Produção científica e produção/reprodução capitalista no atual contexto latino-americano

Autores

  • José Rubens Mascarenhas de Almeida UESB

DOI:

https://doi.org/10.20396/rho.v14i55.8640459

Palavras-chave:

Produção científica. Imperialismo. América Latina

Resumo

O presente artigo parte do pressuposto de que a produção do conhecimento científico sob o predomínio de relações sociais capitalistas pauta-se na subsunção do trabalho ao capital, que submete a produção científica à condição de tecnologia. Ou seja, conhecimento com fins específicos à produção/reprodução sistêmica, não se tratando de um processo neutro, como o quer a ideologia dominante de caráter positivista e funcionalista pautada no discurso tecnológico determinista.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

José Rubens Mascarenhas de Almeida, UESB

Docente da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia; doutor em Ciências Sociais pela Pontifícia niversidade Católica de São Paulo (PUCSP); professor do corpo permanente do Programa de Pós-Graduação em Memória: Linguagem e Sociedade; coordenador do Grupo de Estudos de Ideologia e Lutas de Classes/Museu Pedagógico/UESB (GEILC); pesquisador do Núcleo de Estudos de Ideologia e Lutas Sociais (NEILS/PUCSP).

Referências

ALMEIDA, José Rubens Mascarenhas de. La cultura del quehacer científico centrado em la acumulación capitalista debe ser combatida”. “ConCIENCIA” – Revista semestral de divulgación científica. Santa Fé, Argentina. Ano 18, num. 22, dezembro de 2013.

ALMEIDA, José Rubens Mascarenhas de. “Imperialismo e ciencia”. Diálogos - Capítulo 36 – Programa televisivo produzido pela Direção de Comunicação da Universidad Nacional del Litoral (UNL), Santa Fe, Argentina, 2013a. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=-tilub4l4OU. Acesso em 28/05/2014.

ALMEIDA, José Rubens Mascarenhas de. Considerações acerca do complexo industrial-militar e a acumulação imperial-capitalista no entre guerras mundiais. In: FONSECA-SILVA, Maria da Conceição &

FARIAS, Edson Silva de (Orgs.). In: Memória, discurso e sociedade. São Carlos: Claraluz, 2012.

ALMEIDA, José Rubens Mascarenhas de & ALMEIDA, Lúcio Flávio Rodrigues de. Império/imperialismo & América Latina. In: MAGALHÃES, Lívia Diana Rocha; ALVES, Ana Elizabeth Santos; CASIMIRO, Ana Palmira Bittencourt Santos (Orgs). Lugares e sujeitos da pesquisa em História, Educação e Cultura. São Carlos: Pedro & João Editores, 2006.

BARNES, Harry Elmer. História de la economia del mundo occidental hasta principios de la segunda guerra mundial. México: Union Tipografica Editorial Hispano Americana, 1955.

BURSTYN, Varda. A nova ordem mundial prevista. In: PANITCH, Leo & LEYS, Colin. O império reloaded. Socialist Register, Buenos Aires, Clacso, 2006.

CASANOVA, Pablo González (org.). América Latina: história de meio século. Vs. I, II, III e IV. Brasília: UNB, 1988.

CECEÑA, Ana Esther. Estados Unidos: reposicionamento hegemônico para o século XXI. In: MARTINS, Carlos Eduardo et. al. (orgs.). Globalização: dimensões e alternativas. Rio de Janeiro: Loyola, 2004.

CALDWELL, Malcom. A riqueza de algumas nações: uma introdução à economia política. Rio de Janeiro: Zahar, 1979.

CHAGNOLLAUD, Jean-Paul. Relations internationales contemporaines: un monde en perte de repères. 2a edição. Paris: L’Harmattan, 1999.

CHONCHOL, Jacques. Sistemas agrarios en América Latina: de la etapa prehispánica a la modernización conservadora. Santiago do Chile: FCE, 1994.

DEBORD, Guy. A sociedade do espetáculo. Trad. Estela dos Santos Abreu. Rio de Janeiro: Contraponto, 1997, 237 p.

EMMANUEL, Arghiri et. al. Imperialismo e comércio internacional: a troca desigual. São Paulo: Global, 1981.

GALEANO, E. “La escuela del crimen”. Montevidéu: Brecha, 1996.

GRENET, Yves. Capitalismo, corrida armamentista e comércio de armas. In: PERRAULT, Gilles. O livro negro do capitalismo. Rio de Janeiro: Record, 2000.

HARRINGTON, Michael. A revolução tecnológica e a decadência contemporânea. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1967.

LUCKÁCS, G. Existencialismo ou marxismo. São Paulo: Senzala, 1967.

MARCONDES FILHO, Ciro. Sociedade Tecnológica. São Paulo: Scipione, 1994.

MANDEL, Ernest. O capitalismo tardio. Coleção Os Economistas. São Paulo: Abril Cultural, 1982.

MARX, K. O capital: crítica da economia política. Vol. I, Livro Primeiro. Coleção Os Economistas. São Paulo: Abril Cultural, 1983.

MARX, K. O capital: crítica da economia política. Vol. II, Livro Segundo. Coleção Os Economistas. São Paulo: Abril Cultural, 1983a.

MARX, K. O capital: crítica da economia política. Vol. I, Livro Primeiro, Tomo 2. São Paulo: Abril Cultural, 1984.

NYE, Joseph S. O paradoxo do poder americano: porque a única superpotência do mundo não pode prosseguir isolada. São Paulo: UNESP, 2002.

NOVAES, Henrique T. O fetiche da tecnologia: a experiência das fábricas recuperadas. São Paulo: Expressão Popular, 2010.

PLA, Alberto José. Capitalismo, trabajo y rebeldía social a fines del siglo XX. Escuela de Historia de la Universidad de Rosario, Argentina, mimeo, 1996.

RAMONET, Ignácio. A guerra social. Disponível em http://diplo.uol.com.br/2002-11,a475. Acessado em 09/04/2008.

SERVAN-SCHREIBER, Jean-Jacques. O desafio americano. Rio de Janeiro: Expressão e Cultura, 1968.

Downloads

Como Citar

ALMEIDA, J. R. M. de. Produção científica e produção/reprodução capitalista no atual contexto latino-americano. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, SP, v. 14, n. 55, p. 14–33, 2014. DOI: 10.20396/rho.v14i55.8640459. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8640459. Acesso em: 17 jan. 2022.

Edição

Seção

Artigos