Banner Portal
Paulo Freire: impacto e apropriação da sua obra na produção da pós-graduação no Brasil (1987-2010)
PDF

Palavras-chave

Paulo Freire. Produção científica. Impacto científico. Educação. Pós-graduação

Como Citar

GAMBOA, Silvio Sánchez; GERBASI, Luciana Barbosa. Paulo Freire: impacto e apropriação da sua obra na produção da pós-graduação no Brasil (1987-2010). Revista HISTEDBR On-line, Campinas, SP, v. 13, n. 53, p. 305–317, 2014. DOI: 10.20396/rho.v13i53.8640206. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8640206. Acesso em: 16 abr. 2024.

Resumo

A pretensão de aprofundamento sobre o impacto do trabalho de Paulo Freire na produção de pesquisas na pós-graduação stricto sensu no Brasil, bem como as formas de apropriação de seu pensamento delimitam a problematização que gerou este estudo. Sua influência é significativa no campo da educação, dos movimentos sociais, da extensão rural, da política educacional e da teologia da libertação, no entanto, é pouco conhecida a sua repercussão na produção de investigação científica. O objetivo central é limitado à análise das diferentes leituras e apropriações do trabalho de Paulo Freire apresentadas na pesquisa produzida em programas de pós-graduação entre 1987 e 2010. Os resultados indicam que a obra de Paulo Freire está presente em forma direta em 233 dissertações e 138 teses, localizados em 32 diferentes universidades e suas referências são utilizadas numa ampla gama de temáticas e áreas de concentração. A desigual apropriação das categorias geradoras: ser-no-mundo (realidade), ser-com-outros (o diálogo) e ser inconcluso (liberdade/libertação), indicam inconsistências com a visão do mundo do pensamento de Freire. A categoria "diálogo" é amplamente utilizada, no entanto, as categorias "liberdade/libertação" e "realidade", indicando a dinâmica e permanente transformação histórica são pouco utilizadas.

https://doi.org/10.20396/rho.v13i53.8640206
PDF

Referências

BACHELARD, G. Epistemologia. Barcelona: Anagrama, 1989.

BLANCHÉ, R. A epistemologia. Rio de Janeiro: Martins Fontes, 1975.

BRASIL, Lei Federal 12.612 (13/04/12) Patrono da Educação Brasileira

CINTRA, L.B.E. Entre O grego e o Semita. Educação: Filosofia e Comunhão. Campinas, Unicamp: Tese de Doutorado em Educação, 1992.

CRUZ, A, S. A Pedagogia de Paulo Freire: questões epistemológicas. Campinas, Unicamp: Dissertação de Mestrado em Educação, 1987.

DUSSEL, E. Filosofia da Libertação. São Paulo: São Paulo, SP: Paulus, 2001.

FERREIRA, N. S. A. As pesquisas denominadas "estado da arte". Educação e Sociedade. [online]. 2002, vol.23, n.79 [citado 2012-01-10], pp. 257-2 Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-73302002000300013&lng=pt&nrm=iso. ISSN 0101-7330, acesso em 10-01-2012.

FREIRE, P. Ação cultural para a liberdade e outros escritos. 7a ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1982.

FREIRE, P. Educação e Mudança. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1992a.

FREIRE, P. Pedagogia do Oprimido. 17a ed Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

FREIRE, P. A importância do ato de ler: em três artigos que se completam. 12a ed. São Paulo: Cortez, 1986.

FREIRE, P. À sombra desta mangueira. 4aed. São Paulo: Olho D ́Agua, 2004.

FREIRE, P. Conscientização: teoria e prática da libertação; uma introdução ao pensamento de Paulo Freire. São Paulo: Centauro, 2001.

FREIRE, P. Educação como prática da liberdade. 27a ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2003.

FREIRE, P. Educação e atualidade brasileira. São Paulo: Cortez, 2001.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa, São Paulo, SP: Paz e Terra, 2009.

FREIRE, P. Pedagogia da indignação. São Paulo: UNESP, 2000.

FREIRE, Paulo. Extensão o comunicação. Rio de Janeiro: Editora Paz e Terra, 1983. p. 58. (Sétima edição)

FROMM, E. O medo á liberdade. Rio de Janeiro: Zahar, 1970.

GADOTTI, M. Paulo Freire: uma biobibliografia, São Paulo:Cortez: Instituto Paulo Freire;Brasília, DF; UNESCO, 1996.

HAYASHI, M. C. P. I. et al. História da educação brasileira: a produção científica na biblioteca eletrônica SCIELO. Educação e Sociedade, Campinas, v. 29, n. 102, abr. 2008. Disponível em http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-73302008000100010&lng=pt&nrm=iso, acesso em 09 mai. de 2011. doi: 10.1590/S0101-73302008000100010.

JAPIASSU, H. Introdução ao pensamento epistemológico, Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1977.

KOSIK, K. Dialética do concreto. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1976.

LAROCCA. P.; ROSSO, A J. SOUZA A P. A formulação dos objetivos de pesquisa na pós-graduação em Educação: uma discussão necessária. Brasília: R B P G, v. 2, n. 3, p. 118-133, mar. 2005.

LEVINAS, E. Totalidad e Infinito: ensayo sobre la exterioridad. Salamanca: Sígueme, 1977.

LUKÁCS, G. Existencialismo ou Marxismo? São Paulo: Ciências Humanas, 1979.

SAVIANI, D. História das Ideias Pedagógicas no Brasil, Campinas, SP: Autores Associados, 2008.

TORRES, C. A. (org). Teoria Crítica e Sociologia política da Educação. São Paulo: Cortez: Instituto Paulo Freire, 2003.

ZAUITHT, G,; HAYASHI, M. C. P, Influência de Paulo Freire no Ensino de Ciências e na educação CTS: uma análise bibliomêtrica. Revista HISTEDBR on-line, Campinas No 49, p. 267-293, mar, 2013.

Revista HISTEDBR On-line utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto.

Downloads

Não há dados estatísticos.