Os cadernos de história do estado de São Paulo (2008-2010)

  • Jémerson Quirino de Almeida Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul
  • Carla Villamaina Centeno Unidade Universitária de Campo Grande
Palavras-chave: Ensino de História. Organização do trabalho didático. Manual didático. Cadernos do estado de São Paulo. Feudalismo

Resumo

Este artigo tem por objeto a análise dos Cadernos de História do estado de São Paulo, instrumentos didáticos propostos a partir do ano de 2008, pela Secretaria da Educação/SP. Objetiva, por um lado, apreender as funções que exerceram na relação educativa e, por outro, evidenciar as características dos conteúdos veiculados. Como procedimento metodológico elegeu-se uma temática, o Feudalismo, e foram descritos os conteúdos e atividades relacionados nos Cadernos do 6º ano do ensino fundamental e da 1ª série do ensino médio. Para tanto, incorporou-se a categoria organização do trabalho didático compreendendo-a na perspectiva marxista. Decorrem da análise algumas conclusões: 1) O Feudalismo é exposto aos alunos por meio de pequenos trechos documentais, sobressaindo imagens e mapas; 2) As fontes mais importantes são sugeridas e compreendidas como acessórias não garantindo que estas possam ser centrais ao trabalho didático; 3) Não se evidencia a existência de conceitos diferentes acerca do Feudalismo, encontrando-se, inclusive, simplificações conceituais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jémerson Quirino de Almeida, Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul
Professor no Centro universitário de Jales (Unijales) e na Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS).
Carla Villamaina Centeno, Unidade Universitária de Campo Grande
Professora adjunta do Mestrado Profissional em Educação da Unidade Universitária de Campo Grande, cursos de graduação em Pedagogia e Geografia. 

Referências

AMARAL, Ronaldo. A Antiguidade Tardia nas discussões historiográficas acerca dos períodos de translatio. Alétheia - Revista de estudos sobre Antigüidade e Medievo, volume único, Janeiro/Dezembro de 2008.

ANDERSON, Perry. Passagens da antiguidade ao feudalismo. Trad. TelmaCosta. Ed. 3o. Porto: Afrontamento, 1989.

ALMEIDA, Jémerson Quirino de. O ensino de história da idade média no Brasil: dos compêndios aos Cadernos do estado de São Paulo. 2013. 148f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Programa de Pós-graduação em Educação, Linguagem e Sociedade da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul, Unidade Universitária de Paranaíba, Paranaíba, 2013.

ALVES, Gilberto Luiz. A produção da escola pública contemporânea. 2. ed. Campinas: Autores Associados, 2004.

ALVES, Gilberto Luiz. O trabalho didático na escola moderna: formas históricas. Campinas, SP: Autores Associados, 2005.

ALVES, Gilberto Luiz. Organização do trabalho didático: a questão conceitual. Acta Scientiarum, Education (Online), v. 34, p. 169-178, 2012.

ALVES, Gilberto Luiz. Textos escolares e manuais didáticos comenianos. Texto apresentado na I Jornada de Estudos Sobre a Organização do Trabalho Didático. Campo Grande, 2011.

ALVES, Gilberto Luiz; CENTENO, Carla Villamaina. A produção de manuais didáticos de história do Brasil: remontando ao século XIX e início do século XX. Revista Brasileira de Educação, v. 14, n. 42, p. 469-487, set./dez. 2009.

BARBERO, Arbilio; VIGIL, Marcelo. La formación del feudalismo en la Península Ibérica, Barcelona, 1978.

BARROS, Cesar Mangolin de. O conceito de modo de produção. Disponível em http://cursohumanidades.files.wordpress.com/2010/02/curso-marxismo-aula-o-conceito-de-modo-de-producao-2010-texto-do-prof-cesar-mangolin-de-barros.pdf acesso em 16/set/2012.

BEZERRA NETO, Luiz. BEZERRA, Maria C. dos Santos. JACOMELI, Mara Regina Martins. Currículo Escolar em São Paulo: uma proposta para discussão. Revista educação e Cidadania. Vol. 8, n. 1. jan/jun.2009.

BLOCH, Marc Leopold Benjamin. A Sociedade Feudal. 2a ed. Lisboa: Edições 70, 1987.

BRITO, Silvia Helena Andrade de. O ensino de sociologia e a organização do trabalho didático no Colégio Pedro II (1925-1945). Revista Brasileira de História da Educação, v. 12, p. 95-124, 2012.

CADERNO DO PROFESSOR, 6° ano volume 4. Ensino Fundamental ciclo II, 2009.

CADERNO DO ALUNO, 6°ano volume 4. Ensino Fundamental ciclo II, [200-].

CADERNO DO PROFESSOR, 7°ano volume 1. Ensino Fundamental ciclo II, 2009.

CADERNO DO ALUNO, 7°ano volume 1. Ensino Fundamental ciclo II , [200-]

CADERNO DO PROFESSOR, 1a série volume 4. Ensino Médio, 2009.

CADERNO DO ALUNO, 1a série volume 4. Ensino Médio, [200-].

CASSIANO, Célia Cristina de Figueiredo. O mercado do livro didático no Brasil: da criação do Programa Nacional do Livro Didático (PNLD) à entrada do capital internacional espanhol (1985- 2007). 2007. 252 p. Tese de doutorado – Pós-graduação Educação: História, Política e Sociedade da PUC – SP. São Paulo, 2007.

CENTENO, Carla Villamaina. O manual didático Projeto Araribá História no município de Campo Grande, Revista HISTEDBR On-line, número especial, p. 20-35, mai. 2010- ISSN: 1676-2584.

COMENIUS, Iohannis Amos. Didáctica Magna. Trad. Joaquim Ferreira Gomes. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 2001.

DUBY, Georges. As três ordens ou o imaginário do feudalismo. Trad. Maria Helena Costa Dias. Lisboa: Editorial Estampa, 1994.

Engels, Friedrich. A origem da família, da propriedade privada e do Estado. 17. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2005.

FERNANDES, José Ricardo Oriá. O livro didático e a pedagogia do cidadão: o papel do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro no ensino de História. Revista de História. [13]; João Pessoa, jul./ dez. 2005.

GUERREAU, Alain. Feudalismo. In: GUERREAU, Alain; SCHIMITT, J-C (Coord.). Dicionário Temático do Ocidente Medieval. Bauru: EDUSC; São Paulo: Imprensa Oficial do Estado, 2002. p. 437- 455.

FRANCO JR., Hilário. O Feudalismo. São Paulo: Editora Brasiliense, 1997.

LAJOLO, M. e ZILBERMAN, R. A Formação da Leitura no Brasil. São Paulo: Ática, 1999.

LANCILLOTTI, Samira Saad Pulchério. Manuais de psicologia como instrumentos de trabalho utilizados na formação dos professores paulistas (1920-1940). Cadernos de História da Educação (UFU. Impresso), v. 12, p. 29-44, 2013.

LOMBARDI, José Claudinei. Periodização na História da Educação Brasileira: Aspecto polêmico e sempre provisório Revista HISTEDBR On-line, Campinas, n.32, p.200-209, dez.2008 - ISSN: 1676-2584.

MARES, Josep María Salrach. Europa em La transición de la Antiguedad al Feudalismo: el marco general de la historia y la panorámica de la historiografía relativa al período. VII Semana de Estudios medievales. Nájera, 1997. In: http://dialnet.unirioja.es/servlet/articulo?codigo=554316, Acesso em: 20.12.2014.

MARX, Karl. O capital: Crítica da Economia Política. Vol. I, Tomo I. Coleção os economistas. Trad. Régis Barbosa e Flávio R. Kothe. São Paulo: Abril Cultural, 1983.

MUNAKATA, Kasumi. O livro Didático como mercadoria. Disponível em http://www.scielo.br/pdf/pp/v23n3/04.pdf> acesso em 12/jan/2015.

NOGUEIRA, Isabel Candolo. Betsabéia e os Livros de Horas Medievais. ANPUH – XXV Simpósio Nacional de História – Fortaleza, 2009.

REIS, J. E. Território, legislação e monarquia no reinado de Alfonso X, o Sábio (1252 – 1284). Tese de Doutorado – Faculdade de Ciências e Letras de Assis – Universidade Estadual Paulista. Assis, 2007, 250f. : il.p.12.

SANFELICE, José Luiz. MINTO, Lalo Watanabe. LOMBARDI, José Claudinei. Política e financiamento da Educação em São Paulo. Revista educação e Cidadania. Vol. 8, n. 1. jan/jun.2009.

SEE/SP. Secretaria de Estado da Educação de São Paulo. Proposta Curricular do Estado de São Paulo: História. São Paulo: SEE. 2008.

SOUZA, Ana A. Arguelho de. Manuais didáticos: formas históricas e alternativas de superação. A organização do trabalho didático na história da educação. BRITO, Silvia Helena Andrade de [et al.]. (orgs.). Campinas, SP: Autores Associados: HISTEDBR, 2010.

Publicado
2015-04-19
Como Citar
Almeida, J. Q. de, & Centeno, C. V. (2015). Os cadernos de história do estado de São Paulo (2008-2010). Revista HISTEDBR On-Line, 14(60), 62-77. https://doi.org/10.20396/rho.v14i60.8640548
Seção
Dossiê