Estado e “conversão” democrática: legados da nova república para as políticas educacionais dos anos 1990

Autores

  • Antonia Almeida Silva UEFS

DOI:

https://doi.org/10.20396/rho.v14i55.8640460

Palavras-chave:

Estado. Políticas educacionais. Nova República

Resumo

Neste estudo problematizam-se as relações entre a agenda político-social da Nova República e a viabilização das reformas do Estado e da educação a partir da década de 1990. O artigo explora as relações entre as políticas sociais no plano nacional e estadual, tomando como referências, no plano nacional, a política social do governo José Sarney e, na Bahia, a política educacional do governo Waldir Pires. A hipótese que mobiliza o estudo é a de que a atitude de “agente interessado” na justiça social, assumida pelo Estado durante a Nova República, foi fundamental para a recomposição dos grupos dominantes que conduziram a transição e viabilizar a atualização do seu projeto de classe. Nesse processo, o projeto da “conversão” do autoritarismo à democratização mostra-se mais como preleção conjuntural, do que como mudança substantiva da vida política brasileira. Este argumento está baseado na assunção de que a transição brasileira, inclusive em seu momento final, guarda alguma relação com a noção de “revolução passiva” apresentada por Gramsci (1999).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Antonia Almeida Silva, UEFS

Professora Titular da UEFS, atuando na área de políticas educacionais nos cursos de licenciatura e no mestrado em educação.

Referências

ALVES, M. H. M. (1987). Estado e oposição no Brasil (1964-1984). 4. ed. Petrópolis: Vozes.

APLB - Associação dos Professores Licenciados da Bahia (1985). Chega de angústia na educação. Salvador: APLB, 1985, 5 p. (mimeo).

BRESSER PEREIRA, L. C. (1996). Crise econômica e reforma do Estado no Brasil: para uma nova interpretação da América Latina. São Paulo: Editora 34.

CAMARGO, A. (1989). As dimensões da crise. IN: CAMARGO, Aspásia e DINIZ, Eli (Orgs.). Continuidade e mudança no Brasil da Nova República. São Paulo: Vértice, Editora Revista dos Tribunais (20-56 p.).

CONSELHO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO. Parecer CEE n° 013, de 21 de janeiro de 1991. Aprova medidas relacionadas ao Plano Decenal de Educação (Plandeba) como sugestão à Secretaria da Educação do Estado da Bahia. Salvador, 1991, p. 6.

CONSELHO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO (1990). O ano letivo de 1990. Tribuna da Bahia, Salvador, 23 nov.

DEFICIÊNCIA DA EDUCAÇÃO GERA PROTESTO DE ALUNOS (1990). A Tarde, Salvador, 22 ago. Caderno 1, p. 3.

DINIZ, E. (1997). Crise, reforma do Estado e governabilidade: Brasil 1985-95. Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas.

DREIFUSS, R. (1989). O jogo da direita. 2a ed. Petrópolis, RJ: Vozes.

FONTES, Virgínia (2006). Sociedade civil no Brasil contemporâneo: lutas sociais e luta teórica na década de 1980. In: LIMA, J. C. F.; NEVES, L. M. W. (Org.). Fundamentos da educação escolar do Brasil contemporâneo. Rio de Janeiro: Fiocruz/EPSJV.

GOMES, J. C. T. (2001). Memórias das trevas: uma devassa na vida de Antonio Carlos Magalhães. São Paulo: Geração Editorial.

FAUSTO, B. (1996). História do Brasil. 4a ed. São Paulo: EDUSP.

FIORI, J. L. (1995). Sobre a crise do Estado brasileiro. IN: FIORI, J. L. Em busca do dissenso perdido: ensaios críticos sobre a festejada crise do Estado. Rio de Janeiro: Insight.

GERMANO, J. W. (1994). Estado militar e educação no Brasil (1964-1985). 2a ed. São Paulo: Cortez.

GRAMSCI, A. (1999). Cadernos do cárcere. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, vol. 1 (Introdução ao estudo da filosofia; A filosofia de Benedetto Croce).

GRAMSCI, A. (2000). Cadernos do cárcere. Edição e tradução de Carlos Nelson Coutinho. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, vol. 3 (Maquiavel: notas sobre o Estado e a política).

KUENZER, A. Z. (1996). Política educacional e planejamento no Brasil: os descaminhos da transição. In: KUENZER, Acácia Z.; CALAZANS, Maria Julieta Costa e GARCIA, Walter. Planejamento e educação no Brasil. 3a ed. São Paulo: Cortez.

LEVIN, B. (2001). Reforming education: from origens to outcomes. New York: Routledge Falmer.

MELLO, G. N. de (2000). Cidadania e competitividade: desafios educacionais do terceiro milênio. 8a ed. São Paulo: Cortez.

MOISÉS, J. A. (1989). Dilemas da consolidação democrática no Brasil. IN: _______ e ALBUQUERQUE, J. A. Guilhon (Orgs.). Dilemas da consolidação da democracia. Rio de Janeiro: Paz e Terra.

NOGUEIRA, M. J. Todos pela educação no município: um desafio para cidadãos. Brasília, UNICEF/CECIP, 1993.

OLIVEIRA, F. (2001). A nova hegemonia da burguesia no Brasil dos anos 90 e os desafios de uma alternativa democrática. In: FRIGOTTO, G. e CIAVATTA, M. (orgs.). Teoria e educação no labirinto do capital. Petrópolis, RJ: Vozes.

OLIVEIRA, R. de (2000). Reforma educativas no Brasil na década de 90. IN: CATANI, Afrânio M. e OLIVEIRA, Romualdo P. de (Orgs.). Reformas educacionais em Portugal e no Brasil. Belo Horizonte: Autêntica.

PALUMBO, D. J. (1989). A abordagem de política pública para o desenvolvimento político na América. IN: INSTITUTO DE RECURSOS HUMANOS JOÃO PINHEIRO. Política de capacitação dos profissionais da educação. Belo Horizonte: FAE/IRHJP.

PARO, V. H. (2001). Escritos sobre educação. São Paulo: Xamã.

PIRES, W. F. (1987). (Discurso de posse do governador). Diário Oficial. Salvador, ano LXXI, no 13.544, 16 mar. Caderno 1, p. 14, 15 e16.

PROGRAMA DE 100 DIAS (1987). Diário Oficial. Salvador, ano LXXI, no 13.557, 31 mar. Caderno 1, p. 4,5 e 6. (Governador Waldir Pires).

SECRETARIA DE EDUCAÇÃO DO ESTADO DA BAHIA (1988). Alguns indicadores da situação educacional do estado da Bahia. Salvador: SEC/ IAT. (parte integrante do PLANDEBA)

SECRETARIA DE EDUCAÇÃO DO ESTADO DA BAHIA (1990). Plano Decenal de Educação – PLANDEBA. Salvador: Secretaria da Educação: Instituto de Estudos e Pesquisa em Educação Anísio Teixeira. SHIROMA, E. O.; MORAES, M. C. M. de; EVANGELISTA, O. (2000). Política educacional. Rio de Janeiro: DP&A.

SILVA, A. A. As políticas públicas para a educação básica na Bahia nos anos 90: propostas e ações nas gestões de Antonio Carlos Magalhães e Paulo Souto (1991-1998). 2007, 243 f. Tese de doutorado, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2007.

SKIDMORE, T. (1988). Brasil: de Castelo a Tancredo. 5. reimpressão. Rio de Janeiro: Paz e Terra.

Downloads

Como Citar

SILVA, A. A. Estado e “conversão” democrática: legados da nova república para as políticas educacionais dos anos 1990. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, SP, v. 14, n. 55, p. 34–53, 2014. DOI: 10.20396/rho.v14i55.8640460. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8640460. Acesso em: 23 maio. 2022.

Edição

Seção

Artigos