“Minha mãe me entregou nas mãos do professor para fazer de mim o que quisesse e pudesse”: memórias da educação escolar em Angola

Autores

  • Washington Santos Nascimento Universidade de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.20396/rho.v14i55.8640472

Palavras-chave:

Educação. Missões Religiosas. Memórias. Angola

Resumo

Este artigo tem por objetivo entender os impactos da educação formal no processo de colonização impetrado por Portugal em Angola no século XX. Para tanto, pretende-se discutir a história das missões cristãs, responsáveis pela educação formal, bem como analisar as memórias de alguns angolanos que frequentaram as escolas missionárias como os militantes políticos e escritores Adriano Sebastião, Amélia de Fátima Cardoso, Raul David, Manuel Pacavira e Uanhenga Xitu.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Washington Santos Nascimento, Universidade de São Paulo

Doutor em História Social pela Universidade de São Paulo (USP). Mestre em Ciências Sociais pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP) e licenciado em História pela Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia.

Referências

BENJAMIN, Walter. O Narrador: considerações sobre a obra de Nikolai Leskov. In: Magia e técnica, arte e política: ensaios sobre literatura e história da cultura. São Paulo: Brasiliense, 1994, p. 197-221.

BOAHEN, Albert Adu. Tendências e processos novos na África do século XIX In: AJAYI, J. F. Ade. História Geral da África VI. Brasília, Unesco, 2010.

CONCEIÇÃO NETO, Maria Eugênia. Breve Introdução histórica In: MEDINA, Maria do Carmo: Processos políticos da luta pela independência. Luanda: Faculdade de Direito UAN 2003:

CONCEIÇÃO NETO, Maria Eugênia. Ideologias, Contradições e Mistificações da Colonização de Angola no. Século XX. In: Lusotopie. Éditions Karthala, 1997.

DULLEY, Iracema. Deus é feiticeiro - prática e disputa nas missões católicas em Angola colonial. São Paulo: Annablume. 2010, p.34.

FREUDENTHAL, Aida Faria. Angola. In: MARQUES, A. H. de Oliveira. Nova história da expansão portuguesa, V. XI, Lisboa: Estampa, 2001.

GABRIEL, Manuel Nunes. Angola. Cinco séculos de Cristianismo. Edição Liberal, Braga, 1978.

HENDERSON, Lawrence W. A Igreja em Angola: um rio com várias correntes. Lisboa: Além-Mar, 1990,

HAROCHE, Claudine. Les exigences de la reconnaissance dans les sociétés démocratiques” In ENRIQUEZ (Edit) Le Goût de l’altérité, Paris, Desclée de Brouwer, 1999.

HAMPATÉ BÂ, A. A tradição viva. In: KI-ZERBO (coord.). História Geral da África I. Metodologia e pré-história da África. São Paulo: Ática; Paris: UNESCO, 2012, pp.181-218.

HALBWACHS, Maurice. A memória coletiva. São Paulo: Centauro, 2004

LE GOFF, Jacques. Memória, In: História e memória, pp. 423-483, Ed. da Unicamp, Campinas, 1982.

KAVAYA, Martinho. Educação, cultura e cultura do amém: Diálogos do Ondjango com Freyre em Ganda / Benguela / ANGOLA. Mestrado em Educação. Universidade Federal de Pelotas, 2006

JORGE, Manuel. Nação, identidade e unidade nacional em Angola. In Latitudes: Cahiers Lusophones, France, 2006, p. 3-10

JORGE, Manuel. Para Compreender Angola, Lisboa: Dom Quixote, 2008, 296p.

MARTINS, Maria Odete Soares – O pensamento missionário do padre Joaquim Alves Correia (1886-1951). Lusitania Sacra. Lisboa, 2007-2008.

MARQUES, A. H. de Oliveira. Nova história da expansão portuguesa. Volume XI, Lisboa: Estampa, 2001.

MARQUES, Inácio Luiz. As memórias do 27 de maio de 1977 em Angola. Anais do XXVI Simpósio Nacional de História – ANPUH • São Paulo, julho 2011.

MESSIANT, Christine. L'Angola post-colonial: Sociologie d'une oléocratie, Paris: Karthala, 2009.

MESSIANT, Christine. “Luanda (1945-1961): colonisés, société coloniale et engagement nationaliste”, in Michel Cahen (Org. de). Vilas et cidades. Bourgs et villes en Afrique Lusophone. Paris: Laboratoire Tiers-Monde/Afrique, 1989.

MESSIANT, Christine. “Angola: the challenge of statehood”, in David Birmingham; Phyllis M. Martin (Ed. by).History of Central Africa.The Contemporary Years Since 1960.London: Longman, 1998.

MESSIANT, Christine. 'Protestantismes en situation coloniale. Quelles marges?’, Lusotopie 245-256.1998

MUNANGA, Kabengele. Os Basanga de Shaba, Um Grupo Etnico do Zaire. São Paulo: FFLCH/USP, 1986. 334 p.

MUNANGA, Kabengele. Origem e Histórico do Quilombo na África. Revista USP v. 28, p. 56-64, 1995/1996.

NASCIMENTO, Washington Santos. Gentes do Mato: os "novos assimilados" em Luanda. Tese de Doutorado. Faculdade de Filosofia Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo, São Paulo, 2013.

NEVES, António M. S. S. "As Igrejas e o nacionalismo em Angola", Revista Lusófona de Ciência das Religiões, 13-14: 511 - 526, 2008.

RICOEUR, Paul. A memória, a história, o esquecimento. Campinas/SP: Editora da Unicamp, 2007.

THOMAZ, Omar Ribeiro. O bom povo português: usos e costumes d ́aquém e d ́além mar, 04/2001, Mana (Rio de janeiro), Vol. 1, pp.55-88, Rio de Janeiro, 2001.

TOMAS, Cláudio Discursos e práticas alternativas de reconciliação nacional e de construção da nação em Angola: O caso da Igreja Evangélica Congregacional de Angola. Dissertação de mestrado, Lisboa: ISCTE- Instituto Universitário de Lisboa, 2009.

PORTELLI, Alessandro. Forma e significado na História Oral: a pesquisa como um experimento em igualdade. Projeto História, v. 14, p. 7-24, fev. 1997

Downloads

Como Citar

NASCIMENTO, W. S. “Minha mãe me entregou nas mãos do professor para fazer de mim o que quisesse e pudesse”: memórias da educação escolar em Angola. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, SP, v. 14, n. 55, p. 231–249, 2014. DOI: 10.20396/rho.v14i55.8640472. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8640472. Acesso em: 26 maio. 2022.

Edição

Seção

Artigos