Professora Marta Bezerra de Medeiros: a profissão docente na primeira metade do século XX (1915-1954)

Autores

  • Maria Elizete Guimarães Carvalho Universidade Federal da Paraíba

DOI:

https://doi.org/10.20396/rho.v13i53.8640205

Palavras-chave:

História de vida professoral. Profissão docente. Contexto histórico

Resumo

Este artigo apresenta reflexões sobre a história de vida da Professora Marta Bezerra de Medeiros, a partir dos resultados do Projeto de Iniciação Científica denominado Professora Marta Bezerra de Medeiros: a profissão docente na primeira metade do século XX (1915 – 1954), desenvolvido no período de agosto/2011 a julho/2012, na Universidade Federal da Paraíba. A pesquisa teve como objetivo geral contribuir para compreensão da profissão docente, para as questões que marcam a crise professoral atualmente, investigando a história de vida da Professora, sua ação pedagógica, sua postura no exercício professoral, assim como as relações profissionais, sociais, afetivas e culturais desenvolvidas na primeira metade do século XX. A metodologia trabalhou com os procedimentos da história oral articulados ao diálogo com fontes escritas e iconográficas. A pesquisa biográfica inseriu-se nesse contexto investigativo como instrumento elucidador, alicerçando o trabalho com os estudos de Passegi (2010), Delory-Momberger (2008), Esteve (1999), Nóvoa (1999), entre outros. A configuração do ser professora não ocorre de forma isolada de suas condições históricas. Nesse sentido, o trabalho da Professora Marta foi modelado pelas condições históricas de seu tempo, mas por outro lado ressignificou a prática professoral da sociedade ainda patriarcal e conservadora das primeiras décadas da República.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Elizete Guimarães Carvalho, Universidade Federal da Paraíba

Doutora em Educação, UFRN, Pós-Doutoranda em Políticas Públicas, UMINHO/PT. Professora da Universidade Federal da Paraíba, Centro de Educação, Departamento de Educação,  credenciada aos Programas de Pós-Graduação em Educação, linha História da Educação, e Direitos Humanos, linha Políticas Públicas em Educação em Direitos Humanos. pesquisadora do Grupo de Estudos e Pesquisas  História da Educação da Paraíba – HISTEDBR/GT - PB.

Referências

AUGUSTA, Carolina. Carta de 1945. Lajes, 1945. (manuscrita).

CAMBI, Franco. História da pedagogia. São Paulo: UNESP, 1999.

CARVALHO, Maria Elizete Guimarães. Professora Marta Bezerra de Medeiros: a profissão docente na primeira metade do século XX (1915-1954)/História de vida professoral. UFPB: João Pessoa, 2011.

CARVALHO, Maria Elizete Guimarães. Marta Bezerra de Medeiros: vivências e práticas educativas de uma professora na primeira metade do século XX (1915-1954). In: SEMINÁRIO NACIONAL DE GÊNEROS E PRÁTICAS CULTURAIS. 2009, João Pessoa. Anais ... João Pessoa: Universidade Federal da Paraíba, 2009.

CERTIDÃO de casamento. Lajes, 1952.

DELORY-MOMBERGER, C. Biografia e educação: figuras do indivíduo-projeto. Tradução de Maria da Conceição Passegi, João Gomes da Silva Neto, Luís Passegi. Natal,RN; São Paulo: Paulus, 2008.

ESQUISANI, Rosimar S; WERLE, Flávia O. C. Ser professora: um estilo de vida pontuado pela formação. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, n. 38, p. 104-115, jun. 2010.

ESTEVE, José. Mudanças sociais e mudanças na educação: da educação de elite à educação de massa. In: NÓVOA, A. (Org.). Profissão professor. Porto: Porto Editora. 1999. p. 95-108.

FARIAS, Isabel Maria S. Do individualismo à colaboração: desafio à formação docente na contemporaneidade. In: MERCADO, Luís Paulo L; CAVALCANTE, Maria Auxiliadora da S. (Orgs.). Formação do pesquisador em educação: profissionalização docente, políticas públicas, trabalho e pesquisa. Maceió: EDUFAL, 2007.

GHIRALDELLI, Paulo JR. História da educação brasileira. São Paulo: Cortez. 2006.

GESTO louvável. Pedagogium: Ógão Oficial da Associação de Professores, Natal, a. 28, nov.-dez., p. 41, 1948.

GOMES, Fernando de Oliveira; SOUZA, Daniela Beltrão. Formação docente e a feminização no magistério: uma abordagem histórica. Disponivel em: http://www.educacao.uerj.br/SemanaEducacao2008/Trabalhos/arq219.pdf. Acesso 15/05/2012.

IMBERNÓN, Francisco. Formação docente e profissionalização: formar-se para a mudança e a incerteza. 3. ed. São Paulo, Cortez, 2002.

LOURO, Guacira Lopes. Mulheres na sala de aula. In: DEL PRIORE, Mary. História das mulheres no Brasil. 9. ed, São Paulo: Contexto, 2008.

MEDEIROS, Luiz Gonzaga B. História da educação no Rio Grande do Norte: a contribuição das professoras Ericina Bandeira Fernandes, Marta Bezerra Cunha (Bezerra de Medeiros), e Luzia Bandeira do Nascimento na educação e na cultura das cidades de Lajes, Caiçara do Rio dos Ventos e Pedra Preta de 1928 a 1974. In: MEDEIROS, Luiz G. B;

QUEIROGA, Maria do S. N; CARVALHO, Maria E. G; (Orgs). Educação e direitos humanos: interfaces. João Pessoa: Editora Universitária da UFPB, 2012a. p. 123 a 144.

MEDEIROS, Luiz G. B. Entrevista sobre a professora Marta Bezerra de Medeiros. Natal, 12 Mar. 2012b.

MEDEIROS, Luiz G. B. Entrevista sobre a professora Marta Bezerra de Medeiros. Natal, 15 Abr. 2012c.

NAGLE. Jorge. Educação e sociedade na Primeira República. Rio de Janeiro: TD&A, 2001.

NÓVOA, António. Histórias de vida: perspectivas metodológicas. In: NÓVOA, António (Org.). Vidas de professores. 2. ed. Porto, PT: Editora Porto, 1995a.

NÓVOA, António (Org.). Vidas de professores. 2.ed, Porto, PT: Editora Porto, 1995b.

NÓVOA, António. Os professores e as suas histórias de vida. In: NÓVOA, António (Org.). Vidas de professores. 2. ed. Porto, PT: Editora Porto, 1999.

NÓVOA, António. (Org.). Profissão professor. 2. Porto, PT: Editora Porto, 1999.

NÓVOA, António. Desafios do trabalho do professor no mundo contemporâneo. Disponível em: www.sinprosp.org.br. Acesso em: 16 dez. 2010.

NUNES, Cely do Socorro C. Profissionalização e cultura docente: limites e possibilidades na formação de professores. In: MERCADO, Luís P. L; CAVALCANTE, Maria Auxiliadora da S. (Orgs.). Formação do pesquisador em educação: profissionalização docente, políticas públicas, trabalho e pesquisa. Maceió: EDUFAL, 2007.

PASSEGGI, Maria da Conceição. Narrar é humano! Autobiografar é um processo civilizatório. In: PASSAGGI, Maria da C; SILVA, Vívian B. (Org.) Invenções de vidas, compreensão de itinerários e alternativas de formação. São Paulo: Cultura Acadêmica, 2010.

PINHEIRO, Antonio Carlos Ferreira. Da era das cadeiras isoladas à era dos grupos escolares na Paraíba. Campinas, SP: Autores Associados, São Paulo: Universidade São Francisco, 2002.

RIBEIRO, Maria Luisa Santos. História da educação brasileira: a organização escolar. 20 ed. Campinas, SP: Autores Associados, 2006.

ROMANELLI, Otaíza de O. História da educação no Brasil. 6. ed, Petrópolis, RJ: Vozes, 1978.

SOUZA, Rosa Fátima de. Lições da escola primária. In: SAVIANI, Dermeval (et. al.). O legado educacional do século XX no Brasil. Campinas, SP: Autores Associados, 2004.

SOUZA, Elizeu C. de; PASSEGI, Maria da C; ABRAHÃO, Maria Helena M. B. (Orgs.). Pesquisa (auto)biográfica e práticas de formação. Natal,RN; São Paulo: Paulus, 2008.

TARDIF, M; LESSARD, C. O trabalho docente: elementos para uma teoria da docência como profissão de interações humanas. Petrópolis: Vozes, 2005.

VEIGA, Ilma P; ARAÚJO, José C. KAPUZINIAK, Célia. (Orgs.). Docência: uma construção ético-profissional. Campinas: Papirus, 2005.

VIDAL, Diana G. Escola nova e processo educativo. In: LOPES, Eliane Marta T; FARIA FILHO, Luciano de; VEIGA, Cynthia G. 500 anos de educação no Brasil. 3. ed, Belo Horizonte: Autêntica, 2007.

VIDAL, Diana G. Da caligrafia à escrita: experiências escolanovistas com caligrafia muscular nos anos 30. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-25551998000100009. Acesso em: 12 fev. 2012.

Downloads

Publicado

2014-02-20

Como Citar

CARVALHO, M. E. G. Professora Marta Bezerra de Medeiros: a profissão docente na primeira metade do século XX (1915-1954). Revista HISTEDBR On-line, Campinas, SP, v. 13, n. 53, p. 280–304, 2014. DOI: 10.20396/rho.v13i53.8640205. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8640205. Acesso em: 18 maio. 2022.

Edição

Seção

Artigos