Banner Portal
A educação superior sob vigilância: o caso do DOPS/PR (1964-1988)
PDF

Palavras-chave

Vigilância. Educação superior. Controle social. Ditadura Civil-Militar

Como Citar

MANSAN, Jaime Valim. A educação superior sob vigilância: o caso do DOPS/PR (1964-1988). Revista HISTEDBR On-line, Campinas, SP, v. 13, n. 51, p. 14–26, 2013. DOI: 10.20396/rho.v13i51.8640260. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8640260. Acesso em: 12 jul. 2024.

Resumo

Este artigo propõe uma reflexão sobre a vigilância do campo da educação superior exercida por órgãos e agentes do sistema de controle social constituído no Brasil a partir do golpe de 1964. Para tanto, aborda o caso específico da Delegacia de Ordem Política e Social do Estado do Paraná (DOPS/PR), analisando sua atuação e sua relação com colaboradores externos e outros órgãos de controle entre 1964 e 1988. Tal análise inscreve-se no âmbito de uma pesquisa de doutorado que tem por objeto de estudo o controle do campo da educação superior durante a Ditadura Civil-Militar, realizado através de ações coercitivas (vigilância, punição/recompensa e normatização) e ideológicas (propaganda/censura, educação moral e cívica, cursos de formação promovidos pela Escola Superior de Guerra e pela Associação dos Diplomados da Escola Superior de Guerra, palestras e materiais de divulgação distribuídos pelo Instituto de Pesquisas e Estudos Sociais, dentre outros). A DOPS/PR fazia parte de uma estrutura de vigilância composta pelos vários departamentos e delegacias de ordem política e social e pela Polícia Federal. Além dessa estrutura, outras quatro (a do Sistema Nacional de Informações, a dos órgãos militares de informação, a do sistema CODI/DOI - Centro de Operações de Defesa Interna/Destacamento de Operações de Informações - e a do Ministério da Educação e Cultura) compunham o setor de vigilância daquele complexo sistema de controle social.

 

https://doi.org/10.20396/rho.v13i51.8640260
PDF

Referências

ALVAREZ, Marcos César. Controle social: notas em torno de uma noção polêmica. São Paulo em Perspectiva, v. 18, n. 1, p. 168-176, 2004.

BRASIL. Estado-Maior das Forças Armadas. Escola Superior de Guerra. Departamento de Estudos. MB-75 – Manual Básico. Rio de Janeiro: APEX, 1975.

COHEN, Stanley; SCULL, Andrew (ed.). Social Control and the State: historical and comparative essays. Oxford: M. Robertson, 1983.

COMBLIN, Joseph. A ideologia da Segurança Nacional: o poder militar na América Latina. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1978.

DEFLEM, Mathieu. The concept of social control: theories and applications. International Conference on Charities as Instruments of Social Control in Nineteenth-Century Britain, Université de Haute Bretagne (Rennes 2), Rennes, France, Nov. 2007. Disponível em: www.mathieudeflem.net. Acesso em: 10 dez. 2012.

GRAMSCI, Antonio. Cadernos do cárcere. V. 3 – Maquiavel. Notas sobre o Estado e a política. 3. ed. Trad. C. N. Coutinho. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2007.

MAGALHÃES, Marionilde Dias Brepohl de. A lógica da suspeição: sobre os aparelhos repressivos à época da ditadura militar no Brasil. Revista Brasileira de História, São Paulo, v. 17, n. 34, 1997.

MANSAN, Jaime Valim. O estigma do cassado: efeitos simbólicos da aplicação de políticas públicas de controle social durante a Ditadura Civil-Militar (1964-1988). In: Anais do II Seminário Políticas Públicas e Educação: constituindo a cidadania? Fundação Universidade Federal do Rio Grande (FURG): Rio Grande/RS 2011.

MANSAN, Jaime Valim. O Ministério da Educação e Cultura e o controle do campo do ensino superior durante o governo Costa e Silva (1967-1969). Militares e política, Rio de Janeiro, 2010, v. 7, p. 76-99.

SERBIN, Kenneth. Diálogos na sombra: bispos e militares, tortura e justiça social na ditadura. Trad. C. E. Lins da Silva. São Paulo: Companhia das Letras, 2001.

UEL - Universidade Estadual de Londrina. Pró-Reitoria de Planejamento. Diretoria de Avaliação e Acompanhamento Institucional. UEL em dados. 2011. Disponível em http://www.uel.br. Acesso em: 19 abr. 2012.

Revista HISTEDBR On-line utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto.

Downloads

Não há dados estatísticos.