Fernando de Azevedo (1894-1974): uma mesma obra e suas várias leituras

  • Silvia Helena Andrade de Brito Universidade Federal de Mato Grosso do Sul
  • Maria Angélica Cardoso Universidade Federal de Mato Grosso do Sul
Palavras-chave: Fernando de Azevedo. Trabalho didático. Escola Nova

Resumo

Intelectual reconhecido por sua verve poderosa, que discutiu os temas mais relevantes da questão educacional e das ciências sociais no Brasil entre os anos 1920 e 1960, Fernando de Azevedo (1894-1974) certamente permite variadas leituras acerca de sua produção. O objeto deste artigo são essas leituras, oriundas de autores dos campos educacional e sociológico, produzidas entre 1979 e 2011. Analisar essas leituras sobre Azevedo, por um lado; e, por outro, fundamentar a necessidade de uma releitura de suas obras, tendo por norte as categorias “trabalho didático” e “organização do trabalho didático”, são os objetivos desse artigo. Para justificar essa proposição, afirme-se que grande parte dos textos analisados volta-se ao estudo das propostas políticas de Fernando de Azevedo, destacando seu papel como reformador e artífice de uma nova educação, para um novo Brasil. Outro tema emergente é a figura do cientista social, voltado à consolidação da sociologia no país. Em função disso, justifica-se a necessidade de examinar-se uma outra faceta de sua obra, presente nos seus compêndios, nos projetos de reforma educacional, nas propostas para a formação tanto dos profissionais da sociologia como da educação, que uma leitura focada na questão do trabalho didático permitirá trazer ao primeiro plano.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Silvia Helena Andrade de Brito, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

Doutora em Filosofia e História da Educação pela UNICAMP, Professora do Programa de Pós-Graduação em Educação e Curso de Ciências Sociais/UFMS e membro do GT MS do HISTEDBR.

Maria Angélica Cardoso, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

Doutora em Filosofia e História da Educação pela UNICAMP, Professora do Curso de Pedagogia/UFMS e

membro do GT MS do HISTEDBR.

Referências

ALVES, G. L. A produção da escola pública contemporânea. Campinas: Autores Associados, 2001.

ALVES, G. L. História da educação: a produção teórica sobre o trabalho didático. In: BRITO, S. H. A. de et al. (Orgs.). A organização do trabalho didático na história da educação. Campinas: Autores Associados; HISTEDBR, 2010. p. 41-59.

ALVES, G. L. O trabalho didático na escola moderna: formas históricas. Campinas: Autores Associados, 2005.

ALVES, G. L. Organização do trabalho didático: a questão conceitual. Acta Scientiarum. Education, Maringá, v. 34, n. 2, p. 169-178, jul./dez. 2012. Disponível em: http://periodicos.uem.br/ojs/index.php/ActaSciEduc/article/view/17180/pdf. Acesso em 15 out. 2014.

ALVES, G. L.; CENTENO, C. V. A produção de manuais didáticos de história do Brasil: remontando ao século XIX e início do século XX. Revista Brasileira de Educação, v. 14, n. 42, p. 469-487, set./dez. 2009.

ARAUJO, J. C. S. Concepções de universidade e de Educação Superior no Inquérito de 1926 de Fernando de Azevedo (1874-1974). Revista Brasileira de História da Educação, v. 17, p. 73-102, 2008.

ARAUJO, J. C. S. Direitos Humanos, Educação e o Escolanovismo de Fernando de Azevedo (1894-1974). In: LOMBARDI, José Claudinei; NASCIMENTO, Maria Isabel; SAVIANI, Dermeval. (Org.). Navegando pela História da Educação Brasileira. Campinas: Grupo de Estudos e Pesquisas "História, Sociedade e Educação no Brasil' (HISTEDBR), 2006. v. 1, p. 1-17

ARAUJO, J. C. S. Entre o universal e o particular: o direito à educação e suas expressões em Fernando de Azevedo (1894-1974). In: MONTEIRO, F. M. de A.; MÜLLER, M. L. R. (Org.). Educação como espaço da cultura. Cuiabá: EdUFMT, 2007. v. 2, p. 95-108.

ARAUJO, J. C. S. O ideário escolanovista n'O Problema Universitário Brasileiro, Inquérito de 1928. In: MIGUEL, M. E. B.; VIDAL, D. G.; ARAUJO, J. C. Reformas Educacionais: as manifestações da Escola Nova no Brasil (1920 a 1946). Campinas: Autores Associados; Uberlândia: EDUFU, 2011b. p. 179-192.

ARQUIVO FERNANDO DE AZEVEDO. Reforma da Instrução Pública no Distrito Federal (RJ) 1927-1930. São Paulo: IEB/USP, cd-rom, 2000.

BRITO, S. H. A. de B. A produção de manuais didáticos e o ensino de Sociologia na escola média em dois momentos históricos (1935-1989). Revista HISTEDBR On-line, v. 37, p. 58-75, 2010.

BRITO, S. H. A. de B. O ensino de sociologia e a organização do trabalho didático no Colégio Pedro II (1925-1945). Rev. bras. hist. educ., Campinas-SP, v. 12, n. 3 (30), p. 95-124, set./dez. 2012.

BRITO, S. H. A. de B. et al. O manual didático como instrumento de trabalho nas escolas secundária e normal (1835-1945). Campo Grande: 2012. Relatório final (Projeto de pesquisa).

CAMARA, S. [Sônia de Oliveira Camara Rangel]. A Reforma Fernando de Azevedo e as Colmeias Laboriosas no Distrito Federal de 1927 a 1930. In: MIGUEL, Maria Elisabeth Blanck; VIDAL, Diana Gonçalves; ARAUJO, José Carlos. Reformas Educacionais: as manifestações da Escola Nova no Brasil (1920 a 1946). Campinas: Autores Associados; Uberlândia: EDUFU, 2011. p. 152-167.

CAMARA, S. Reinventando a Escola: O Ensino Profissional Feminino na Reforma Fernando de Azevedo de 1927 a 1930. Niterói: 1997. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal Fluminense.

CAMARA, S. Reinventando a escola: a reforma Fernando de Azevedo no Distrito Federal de 1927 a 1930. Rio de janeiro: Quartet, 2013.

CARDOSO, M. A. A Organização do Trabalho Didático nas Escolas Isoladas Paulistas: 1893 a 1932. Campinas: 2013. Tese (Doutorado em Educação) – UNICAMP.

CENTENO, C. V. O manual didático Projeto Araribá na história no município de Campo Grande, MS (2008). Revista HISTEDBR On Line, Campinas, número especial, p. 20-35, maio 2010.

EVANGELISTA, O. A Formação do professor em nível superior: o Instituto de Educação da Universidade de São Paulo (1934-1938). São Paulo: 1997. Tese (Doutorado em Educação) – PUC/SP.

EVANGELISTA, O. A formação Universitária do Professor: o Instituto de Educação da Universidade de São Paulo (1934-1938). Florianópolis: NUP; Cidade Futura, 2002.

EVANGELISTA, O.; LIMA, S. L. A. de. Fernando de Azevedo: sociólogo e educador. Florianópolis: Edufsc, 2008.

FERREIRA, M. S. Os Centros de Pesquisas Educacionais do INEP e os estudos em ciências sociais sobre a educação no Brasil. Revista Brasileira de Educação, v. 13, n. 38, p. 279-411, maio/ago. 2008.

GIGLIO, Adriano Carneiro. A Sociologia na Escola Secundária: Uma Questão das Ciências Sociais no Brasil - Anos 40 e 50. Rio de Janeiro: 1999. Dissertação (Mestrado em Sociologia) – Instituto Universitário de Pesquisas do Rio de Janeiro.

HOFF, S. A história da organização do trabalho didático: a palavra e a coisa. In: BRITO, Silvia Helena Andrade de et al. (Orgs.). A organização do trabalho didático na história da educação. Campinas: Autores Associados; HISTEDBR, 2010. p. 177-185.

HOFF, S. Apresentação. In: RATKE, Wolfgang. Escritos sobre A Nova Arte de Ensinar de Wolfgang Ratke (1571-1635): textos escolhidos. Tradução e notas de Sandino Hoff. Campinas: Autores Associados, 2008.

MARZ, K. O capital: crítica da economia política. São Paulo: Boitempo, 2013. livro 1: o processo de produção do capital.

LANCILLOTTI, S. S. P. Manuais de Psicologia – instrumentos de trabalho utilizados na formação dos professores paulistas (1920-1940). Cadernos de História da Educação, v. 12, n. 1, p. 29-44, jan./jun. 2013.

MEKSENAS, Paulo. Sociologia. 2.ed.rev.aum. São Paulo: Cortez, 1994.

MEUCCI, S. A institucionalização da sociologia no Brasil: os primeiros manuais e cursos. Campinas: 2000. Dissertação (Mestrado em Sociologia) – UNICAMP.

MEUCCI, S. Gilberto Freyre e a sociologia no Brasil: da sistematização à constituição do campo científico. Campinas: 2006. Tese (Doutorado em Sociologia) – UNICAMP.

MEUCCI, S. Institucionalização da sociologia no Brasil: primeiros manuais e cursos. São Paulo: Hucitec: Fapesp, 2011.

MIGUEL, M. E. B. A Formação do Professor e a Organização Social do Trabalho. Curitiba: Editora UFPR, 1997.

MIGUEL, M. E. B. A Pedagogia da Escola Nova no Paraná: início, consolidação e expansão do movimento. São Paulo: 1992. Tese (Doutorado em História e Filosofia da Educação) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo.

MIGUEL, M. E. B.; VIDAL, D. G.; ARAUJO, J. C. Reformas Educacionais: as manifestações da Escola Nova no Brasil (1920 a 1946). Campinas: Autores Associados; Uberlândia: EDUFU, 2011.

NASCIMENTO, A. S. Cultura organizacional: cultura brasileira e humanismo na obra de Fernando de Azevedo. Araraquara: 2010. Monografia (Especialização em Governança Pública e Novos Arranjos de Gestão) – UNESP/Araraquara.

NASCIMENTO, A. S. Fernando de Azevedo: dilemas na institucionalização da sociologia no Brasil. Araraquara: 2011. Tese (Doutorado em Sociologia) – UNESP.

NASCIMENTO, A. S. Fernando de Azevedo: dilemas na institucionalização da sociologia no Brasil. São Paulo: Cultura Acadêmica, 2012.

NÚCLEO INTERDISCIPLINAR DE ESTUDOS E PESQUISAS EM HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO [NIEPHE/USP]. Publicações. São Paulo: 2014. Disponível em: http://www.usp.br/niephe/publicacoes/index.asp. Acesso em 08 out. 2014.

PACHECO FILHO, Clovis. Diálogo de Surdos: As Dificuldades para a Construção da Sociologia e de seu Ensino no Brasil (1850 – 1935). São Paulo: 1994. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade de São Paulo.

PENNA, M. L. [Maria Luiza de Oliveira Penna Marques Moreira]. Fernando de Azevedo. Recife: Fundação Joaquim Nabuco; Massangana, 2010. (Coleção Educadores). Disponível em: http://www.dominiopublico.gov.br/download/texto/me4698.pdf. Acesso em 10 out. 2014.

PENNA, M. L. Fernando de Azevedo: educação e mudança social. Brasília: Inep, 1986. (Série grandes educadores, 3).

PENNA, M. L. Fernando de Azevedo: educação e transformação. São Paulo: Perspectiva, 1987.

PERUCCHI, Luciane. Saberes sociológicos nas escolas de nível médio sob a ditadura militar: os livros didáticos de OSPB. Florianópolis: 2009. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal de Santa Catarina.

PILETTI, N. A Reforma Fernando de Azevedo: Distrito Federal, 1927-1930. São Paulo: 1979. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade de São Paulo.

PILETTI, N. A Reforma Fernando de Azevedo: Distrito Federal, 1927-1930. São Paulo: USP, 1982. (Estudos e documentos, 20).

PILETTI, N. Fernando de Azevedo. In: FÁVERO, Maria de Lourdes de Albuquerque; BRITTO, Jader de Medeiros. (Orgs.). Dicionário de Educadores no Brasil: da colônia aos dias atuais. Rio de Janeiro: UFRJ/MEC-Inep, 1999. p. 182-186.

PILETTI, N. Fernando de Azevedo. Revista Estudos Avançados, v. 8, n. 22, p. 181-184, 1994. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0103-40141994000300016&script=sci_arttext. Acesso em 14 ago. 2014.

PILETTI, N. Fernando de Azevedo: a educação como desafio. In: Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira [Inep]. Prêmio grandes educadores brasileiros: monografias premiadas 1986. Brasília: Inep, 1986. p. 25-117. (Grandes educadores, 3).

SARANDY, F. M. S. A sociologia volta à escola: um estudo dos manuais de sociologia para o ensino médio no Brasil. Rio de Janeiro: 2004. Dissertação (Mestrado em Sociologia e Antropologia) – Universidade Federal do Rio de Janeiro.

SARANDY, F. M. S. O debate acerca do ensino de sociologia no secundário, entre as décadas de 1930 e 1950. Ciência e modernidade no pensamento educacional brasileiro. Revista Mediações (UEL), v. 12, p. 67-94, 2007.

SILVA, K. K. D. da. O estado da arte da sociologia no ensino médio: teses, dissertações e artigos de 1990 a 2009. Campo Grande: 2010.

SOARES, Jefferson da Costa. O ensino de sociologia no Colégio Pedro II (1925 – 1941). Rio de Janeiro: 2009. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal do Rio de Janeiro.

SOUZA, A. A. A. de. Manuais didáticos de ensino de Língua e Literatura na modernidade: gênese e desenvolvimento histórico. Revista HISTEDBR On Line, Campinas, número especial, p. 6-19, maio 2010.

SOUZA, A. A. A. de. Ensino de língua e literatura no Brasil do século XIX: o Curso Elementar de Literatura Nacional e as postillas de Rethorica e Poetica utilizados no Imperial Colégio de Pedro II. Cadernos de História da Educação, v. 12, n. 1, p. 15-28, jan./jun. 2013.

SOUZA, R. F. de. Fernando de Azevedo e a reconstrução do sistema educacional de São Paulo em 1933: sentidos e alcances de um projeto de reforma. MIGUEL, Maria Elisabeth Blanck; VIDAL, Diana Gonçalves; ARAUJO, José Carlos. Reformas Educacionais: as manifestações da Escola Nova no Brasil (1920 a 1946). Campinas: Autores Associados; Uberlândia: EDUFU, 2011. p. 337-361.

VIDAL, D. G. (Org.). Na batalha da educação: correspondência entre Anísio Teixeira e Fernando de Azevedo (1929-1971). Bragança Paulista: EDUSF, 2000.

VIDAL, D. G. (Org.). O exercício disciplinado do olhar: livros, leituras e práticas de formação docente no Instituto de Educação do Distrito Federal (1932-1937). São Paulo: 1995. Tese (Doutorado em Educação) - Universidade de São Paulo.

VIDAL, D. G. (Org.). O exercício disciplinado do olhar: livros, leituras e práticas de formação docente no Instituto de Educação do Distrito Federal (1932-1937). Bragança Paulista: EDUSF, 2001.

VIDAL, D. G. (Org.). O Inquérito sobre a Instrução Pública (1926) e as disputas em torno da educação em São Paulo. In: MIGUEL, Maria Elisabeth Blanck; VIDAL, Diana Gonçalves; ARAUJO, José Carlos. Reformas Educacionais: as manifestações da Escola Nova no Brasil (1920 a 1946). Campinas: Autores Associados; Uberlândia: EDUFU, 2011. p. 177-196.

Publicado
2015-04-19
Como Citar
Brito, S. H. A. de, & Cardoso, M. A. (2015). Fernando de Azevedo (1894-1974): uma mesma obra e suas várias leituras. Revista HISTEDBR On-Line, 14(60), 134-157. https://doi.org/10.20396/rho.v14i60.8640552
Seção
Dossiê