Paulo Freire: impacto e apropriação da sua obra na produção da pós-graduação no Brasil (1987-2010)

  • Silvio Sánchez Gamboa Universidade Estadual de Campinas
  • Luciana Barbosa Gerbasi Universidade Estadual de Campinas
Palavras-chave: Paulo Freire. Produção científica. Impacto científico. Educação. Pós-graduação

Resumo

A pretensão de aprofundamento sobre o impacto do trabalho de Paulo Freire na produção de pesquisas na pós-graduação stricto sensu no Brasil, bem como as formas de apropriação de seu pensamento delimitam a problematização que gerou este estudo. Sua influência é significativa no campo da educação, dos movimentos sociais, da extensão rural, da política educacional e da teologia da libertação, no entanto, é pouco conhecida a sua repercussão na produção de investigação científica. O objetivo central é limitado à análise das diferentes leituras e apropriações do trabalho de Paulo Freire apresentadas na pesquisa produzida em programas de pós-graduação entre 1987 e 2010. Os resultados indicam que a obra de Paulo Freire está presente em forma direta em 233 dissertações e 138 teses, localizados em 32 diferentes universidades e suas referências são utilizadas numa ampla gama de temáticas e áreas de concentração. A desigual apropriação das categorias geradoras: ser-no-mundo (realidade), ser-com-outros (o diálogo) e ser inconcluso (liberdade/libertação), indicam inconsistências com a visão do mundo do pensamento de Freire. A categoria "diálogo" é amplamente utilizada, no entanto, as categorias "liberdade/libertação" e "realidade", indicando a dinâmica e permanente transformação histórica são pouco utilizadas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Silvio Sánchez Gamboa, Universidade Estadual de Campinas
Professor Titular em Filosofia da Educação da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp)
Luciana Barbosa Gerbasi, Universidade Estadual de Campinas
Doutora em Educação, Universidade Estadual de Campinas (Unicamp)

Referências

BACHELARD, G. Epistemologia. Barcelona: Anagrama, 1989.

BLANCHÉ, R. A epistemologia. Rio de Janeiro: Martins Fontes, 1975.

BRASIL, Lei Federal 12.612 (13/04/12) Patrono da Educação Brasileira

CINTRA, L.B.E. Entre O grego e o Semita. Educação: Filosofia e Comunhão. Campinas, Unicamp: Tese de Doutorado em Educação, 1992.

CRUZ, A, S. A Pedagogia de Paulo Freire: questões epistemológicas. Campinas, Unicamp: Dissertação de Mestrado em Educação, 1987.

DUSSEL, E. Filosofia da Libertação. São Paulo: São Paulo, SP: Paulus, 2001.

FERREIRA, N. S. A. As pesquisas denominadas "estado da arte". Educação e Sociedade. [online]. 2002, vol.23, n.79 [citado 2012-01-10], pp. 257-2 Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-73302002000300013&lng=pt&nrm=iso. ISSN 0101-7330, acesso em 10-01-2012.

FREIRE, P. Ação cultural para a liberdade e outros escritos. 7a ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1982.

FREIRE, P. Educação e Mudança. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1992a.

FREIRE, P. Pedagogia do Oprimido. 17a ed Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

FREIRE, P. A importância do ato de ler: em três artigos que se completam. 12a ed. São Paulo: Cortez, 1986.

FREIRE, P. À sombra desta mangueira. 4aed. São Paulo: Olho D ́Agua, 2004.

FREIRE, P. Conscientização: teoria e prática da libertação; uma introdução ao pensamento de Paulo Freire. São Paulo: Centauro, 2001.

FREIRE, P. Educação como prática da liberdade. 27a ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2003.

FREIRE, P. Educação e atualidade brasileira. São Paulo: Cortez, 2001.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa, São Paulo, SP: Paz e Terra, 2009.

FREIRE, P. Pedagogia da indignação. São Paulo: UNESP, 2000.

FREIRE, Paulo. Extensão o comunicação. Rio de Janeiro: Editora Paz e Terra, 1983. p. 58. (Sétima edição)

FROMM, E. O medo á liberdade. Rio de Janeiro: Zahar, 1970.

GADOTTI, M. Paulo Freire: uma biobibliografia, São Paulo:Cortez: Instituto Paulo Freire;Brasília, DF; UNESCO, 1996.

HAYASHI, M. C. P. I. et al. História da educação brasileira: a produção científica na biblioteca eletrônica SCIELO. Educação e Sociedade, Campinas, v. 29, n. 102, abr. 2008. Disponível em http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-73302008000100010&lng=pt&nrm=iso, acesso em 09 mai. de 2011. doi: 10.1590/S0101-73302008000100010.

JAPIASSU, H. Introdução ao pensamento epistemológico, Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1977.

KOSIK, K. Dialética do concreto. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1976.

LAROCCA. P.; ROSSO, A J. SOUZA A P. A formulação dos objetivos de pesquisa na pós-graduação em Educação: uma discussão necessária. Brasília: R B P G, v. 2, n. 3, p. 118-133, mar. 2005.

LEVINAS, E. Totalidad e Infinito: ensayo sobre la exterioridad. Salamanca: Sígueme, 1977.

LUKÁCS, G. Existencialismo ou Marxismo? São Paulo: Ciências Humanas, 1979.

SAVIANI, D. História das Ideias Pedagógicas no Brasil, Campinas, SP: Autores Associados, 2008.

TORRES, C. A. (org). Teoria Crítica e Sociologia política da Educação. São Paulo: Cortez: Instituto Paulo Freire, 2003.

ZAUITHT, G,; HAYASHI, M. C. P, Influência de Paulo Freire no Ensino de Ciências e na educação CTS: uma análise bibliomêtrica. Revista HISTEDBR on-line, Campinas No 49, p. 267-293, mar, 2013.

Como Citar
Gamboa, S. S., & Gerbasi, L. B. (1). Paulo Freire: impacto e apropriação da sua obra na produção da pós-graduação no Brasil (1987-2010). Revista HISTEDBR On-Line, 13(53), 305-317. https://doi.org/10.20396/rho.v13i53.8640206
Seção
Artigos