O regime de cátedra no ensino superior: os primeiros professores da escola de engenharia industrial da cidade do Rio Grande

Autores

  • Vanessa Barrozo Teixeira Universidade Federal de Pelotas (UFPel)
  • Elomar Callegaro Tambara Universidade Federal de Pelotas (UFPel)

DOI:

https://doi.org/10.20396/rho.v13i51.8640263

Palavras-chave:

Regime de cátedra. Corpo docente. Ensino superior. Escola de Engenharia Industrial

Resumo

Este trabalho investiga como se constituiu o corpo docente da Escola de Engenharia Industrial (EEI), primeira instituição de ensino superior da cidade do Rio Grande, criada em meados da década de 1950. Tendo como ideia central o regime de cátedra, busca-se compreender como surge a categoria de professor catedrático e como ela se desenvolveu com amplos poderes no ensino superior brasileiro. Apresentando como objeto de análise a EEI e seu corpo docente o artigo tem algumas questões norteadoras, como, por exemplo: Quem foram estes professores? Qual era a sua formação? Estes possuíam experiência docente? Para compreender o viés desta história institucional serão analisados relatórios da EEI, bem como a bibliografia pertinente ao assunto.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Vanessa Barrozo Teixeira, Universidade Federal de Pelotas (UFPel)

Bacharel em Museologia (UFPel); Mestranda do Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE) da Faculdade de Educação - UFPel.

Elomar Callegaro Tambara, Universidade Federal de Pelotas (UFPel)

Professor titular da Universidade Federal de Pelotas.

Referências

CATANI, Denise Barbara. Estudos de história da profissão docente. In: 500 anos de educação no Brasil. 5a edição. Belo Horizonte: Autêntica, p. 585-599, 2011.

CELESTE FILHO, Macioniro. A constituição da Universidade de São Paulo e a reforma universitária da década de 1960. São Paulo: PUC, 2006, 293F. Tese (Doutorado em Educação: História, Política e Sociedade). Programa de Pós-Graduação em Educação, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo.

CESAR, Willy. Chico Bastos, o pescador. Rio de Janeiro: UniverCidade, 2011.

CUNHA, Luiz Antonio. A universidade temporã: o ensino superior, da Colônia à Era Vargas. São Paulo: Editora UNESP, 2007.

FÁVERO, M. L. A. Da Cátedra Universitária ao Departamento: subsídios para discussão. In: 23a Reunião Anual da ANPEd, 2000, Caxambú-MG. Anais da 23a Reunião da ANPEd, 2000. Acessado em 27-11-11; Disponível em: http://www.anped.org.br/reunioes/23/textos/1118t.PDF.

GRACIANI, Maria Stela Santos. O ensino superior no Brasil: A estrutura de poder na universidade em questão. Petrópolis: Ed. Vozes, 1984.

HASSEN, Maria de Nazareth; FERREIRA, Maria Letícia Mazzucchi. Escola de Engenharia/UFGRS – Um século. Porto Alegre: Tomo editorial, 1996.

REGIMENTO da Escola de Engenharia Industrial. Fundação Cidade do Rio Grande, Rio Grande: Artes Gráficas RIO GRANDE Ltda, 1956.

RELATÓRIO de Inspeção da Escola de Engenharia Industrial da cidade do Rio Grande. Fundação Cidade do Rio Grande, 1954.

RELATÓRIO de Reconhecimento da Escola de Engenharia Industrial da cidade do Rio Grande. Fundação Cidade do Rio Grande, 1957.

RELATÓRIO do 2o período letivo da Escola de Engenharia Industrial da Fundação Cidade do Rio Grande. Dr. Ruy Poester Peixoto (Inspetor Federal). Rio Grande, janeiro de 1961.

WERLE, Flávia Obino Corrêa. História das instituições escolares: de que se fala? In: LOMBARDI, José Claudinei; NASCIMENTO, Maria Isabel Moura (orgs.). Fontes, história e historiografia da educação. Campinas: Autores Associados, 2004, p. 13-35.

Downloads

Publicado

2013-09-20

Como Citar

TEIXEIRA, V. B.; TAMBARA, E. C. O regime de cátedra no ensino superior: os primeiros professores da escola de engenharia industrial da cidade do Rio Grande. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, SP, v. 13, n. 51, p. 54–63, 2013. DOI: 10.20396/rho.v13i51.8640263. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8640263. Acesso em: 27 jan. 2023.

Edição

Seção

Artigos