Fragmentos da história da educação no Pará no início do século XX: Instituto Gentil Bittencourt, origem, organização e concepções pedagógicas

Autores

  • Celita Maria Paes de Sousa Universidade Federal do Pará

DOI:

https://doi.org/10.20396/rho.v15i62.8640498

Palavras-chave:

Educação feminina. Instituto Gentil Bittencourt. Pará

Resumo

O presente trabalho é parte de uma pesquisa em andamento que investiga a história da educação feminina no Pará, tendo como foco principal a recuperação da história do Instituto Gentil Bittencourt, instituição destinada a atender, prioritariamente, meninas desvalidas da região, como eram identificadas as meninas órfãs e pobres. Nesta pesquisa temos como delimitação o final do século XIX até os primeiros anos do século XX. Sua metodologia consistiu, no levantamento bibliográfico relativo ao período delimitado para abordar a historiografia da educação feminina paraense. Fontes de estudo primárias e secundárias foram pesquisadas na Biblioteca Arthur Viana e no Arquivo Público do Pará, bem como no acervo do Instituto Gentil Bittencourt. O maior tempo do trabalho de consulta foi dedicado à leitura e análise dos documentos oficiais do governo provincial. O estudo revelou a concepção de educação fruto da influência religiosa, moral e política da época.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Celita Maria Paes de Sousa, Universidade Federal do Pará

Professora adjunta da Universidade Federal do Pará.

Referências

AZZI, Riolando (org.). A vida religiosa no Brasil: enfoques históricos. São Paulo: Paulinas, 1983.

FARIA FILHO, Luciano Mendes de. A infância e sua educação: materiais, práticas e representações (Portugal e Brasil). Belo Horizonte: Autêntica, 2004.

FOUCAULT, Michel. Vigiar e punir: nascimento da prisão. 37 ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2009.

FREITAS, Marcos Cezar de. História social da infância no Brasil. 4. ed. São Paulo: Cortez, 2001.

GONDRA, J. G. & SCHUELER, A. Educação, poder e sociedade no império brasileiro. São Paulo: Cortez, 2008.

PARÁ. A Educação no Pará: documentário. Belém: SEDUC, 1987.

PARÁ. Álbum do Pará (1901 – 1909: A. Montenegro). Paris: Chaponet, 1908.

SOUSA, Celita Ma Paes de. Traços de compaixão na história do Pará: instituições para meninos e meninas desvalidas no século XIX até o início do século XX. Tese de doutorado (Educação: currículo). São Paulo, PUC, 2010.

VIANNA, Arthur. A Santa Casa de Misericórdia Paraense: notícias históricas (1650/1902). 1a ed (1906), 2a ed. Belém: SECULT, 1992.

LEVANTAMENTO DAS FONTES PRIMÁRIAS:

a) Impressos de textos legais

PARÁ. MENSAGEM dirigida em 5 de fevereiro de 1900 ao Congresso Legislativo do Pará, pelo José Paes de Carvalho. Governo do Estado do Pará. Belém: Imprensa Oficial do Estado do Pará, 1900.

PARÁ. MENSAGEM dirigida em 1 de fevereiro de 1901 ao Congresso Legislativo do Pará, pelo José Paes de Carvalho. Governo do Estado do Pará. Belém: Imprensa Oficial do Estado do Pará, 1901.

PARÁ. MENSAGEM dirigida em 10 de setembro de 1901 ao Congresso Legislativo do Pará, pelo Augusto Montenegro. Governo do Estado do Pará. Belém: Imprensa Oficial do Estado do Pará, 1901.

PARÁ. MENSAGEM dirigida em 7 de setembro de 1902 ao Congresso Legislativo do Pará, pelo Augusto Montenegro. Governo do Estado do Pará. Belém: Imprensa Oficial do Estado do Pará, 1892.

PARÁ. MENSAGEM dirigida em 7 de setembro de 1903 ao Congresso Legislativo do Pará, pelo Augusto Montenegro. Governo do Estado do Pará. Belém: Imprensa Oficial do Estado do Pará, 1903.

PARÁ. MENSAGEM dirigida em 7 de setembro de 1904 ao Congresso Legislativo do Pará, pelo Augusto Montenegro. Governo do Estado do Pará. Belém: Imprensa Oficial do Estado do Pará, 1904.

PARÁ. MENSAGEM dirigida em 7 de setembro de 1905 ao Congresso Legislativo do Pará, pelo Dr. Lauro Sodré. Governo do Estado do Pará. Belém: Imprensa Oficial do Estado do Pará, 1905.

PARÁ. MENSAGEM dirigida em 7 de setembro de 1906 ao Congresso Legislativo do Pará, pelo Augusto Montenegro. Governo do Estado do Pará. Belém: Imprensa Oficial do Estado do Pará, 1906.

PARÁ. MENSAGEM dirigida em 7 de julho de 1907 ao Congresso Legislativo do Pará, pelo Augusto Montenegro. Governo do Estado do Pará. Belém: Imprensa Oficial do Estado do Pará, 1907.

Downloads

Como Citar

SOUSA, C. M. P. de. Fragmentos da história da educação no Pará no início do século XX: Instituto Gentil Bittencourt, origem, organização e concepções pedagógicas. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, SP, v. 15, n. 62, p. 144–156, 2015. DOI: 10.20396/rho.v15i62.8640498. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8640498. Acesso em: 21 out. 2021.

Edição

Seção

Artigos