Educação do campo e política educacional em debate: apontamentos sobre a formação da classe trabalhadora rural na atualidade

  • Adriana do Carmo de Jesus Universidade Federal de São Carlos
  • Júlia Mazinini Rosa Universidade Federal de São Carlos
  • Maria Cristina dos Santos Bezerra Docente PPGE-UFSCAR
Palavras-chave: Educação do campo. Política educacional. Trabalhadores do campo

Resumo

O presente artigo busca realizar alguns apontamentos a respeito do projeto atual de educação que o Estado brasileiro vem destinando à população trabalhadora do campo, em resposta às demandas dos movimentos sociais ligados à questão agrária. A discussão é feita com base na análise de documentos oficiais norteadores da política educacional para o campo que estão hoje em vigor. Entende-se que as mudanças, ou adaptações, nos projetos de educação são determinadas pelo capital e se colocam no sentido de atender os interesses da classe dominante. Problematizarmos a armadilha ideológica existente na reivindicação da especificidade na educação do aluno do campo, pois se a formação oferecida à criança da classe trabalhadora além de “básica”, ou seja, voltada para a qualificação para o mundo do trabalho, se constituir em uma formação específica, fragmentada, com adaptações curriculares que contemplem o cotidiano, a vida e o trabalho no campo, a escola da classe trabalhadora “se empobrece”, visto que abre mão de garantir a criança seu direito de apropriar-se do conhecimento formal. Deste modo, buscamos alguns elementos para refletir a respeito do argumento que considera que a concepção hegemônica de educação do campo acaba por privar a criança do campo do melhor e mais elaborado conhecimento que a humanidade produziu e acumulou.


Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Adriana do Carmo de Jesus, Universidade Federal de São Carlos
Graduada em pedagogia, Mestre em educação e doutoranda pelo PPGE-UFSCar.
Júlia Mazinini Rosa, Universidade Federal de São Carlos
Bióloga e Mestre em educação.
Maria Cristina dos Santos Bezerra, Docente PPGE-UFSCAR
Professora do Programa de Pós-Graduação em Educação da UFSCAR.

Referências

ANDRADE, Flávio Anício. A formação do “cidadão-trabalhador”: educação e cidadania no contexto do “novo industrialismo”. In: Educação e Política no limiar do século XXI. Editora Autores associados, 2a edição, Coleção Educação Contemporânea. Campinas: 2008.

ARCE, Alessandra. A formação de professores sob a ótica construtivista, primeiras aproximações e alguns questionamento; p. 41-62 In: Sobre o construtivismo: contribuições para uma análise crítica. Newton Duarte (org.). Coleção Polêmicas do nosso tempo. Editora Autores Associados. Campinas: 2000.

ARCE, Alessandra. Lina, uma criança exemplar! Friedrich Froebel e a pedagogia dos jardins-de-infância. Revista Brasileira de Educação, n° 20, maio/jun/jul/ago: 2002.

ARCE, Alessandra. MARTINS, Ligia Mácia. Quem tem medo de ensinar na educação infantil? Em defesa do ato de ensinar. Editora Alínea, Campinas: 2007.

ARROYO, Miguel Gonzales; FERNANDES, Bernardo Mançano. A educação básica e o movimento social do campo. Brasília: Articulação Nacional Por Uma Educação do Campo. Coleção Por Uma Educação Básica do Campo, n. 2. 1999.

BEZERRA NETO, Luiz. Educação do campo ou educação no campo. Revista HISTEDBR On-line, n. 38, p.150-168. Campinas: 2010.

BEZERRA NETO, Luiz; BEZERRA, Maria Cristina dos Santos (organizadores). Educação para o campo em discussão: reflexões sobre o Programa Escola Ativa. 1a edição: 2011.

BRASIL, Pacto Nacional de Alfabetização na Idade Certa. Brasília: 2012.

BRASIL. MEC. Diretrizes Operacionais para a Educação Básica nas Escolas do Campo. Resolução CNE/CEB, 1/abril/2002.

BRASIL. MEC. Referências para uma política nacional de educação do campo: caderno de subsídios. Brasília, DF: 2003. 40 p.

CALDART, Roseli Salete. Sobre a educação do Campo. In: Clarice dos Santos (Org.). Educação do Campo: Campo- políticas públicas –educação. Brasília: Incra; MDA, Brasil: 2008.

CALDART, Roseli Salete.Educação do campo: notas para uma análise de percurso. Trabalho, Educação e Saúde, Rio de Janeiro, v. 7, n.1, p. 35-64, mar/jun. 2009.

DI PIERRO, Maria Clara; ANDRADE, Marcia Regina. Escolarização em assentamentos no estado de São Paulo: uma análise da Pesquisa Nacional de Educação na reforma Agrária 2004. Revista Brasileira de Educação, v. 14, n° 41, maio/ago: 2009.

DUARTE, Newton. Sobre o construtivismo: contribuições para uma análise crítica. Coleção Polêmicas do nosso tempo. Editora Autores Associados. Campinas: 2000.

DUARTE, Newton. A pesquisa e a formação de intelectuais críticos na Pós-graduação em Educação. Revista Perspectiva, v. 24, n.1, p. 89-110, jan/jun. 2006. Florianópolis: 2006.

DUARTE, Newton. Pela superação do esfacelamento do currículo realizado pelas pedagogias relativistas. 2008. Disponível em http://www.nre.seed.pr.gov.br/cianorte/arquivos/File/PEDAGOGAS/CURRICULO/PELASUPERACODOESFACELAMENTODOCURRICULOREALIZADOPELASPEDAGOGIASRELATIVISTASNewtonDuarte.pdf> Acessado em julho/2013.

DUARTE, Newton. Lukács e Saviani: a ontologia do ser social e a pedagogia histórico-crítica. In: SAVIANI, Dermeval; DUARTE, Newton (Orgs.); Pedagogia histórico-critica e luta de classes na educação escolar. editora Autores associados, p. 37-57. Campinas: 2012.

DUARTE, Newton. A individualidade para si. 3 ed. Campinas: Autores Associados, 2013. 254 p.

HIDALGO, Angela Maria; MELLO, Cláudio José de Almeida. Reflexões sobre as diretrizes curriculares para a educação do campo do Paraná: pragmatismo, literatura e engajamento. Revista Ibero-americana de Educação, p. 1-13, n. 59/3, 15 jul. 2012.

IANISKI, Gicéli Maria. A criança e seu espaço na sociedade contemporânea. IX Congresso Nacional de Educação – EDUCERE; III Encontro Sul Brasileiro de Psicopedagogia – PUCPR. UniCentro: 2009.

KOLLING, Edgar Jorge; CERIOLI, Paulo Ricardo; CALDART, Roseli Salete. Educação do campo: identidade e políticas públicas. Brasília: Articulação nacional Por Uma Educação do Campo. Coleção Por Uma Educação do Campo, n. 4. 2002.

KOLLING, Edgar Jorge; NERY, Irmão Israel José; MOLINA, Mônica Castagna. Por uma educação básica do campo (memória). Brasília: Articulação nacional Por Uma Educação do Campo. Coleção Por Uma Educação do Campo, n. 1. 1999.

LOMBARDI, José Claudinei. Educação e ensino na obra de Marx e Engels. Editora Alínea, Campinas: 2011.

MARTINS, Lígia Márcia. As aparências enganam: divergências entre o materialismo histórico dialético e as abordagens qualitativas de pesquisa. Grupo de Trabalho: Filosofia da Educação; Núcleo de Estudos e Pesquisa em Educação Infantil (NEPEI), Unesp: 2009.

MARTINS, Lígia Márcia. PASQUALINI, Juliana Campregher. A Educação Infantil em busca de identidade: análise crítica do binômio “cuidar-educar” e da perspectiva anti-escolar em Educação Infantil. Revista Psicologia da Educação, n° 27, 2° semestre, PP.71-100. São Paulo: 2008.

MARX, Karl. Manuscritos Económico-Filosóficos. Tradução Artur Morão, Editora Edições 70, Lisboa: 1963.

MARX, Karl. O Capital. Edição resumida por Julian Borchardt, tradução de Ronaldo Alves Schmidt, 5a edição, Biblioteca de Ciências Sociais; Editora Zahar, Rio de Janeiro: 1978.

MARX, Karl. Textos sobre educação e ensino. Editora Moraes. São Paulo: 1983.

MARX, Karl. ENGELS, Friedrich. La ideologia alemana. Montevideo: Pueblos Unidos; Barcelona: 1974.

MEC. Referência para uma política nacional de educação do campo: caderno de subsídio/coordenação: RAMOS, Marise N., MOREIRA, Telma M. SANTOS, Clarice A. S. – Brasília: Secretaria de Educação Média e Tecnológica, Grupo Permanente de Trabalho de Educação do Campo. Brasília: 2004.

MOLINA, Mônica. A constitucionalidade e a justicialidade do direito à educação dos povos do campo. In: SANTOS, C. A. dos. Educação do campo, políticas públicas, educação. Brasília: INCRA/MDA/NEAD, 2008.

NEVES, Lúcia Maria Wanderley. Determinantes das mudanças no conteúdo das propostas educacionais no Brasil dos anos 90: período Itamar Franco. In: Educação e Política no limiar do século XXI. Editora Autores associados, 2a edição, Coleção Educação Contemporânea. Campinas: 2008.

OLIVEIRA, Ariovaldo. A longa marcha do campesinato brasileiro: movimentos sociais, conflitos e Reforma Agrária. Estudos Avançados, vol. 15, no 43. 2001. P. 185-206.

PISTRAK, Mikhail. Fundamentos da escola do trabalho. Tradução de Daniel Aarão Reis Filho; Editora Expressão Popular, São Paulo: 2000.

SAVIANI, Demerval. O trabalho como princípio educativo frente às novas tecnologias. In: FERRETI, Celso J. et al (org.). Novas tecnologias, trabalho e educação: um debate multidisciplinar. Editora Vozes, Rio de Janeiro: 1996.

SAVIANI, Demerval. Aspectos históricos e ontológicos da relação trabalho e educação, Revista Brasileira de Educação v. 12 n. 34 jan./abr: 2007.

SAVIANI, Demerval. Escola e Democracia. Coleção Polêmicas do Nosso Tempo. Editora Autores Associados, Campinas: 2009.

SAVIANI, Demerval. Marxismo, Educação e Pedagogia. In: SAVIANI, Dermeval; DUARTE, Newton (Orgs.); Pedagogia histórico-critica e luta de classes na educação escolar. editora Autores associados, p. 59-85. Campinas: 2012.

Publicado
2015-04-18
Como Citar
Jesus, A. do C. de, Rosa, J. M., & Bezerra, M. C. dos S. (2015). Educação do campo e política educacional em debate: apontamentos sobre a formação da classe trabalhadora rural na atualidade. Revista HISTEDBR On-Line, 14(60), 200-214. https://doi.org/10.20396/rho.v14i60.8640555
Seção
Artigos