossa – UEPG.

Lizete Shizue Bomura Maciel, UEM

Professora da Universidade Estadual de Maringá – UEM.

Referências

ANTUNES, Ricardo: Adeus ao trabalho? Ensaio sobre as metamorfoses e a centralidade do mundo do trabalho. 3. ed. São Paulo, Cortez; Campinas, Ed. da Unicamp, 1995.

BASSO, Itacy Salgado: As condições subjetivas e objetivas do trabalho docente: um estudo a partir do ensino de história. 148 f. 1994. Tese (Doutrado em Educação)- Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 1994.

DOURADO, Luis Ferreira: Reforma do Estado e as políticas para a educação superior nos anos 90. Educação e Sociedade, Campinas, v. 23, n. 80, p. 235-253, set. 2002.

HARVEY, David: Condição pós-moderna: uma pesquisa sobre as origens da mudança cultural. São Paulo, Loyola, 1992.

MANCEBO, Deise; Franco, Maria Estela Dal Pai: Trabalho docente: uma análise das práticas intelectuais em tempos de globalização. In: Dourado, Luiz F.; Catani, Afrânio M.; Oliveira, João F. de (Org.): Políticas e gestão da educação superior: transformações recentes e debates atuais. São Paulo, Xamã; Goiânia, Alternativa, 2003. p. 191-204.

MARX, Karl: O capital: crítica da economia política. 18. ed. Rio de Janeiro, Civilização Brasileira, 2001. l. 1, v. 1.

SILVA, Solonildo Almeida: O caminho lato sensu da precarização do trabalho docente universitário na UECE. Dissertação (Mestrado). 104 f. 2005. Curso de Mestrado em Políticas Públicas e Sociedade do Centro de Humanidades e Centro de Estudos Sociais Aplicados da Universidade Estadual do Ceará, 2005.

TONET, Ivo: Universidade pública: o sentido da nossa luta. In: TONET, Ivo. Educação contra o capital. Maceió, EDUFAL, 2007. p. 87-93.

TRIVIÑOS, Augusto N. S.: Introdução à pesquisa em ciências sociais: a pesquisa qualitativa em educação. São Paulo, Atlas, 1987.

TUMOLO, Paulo Sergio: Da contestação à conformação: a formação sindical da CUT e a reestruturação produtiva capitalista. Campinas, Ed. da Unicamp, 2002.

Downloads

Como Citar

VIEIRA, R. de A.; MACIEL, L. S. B. Repercussões da acumulação flexível no campo educacional: o professor temporário em questão. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, SP, v. 11, n. 41e, p. 156–169, 2012. DOI: 10.20396/rho.v11i41e.8639902. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8639902. Acesso em: 20 maio. 2022.

Edição

Seção

Artigos