Festas quilombolas: entre a tradição e o sagrado, matizes da ancestralidade africana

  • Maria Walburga dos Santos UFSCar
Palavras-chave: Festas quilombolas. Comunidades quilombolas. Educação quilombola

Resumo

O texto reflete a respeito das festas e outros eventos considerados festivos em uma comunidade quilombola e suas relações com o processo de criação e recriação da autoafirmação das identidades e alteridade do grupo em experiência de vida comunitária, aliada ao que consideramos matizes da ancestralidade africana. Elaborado a partir de pesquisa etnográfica, o trabalho aponta elementos inerentes às festividades que outrora marginalizados por uma cultura de branqueamento dos costumes e das instituições, corroboram na atualidade com o movimento de reconhecimento das origens e de autoidentificação como quilombola. Pretende contribuir com a ampliação do debate no campo teórico e prático da Educação das Relações Étnico-Raciais e da Educação Quilombola.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Walburga dos Santos, UFSCar
Docente do Departamento de Teorias e Práticas Pedagógicas, DTPP-UFSCar.

Referências

ALCÂMARA CASCUDO, Luís da. Antologia do folclore brasileiro. São Paulo: Global, 2002. v.1.

ALCÂMARA CASCUDO, Luís da. Contos tradicionais do Brasil. São Paulo: Global, 2001.

CAILLOIS, Roger. Le mithe et l’ home. Paris: Éditions Gallimard, 1972 (collection Idées).

GUARINELLO, Norberto Luiz. Festa, trabalho e cotidiano. In JANCSÓ, István e KANTOR, Iris (org) Festa: cultura e sociabilidade na América Portuguesa. São Paulo, Imprensa Oficial, 2001, v. II, p. 969-975. (Coleção Estante USP – Brasil 500 anos, v. 3).

GUERRA, Vera Lúcia. Temporadas de Brincadeiras. Tese (Doutorado). São Paulo: FEUSP, 2009.

ITESP. Negros do Ribeira: reconhecimento étnico e conquista de território. São Paulo: ITESP, Editoras Gráficas, 2000 (Cadernos ITESP, v. 3).

PRANDI, Reginaldo. Mitologia dos Orixás. São Paulo: Companhia das Letras, 2001.

QUEIROZ, Renato da Silva. Caipiras Negros do Vale do Ribeira. Um estudo de antropologia econômica. São Paulo: Edusp, 2006.

REIS, Isabel Cristina Ferreira dos. História da Vida Familiar e afetiva dos escravos na Bahia do século XIX. Salvador: UFBA, 1998.

SANTOS, Maria Walburga dos. Saberes da terra: o lúdico em Bombas, uma comunidade quilombola (estudo de caso etnográfico). São Paulo: FEUSP, 2010.

SCARANO, Julita. Bebida alcóolica e sociedade colonial. In JANCSÓ, István e In JANCSÓ, István e KANTOR, Iris (org) Festa: cultura e sociabilidade na América Portuguesa. São Paulo, Imprensa Oficial, 2001, v. II, p. 467-485. (Coleção Estante USP – Brasil 500 anos, v. 3).

SCHUARCZ, Lilian Moritz. O Espetáculo das Raças, São Paulo, Companhia das Letras, 2001.

SOCIOAMBENTAL, Instituto. Agenda socioambiental de comunidades quilombolas do Ribeira. São Paulo: Instituto Socioambiental, 2008.

STAKE, R.E. Investigacion com estúdio de casos. Madri: Morata, 1999.

VOLPATTO, Rosane. Dança de São Gonçalo. Disponível em www.rosanevolpatto.trd.br/dancasaogonçalo. Acesso em 20 de setembro de 2009.

Publicado
2013-08-24
Como Citar
Santos, M. W. dos. (2013). Festas quilombolas: entre a tradição e o sagrado, matizes da ancestralidade africana. Revista HISTEDBR On-Line, 13(50), 286-300. https://doi.org/10.20396/rho.v13i50.8640309
Seção
Artigos