A historiografia da educação brasileira, o período pombalino e o Diretório de 1757.

Autores

  • Alberto Damasceno Universidade Federal do Pará

DOI:

https://doi.org/10.20396/rho.v14i55.8640464

Palavras-chave:

História da Educação. Pombal. Diretório

Resumo

No governo de Francisco Xavier de Mendonça Furtado, 19º (décimo-nono) Governador e Capitão-general do Estado do Grão-Pará e Maranhão entre os anos de 1751 e 1759, dá-se início a um amplo processo de transformações que culminaria, dentre outros acontecimentos, com o surgimento — pela primeira vez na América portuguesa (território composto pelo Estado do Grão-Pará e Maranhão e pelo Estado do Brasil) — de escolas estatais que viriam a substituir o sistema jesuítico de educação elementar, antes mesmo da reforma do ensino de Carvalho e Melo deflagrada a partir de Lisboa. O instrumento legal que demarca este período é o Directório que se deve observar nas povoações dos índios do Pará e Maranhão enquanto Sua Majestade não mandar o contrário ou, simplesmente, “Diretório” de 1757, editado em 3 de maio de 1757, confirmado pelo Alvará Régio de 17 de agosto de 1758 e abolido pela Carta Régia de 12 de maio de 1798. O “Diretório” pode ser considerado o mais importante documento de política educacional da história da América portuguesa naquele período. Infelizmente ainda é pouco conhecido e estudado como tal.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Alberto Damasceno, Universidade Federal do Pará

Professor da educação básica até 1992 quando ingressou como docente de nível superior na UFPA. Foi assessor da Secretaria Municipal de Educação de São Paulo na gestão de Paulo Freire. Na UFPA coordenou o Programa de Alfabetização de Jovens e Adultos; a Assessoria de Assuntos Comunitários e, em duas oportunidades, dirigiu o Departamento de Apoio Didático Científico da Pró-Reitoria de Ensino de Graduação e a diretoria de Assistência e Integração Estudantil da Pró-Reitoria de Extensão. Foi Secretário de Estado de Assistência e Desenvolvimento Social do Pará. Graduado em Arquitetura pela Universidade Federal do Pará, especialista em Educação e Problemas Regionais pela UFPA, mestre em Educação Escolar Brasileira pela Universidade Federal de Goiás e doutor em Educação pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Professor Associado III da Universidade Federal do Pará, coordena o Grupo de Estudos em Educação em Direitos Humanos e o Observatório Amazônico da Criança e do Adolescente

Referências

ALMEIDA, Rita Heloísa de. O Diretório dos índios: um projeto de civilização no Brasil do século XVIII. Brasília: Ed. Universidade de Brasília, 1997.

ANDRADE, António Alberto Banha de. A reforma pombalina dos estudos secundários no Brasil. São Paulo: EDUSP/Saraiva, 1978.

ANDRADE, António Alberto Banha de. Contributos para a história da mentalidade pedagógica portuguesa. Lisboa: Imprensa Nacional - Casa da Moeda, 1982.

AVELLAR, Hélio de Alcântara. História administrativa e econômica do Brasil. Rio de Janeiro: FENAME, 1970.

AVELLAR, Hélio de Alcântara. História administrativa do Brasil; a administração pombalina. Vol. 5. 2a ed. Brasília: FUNCEP/ Ed. UNB, 1983.

AZEVEDO, Fernando de. A cultura brasileira. 6 ed. Rio de Janeiro: Ed. UFRJ/ Brasília: Ed. UNB, 1996.

AZEVEDO, João Lúcio d’. Estudos de história paraense. Belém: SECULT, 1994 [1893] (Série Lendo o Pará, vol. 19).

BRETAS, Genesco ferreira. História da instrução pública em Goiás. Goiânia: Editora UFG, 1991.

CARVALHO, Laerte Ramos de. A educação e seus métodos. In: HOLANDA, Sérgio Buarque de. (dir.). História geral da civilização brasileira, tomo I, 2o vol. ( A época colonial ) 6a ed.. São Paulo: DIFEL, 1985.

CARVALHO, Laerte Ramos de. As reformas pombalinas da instrução pública. São Paulo, Saraiva / EDUSP, 1978.

CARVALHO, Rómulo. História do ensino em Portugal. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 1986.

CASALI, Alípio. Elite intelectual e restauração da igreja. Petrópolis: Vozes, 1995.

CHARTIER, Roger (org.). História da vida privada, 3: da Renascença ao Século das Luzes. São Paulo: Companhia das Letras, 1991.

CRUZ, Ernesto H. da. O Pará nos séculos XVII e XVIII (007-062). In: Anais do IX congresso de história nacional, 3o vol. Rio de Janeiro: Instituto histórico e Geográfico brasileiro, 1950.

CRUZ, Ernesto H. da. Colonização do Pará: Belém: CNPq, 1958.

CRUZ, Ernesto H. da. História do Pará. 2 vol. Belém: UFPA, Coleção Amazônia. Série José Veríssimo, 1963.

CRUZ, Guilherme Braga de. Direitos e deveres do Estado na educação. (separata do IV Curso das Semanas Sociais Portuguesas, Braga, 1952). Lisboa: tip. União Gráfica, 1952.

DAMASCENO, Alberto e BARROSO, Wilson. Canhões, terços e letras: poder e educação no Grão-Pará. In: Para uma história da educação colonial. Lisboa: Sociedade Portuguesa de Ciências da Educação/Fundação Calouste Gulbenkian, 1996.

DUARTE, Sérgio Guerra. Dicionário Brasileiro de educação. Rio de Janeiro: Antares/Nobel, 1986.

FIALHO, Branca. A educação secundária no Brasil. Separata dos “Anais” do Terceiro Congresso de História Nacional (V volume). Rio de janeiro: Instituto Histórico/ Imprensa nacional, 1942.

FILHO, Bento de Andrade. História da educação. São Paulo: Livraria Acadêmica – Saraiva & Cia., 1941.

FREIRE, Ana Maria Araújo. Analfabetismo no Brasil. São Paulo: Cortez/Brasília: INEP, 1989.

FREITAG, Bárbara. Escola, Estado e sociedade. São Paulo: Moraes. 6a ed. 1986.

GRAMSCI, Antonio. Concepção Dialética da História. 7 Ed: Rio de Janeiro, civilização Brasileira, 1987.

HUGON, Paul. História das doutrinas econômicas. 14 ed. São Paulo: Atlas, 1980.

LIMA, Lauro de Oliveira. Estórias da educação no Brasil: de Pombal a Passarinho. 3a ed. Rio de Janeiro: Ed. Brasília, s.d.

LINS, Ana Maria Moura. A burguesia em disfarce: a defesa da ignorância versus as lições do capital. Tese (Doutorado) Campinas: UNICAMP, 1992.

LOPES, Teixeira Marta Eliane. Perspectivas Históricas da Educação. 2a ed.. São Paulo: Ática, 1989.

LUZURIAGA, Lorenzo. História da educação e da pedagogia. 13a ed.. São Paulo: Cia Ed. Nacional, 1981.

MAXWELL, Kenneth. Marquês de Pombal: paradoxo do iluminismo. Rio de Janeiro, 1996.

MENDONÇA, Marcos Carneiro de. O pensamento da metrópole portuguêsa em relação ao Brasil. Separata da revista do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro. Vol. 257 - outubro/dezembro - 1962. Rio de Janeiro: IHGB, 1963.

MUNIZ, João de Palma. [Pará] A instrução pública (138-147). In: Dicionário Histórico Geográfico e Etnográfico do Brasil, vol.2. Rio de Janeiro: Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro, 1922.

NAGLE, Jorge. História da educação brasileira: problemas atuais. In: EM ABERTO, Brasília, Ano 3, n. 23, set/out. 1984.

NUNES, Clarice. Guia preliminar de fontes para a história da educação brasileira. Brasília: INEP, 1992.

PAIVA, Vanilda. Educação popular e educação de adultos. São Paulo: Loyola, 1987.

PALACÍN, Luis. Subversão e corrupção: um estudo da administração pombalina em Goiás. Goiânia: Ed. UFG, 1983.

RIBEIRO, Maria Luisa. Introdução à História da Educação Brasileira. São Paulo: Cortez e Moraes, 1978.

SALLES, Vicente. O negro no Pará: sob o regime da escravidão. 2a ed.. Brasília: MEC/Belém: SECULT/PA, 1988.

SALLES, Vicente. Épocas do teatro no Grão-Pará: ou, apresentação do teatro de época. Belém: UFPA, 1994.

SANTOS, Theobaldo Miranda. Noções de história da educação. 4a ed. São Paulo: Cia. Editora Nacional, 1952.

SAVIANI, Dermeval (org.). Para uma história da educação latino-americana. Campinas: Autores Associados, 1996. (Coleção Polêmicas do Nosso Tempo).

SILVA, Garcilenil do Lago. Educação na Amazônia colonial: contribuição à história da educação brasileira. (Dissertação de Mestrado). Rio de Janeiro: PUC, 1976. (mimeo).

SILVA, Sulamita Castro Azevedo e. A Reforma Pombalina e a tecnologia educacional. Dissertação (Mestrado) Rio de Janeiro: UERJ, 1989.

SIMONSEN, Roberto C. História econômica do Brasil (1500 - 1820). 5a ed.. São Paulo: Cia. Editora Nacional, 1967.

SOUZA, Laura de Mello e (org.). História da vida privada no Brasil: cotidiano e vida privada na América portuguesa. São Paulo: Companhia das Letras, 1997-A.

VIANA, Hélio. A educação no Brasil colonial. In: Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos. vol. VI, n° 18, 1945, pp. 372-392.

WARDE, Miriam J. Anotações para uma historiografia da educação brasileira. In: EM ABERTO, Brasília, Ano 3, n. 23, set/out. 1984.

Downloads

Publicado

2014-06-28

Como Citar

DAMASCENO, A. A historiografia da educação brasileira, o período pombalino e o Diretório de 1757. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, SP, v. 14, n. 55, p. 104–116, 2014. DOI: 10.20396/rho.v14i55.8640464. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8640464. Acesso em: 8 dez. 2021.

Edição

Seção

Artigos