Banner Portal
A face opaca da república: Izabel Esteves de Freitas e as escolas de primeiras letras em Itabaiana (1926-1932)
PDF

Palavras-chave

História da Educação. Instiuições escolares. Práticas escolares

Como Citar

SANTOS, Magno Francisco de Jesus. A face opaca da república: Izabel Esteves de Freitas e as escolas de primeiras letras em Itabaiana (1926-1932). Revista HISTEDBR On-line, Campinas, SP, v. 13, n. 53, p. 403–413, 2014. DOI: 10.20396/rho.v13i53.8640212. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8640212. Acesso em: 16 abr. 2024.

Resumo

Neste artigo temos o intuito de compreender as nuances da professora Izabel Esteves de Freitas durante a Primeira República na escola de primeiras letras. Este foi um período em que a cidade de Itabaiana passou importantes transformações. A cidade que há pouco tempo deixara de ser vila transformava-se rapidamente. A reflexão seguiu os insumos teóricos e categorias analíticas de Pierre Bourdieu, através das quais pudemos observar os principais aspectos da realidade educacional sergipana durante a Primeira República, com ênfase para a vida educacional de Itabaiana, apresentada por meio da escola que estava sob a responsabilidade da professora Izabel Esteves de Freitas. Com isso, tornou-se possível compreender a educação nas primeiras décadas republicanas por um ângulo diferenciado, oposto à visão tradicional preza aos grupos escolares.

 

https://doi.org/10.20396/rho.v13i53.8640212
PDF

Referências

BOURDIEU, Pierre. “O Mercado de Bens Simbólicos”. In: A Economia das Trocas Simbólicas. 6a ed. São Paulo: Perspectiva, 2005. p. 99- 181.

BOURDIEU, Pierre. Os usos sociais da ciência: por uma sociologia clínica do campo científico. Trad. Denice Bárbara Catani. São Paulo: UNESP, 2004

BOURDIEU, Pierre. “Gênese e Estrutura do Campo Religioso”. In: A Economia das Trocas Simbólicas. 6a ed.. Trad. Sergio Miceli. São Paulo: Perspectiva, 2005. p. 27-98.

BOURDIEU, Pierre. Itinerário. In: Coisas Ditas. Trad. Cássia R. da Silveira e Denise Moreno Pegorim. São Paulo: Brasiliense, 1990. p. 09-73

BOURDIEU, Pierre; PASSERON, Jean Claude. A Reprodução: elementos para uma teoria do sistema de ensino. 2a ed. Trad. Reynaldo Bairão.Rio de Janeiro: Livraria Francisco Alves, 1982.

CARVALHO, Vlademir Souza. Santas Almas de Itabaiana Grande. Itabaiana: Edições O Serrano, 1973

CATANI, A. M.; CATANI, B. C.; PEREIRA, G. R. de. “As apropriações da obra de Pierre Bourdieu no campo educacional brasileiro através de periódicos da área”. Revista Brasileira de Educação. Mai-ago, n° 017. São Paulo: Associação Nacional de Pós Graduação e Pesquisa em Educação. p. 63-85.

CHAMPAGNE, Patrick. “Prefácio”. In: BOURDIEU, Pierre. Os usos sociais da ciência: por uma sociologia clínica do campo científico. São Paulo: UNESP, 2004. p. 7-15.

CHARLE, Christophe; ROCHE, Daniel. Pierre Bourdieu e a História. In: Le Monde. Trad. Flávio M. Heinz, 2003 (não publicado).

SANTOS, Maria Nely. Professora Thetis: uma vida. Aracaju: Gráfica Pontual, 1999.

SAVIANI, Dermeval. Escola e Democracia. Polêmicas do nosso tempo. 27a ed. Campinas-SP: Autores Associados, 1993.

SEBRÃO SOBRINHO, José. Tobias Barreto, o desconhecido (gênio e desgraça). Vol. I. Aracaju: Imprensa Oficial, 1941.

Revista HISTEDBR On-line utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto.

Downloads

Não há dados estatísticos.