A revista da escola normal de São Carlos e a moralização social: culto cívico, religião da pátria, o escotismo

Autores

  • Eneias Borges Dias Faculdade de Ciências e Letras - FCLAr - UNESP - Araraquara/SP

DOI:

https://doi.org/10.20396/rho.v13i51.8640270

Palavras-chave:

Revistas de Educação. História da Educação. Nacionalismo. Escotismo. São Carlos

Resumo

O presente artigo apresenta reflexões sobre o papel da imprensa educacional na propagação dos ideais republicanos de transformação da sociedade brasileira no período que compreende os anos de 1910 e 1920. A pesquisa teve como fonte documental a Revista da Escola Normal de São Carlos publicada e editada pelo corpo docente da Escola Normal Secundária de São Carlos entre os anos de 1916 a 1923 e destinada aos professores públicos. Dentre as temáticas abordadas pelo periódico à extensão da participação política, a oficialização do escotismo, a formação cívica e patriótica da população e, principalmente, o combate ao analfabetismo foram amplamente veiculados, debatidos e propagandeados ao longo de suas páginas, durante seu “ciclo de vida”, 1916 a 1923. Os temas abordados por essa publicação periódica contribuíram para a difusão de concepções e ideias sintonizadas com a problemática das transformações sociais educacionais em curso nos anos de 1910 e 1920.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Eneias Borges Dias, Faculdade de Ciências e Letras - FCLAr - UNESP - Araraquara/SP

Mestre em Educação Escolar pela Faculdade de Ciências e Letras - UNESP - Campus de Araraquara/SP (2009); graduado em História pela Faculdade de Ciências e Letras - UNESP - Campus de Assis/SP (2001). Atualmente é professor titular de cargo - PEB - II - História - Secretaria da Educação do Estado de São Paulo e da Escola SESI-Matão/SP – Centro Educacional -146

Referências

ANUÁRIO DO ENSINO DO ESTADO DE SÃO PAULO. Publicação organizada pela Diretoria Geral da Instrução Pública, com autorização do Governo do Estado. 1923. São Paulo: Casa Vanorden, 1924.

ARAUJO, Elisiário de. Instituições Patrióticas. Revista da Escola Normal de São Carlos. São Carlos. Propriedade e redação do Corpo Docente, ano 2, n.3, p. 93-107, dez., 1917.

ARAUJO, Elisiário de. A letra do Hino Nacional. Revista da Escola Normal de São Carlos. São Carlos. Propriedade e redação do Corpo Docente, ano 6, n.10, p. 25-27, jun., 1921.

CARVALHO, José Murilo de. A formação das almas: o imaginário da República no Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 1990.

EDITORIAL. Revista da Escola Normal de São Carlos, Propriedade e redação do Corpo Docente, ano 1, n.1, p.1, nov. 1916.

ESCOBAR, José Ribeiro. Histórico da instrução pública paulista (Feito para o Anuário do Ministério da Educação). Revista de Educação, São Paulo, v.3, p.158-190, set./1933.

EXPEDIENTE. Revista da Escola Normal de São Carlos, Propriedade e redação do Corpo Docente, ano 1, n.1, p.1, nov., 1916.

FAUSTO, Boris. O pensamento nacionalista autoritário: 1920-1940. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2001. (Descobrindo o Brasil).

LEME, Ezequiel de Moraes. Questões do ensino. Revista da Escola Normal de São Carlos, Propriedade e redação do Corpo Docente, ano 6, n. 10, p.13-17, jun., 1921.

LUCA, Tania Regina de. A Revista do Brasil: um diagnóstico para a (n) ação. São Paulo: Ed. Unesp, 1999.

MEDICI, Atugasmin. Mestres e Soldados. Revista da Escola Normal de São Carlos, Propriedade e redação do Corpo Docente, ano 2, n.3, p.84-92, dez., 1917.

NAGLE, Jorge. Educação e sociedade na Primeira República. São Paulo: EPU, 1976.

Downloads

Publicado

2013-09-20

Como Citar

DIAS, E. B. A revista da escola normal de São Carlos e a moralização social: culto cívico, religião da pátria, o escotismo. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, SP, v. 13, n. 51, p. 157–166, 2013. DOI: 10.20396/rho.v13i51.8640270. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8640270. Acesso em: 4 dez. 2022.

Edição

Seção

Artigos