Banner Portal
Cândido Firmino de Mello Leitão e o ensino de história natural na década de 1930: um intelectual a serviço da escola
PDF

Palavras-chave

História das disciplinas escolares. História da disciplina escolar História Natural. Cândido Firmino de Mello Leitão. Intelectuais

Como Citar

SPIGUEL, Juliana; SELLES, Sandra Escovedo. Cândido Firmino de Mello Leitão e o ensino de história natural na década de 1930: um intelectual a serviço da escola. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, SP, v. 13, n. 53, p. 115–132, 2014. DOI: 10.20396/rho.v13i53.8640196. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8640196. Acesso em: 16 abr. 2024.

Resumo

O artigo discute a atuação do intelectual Cândido Firmino de Mello Leitão no âmbito do ensino da disciplina escolar História Natural na década de 1930, dialogando teoricamente com os estudos da história do currículo.  Mello Leitão notabilizou-se no cenário científico-educacional nas primeiras décadas do século passado, tendo atuado como docente de renomadas instituições. Foi pesquisador do Museu Nacional do Rio de Janeiro, membro de várias associações educacionais e científicas e autor de diversos livros, especialmente compêndios didáticos. A pesquisa da qual o artigo se origina tomou como principal fonte empírica uma coleção didática publicada entre os anos de 1933 e 1935 pela Companhia Editora Nacional.  A análise realizada permitiu compreender algumas das concepções de Mello Leitão para o ensino da disciplina escolar História Natural.  Defendendo um ensino mais prático e experimental, parece ir contra um trabalho com a disciplina História Natural assentada em tradições unicamente mnemônicas, ao mesmo tempo em que expressa sua intenção de traçar novos caminhos para esta disciplina escolar. Argumentamos que a produção didática desse intelectual é parte da defesa que faz tanto para a educação quanto para seu ideal de nação.

https://doi.org/10.20396/rho.v13i53.8640196
PDF

Referências

BAUMAN, Zigmunt. Legislators and Interpreters: on modernity, post-modernity and intellectuals. Nova Iorque: Cornell University Press, 1987.

BITTENCOURT, Circe Maria Fernandes. Autores e editores de compêndios e livros de leitura. Educação e Pesquisa, v. 30, São Paulo, n. 3, set./dec. 2004, p. 475-491.

BITTENCOURT, Circe Maria Fernandes. Livro didático e saber escolar (1810-1910). Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2008.

BURKE, Peter. A arte da Conversação. São Paulo: Unesp, 1995.

CID, Maria Rosa Lopez. Miranda Ribeiro: Um zoólogo evolucionista nos primeiros anos da República (1894-1938). Tese de Doutorado. Rio de Janeiro: Fundação Oswaldo Cruz. Casa de Oswaldo Cruz, 2009.

DUARTE, Regina Horta. Biologia e sociedade no Brasil dos anos 1930: práticas de escrita e divulgação científica de Cândido de Mello Leitão. In: FIGUEIREDO, Betânia & CONDÉ, Mauro Lucio (orgs.). Ciência, História e Teoria. Belo Horizonte: Argumentvum, 2005.

DUARTE, Regina Horta. Biologia, natureza e República no Brasil nos escritos de Mello Leitão (1922-1945). Revista Brasileira de História, v. 29, p. 317-340, 2009.

DUARTE, Regina Horta. Coleções de aranhas, redes científicas e política: a teia da vida de Cândido de Mello Leitão (1886-1948). Bol. Mus. Para. Emilio Goeldi. Cien. Hum., Belém, v.05, n 02, p. 417-433, mai-ago, 2010a.

DUARTE, Regina Horta. A Biologia militante: o Museu Nacional, especialização científica, divulgação do conhecimento e práticas políticas no Brasil -1926-1945. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2010b.

GOODSON, Ivor. Currículo: Teoria e História. Petrópolis: Vozes, 1995.

GOODSON, Ivor. A Construção Social do Currículo. Lisboa: EDUCA.Currículo, 1997.

JULIÁ, Dominique. Disciplinas Escolares: objetivos, ensino e apropriação. In: Disciplinas: Disciplinas. In: LOPES, Alice Casemiro & MACEDO, Elisabeth (Orgs.) Disciplinas e integração curricular: história e políticas. Rio de Janeiro: DP & A, 2002.

KOPTCKE, Luciana Sepúlveda; LOPES, Maria Margaret e PEREIRA, Marcelle. A construção da relação Museu-Escola no Rio de Janeiro entre 1832 e o final dos anos 1927. Análise das formas de colaboração entre o Museu Nacional e as instituições de educação formal. In: Anais do XXXIV Simpósio Nacional de História. São Leopoldo: Unisinos, 2007.

LOPES, Maria Margaret. O Brasil descobre a pesquisa científica: os museus e as ciências naturais no século XIX. São Paulo: Hucitec, 1997.

LOPES, Alice Casimiro. Currículo e Epistemiologia. Injuí: Ed. Injuí, 2007.

LOPES, Alice Casimiro. Políticas de integração curricular. Rio de Janeiro: EDUERJ, 2008.

LOPES, Sonia de Castro. Imagens de um lugar de memória da Educação Nova: Instituto de Educação do Rio de Janeiro nos anos de 1930. Revista Brasileira de Educação. Vol.13, n.37, pp. 84-97, 2008.

LORENZ, Karl. Os livros didáticos e o ensino de ciências na escola secundária brasileira no século XIX. Ciência e Cultura. Vol 38, n. 3, p.426-435, 1986.

MACEDO, Elisabeth e LOPES, Alice Casimiro. A estabilidade do currículo disciplinar: o caso das ciências. In: Alice Casimiro Lopes; Elisabeth Macedo (Orgs.). Disciplina e integração curricular: história e políticas. Rio de Janeiro: DP&A, 2002. p. 73-94.

MARANDINO, Martha; SELLES, Sandra Escovedo; FERREIRA, Marcia Serra. Ensino de Biologia: histórias e práticas em diferentes espaços educativos. São Paulo: Cortez, 2009.

MOREL, Marco. As transformações dos espaços públicos: imprensa, atores políticos e sociabilidades nas cidades imperiais (1820-1840). São Paulo: Hucitec, 2005.

NUNES, Clarice. Modernidade pedagógica e política educacional: a gestão de Anísio Teixeira na Secretaria Municipal de Educação da cidade do Rio de Janeiro (1931-1935). In: MIGUEL, Maria Elisabeth B.; VIDAL, Diana Gonçalves e ARAUJO, José Carlos de S. (Orgs.) Reformas Educacionais: As manifestações da Escola Nova no Brasil (1920 a 1946) Campinas, SP: Autores Associados; Uberlândia, MG: EDUFU, 2011.

PIMENTEL, Fabio. O Rádio Educativo no Brasil. Rio de Janeiro: Soarmec Editora, 1999.

SÁ, Dominique Miranda de. A ciência como profissão: médicos, bacharéis e cientistas no Brasil (1895-1935). Fiocruz, 2006.

SANTOS, Maria Cristina Ferreira e SELLES, Sandra Escovedo. Os cientistas do Museu Nacional e suas ideias sobre o Ensino de Ciências e História Natural nas páginas da Revista Nacional de Educação. In: Selles, Sandra Escovedo e Cassab, Mariana. (Org.). Currículo, docência e cultura. 1ed. Niterói: Editora da UFF, 2012, v. 01 , p. 75-98.

SANTOS, Maria Cristina. A Biologia de Candido de Mello Leitão e a História Natural de Waldemiro Alves Potsch: Professores autores e livros didáticos - conhecimento e poder em disputa na constituição da Biologia escolar (1931 - 1951). Tese (Doutorado). Niterói: Faculdade de Educação/UFF, 2013.

SIRINELLI, Jean-François. Os intelectuais. René Rémond (org.) Por uma História Política. 2a ed. Rio de Janeiro: FGV, 2003, p. 231- 269.

VIDAL, Diana Gonçalves. O exercício disciplinado do olhar: livros, leituras e práticas de formação docente do Instituto de Educação do Distrito Federal (1932-1937). Bragança Paulista: Editora da Universidade São Francisco, 2001.

Revista HISTEDBR On-line utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto.

Downloads

Não há dados estatísticos.