Notas sobre a reforma pombalina da instrução em Portugal e na América portuguesa

  • Alberto Damasceno Universidade Federal do Pará
Palavras-chave: História da educação. Portugal oitocentista. reforma pombalina da instrução. Grão-Pará

Resumo

Com base em estudos sobre a educação no período dos oitocentos, este artigo defende que a reforma pombalina da instrução tem suas origens localizadas historicamente a partir da nomeação, por ordem régia datada de 1751, do Governador e Capitão-general do Estado do Grão-Pará e Maranhão, Francisco Xavier de Mendonça Furtado, meio irmão do Marquês de Pombal, para residir em Belém do Pará, o que provocou acontecimentos que deflagraram a ordem da Corte, de extinguir do Império e suas colônias, a Companhia de Jesus e instituir escolas para os índios sob direção laica, no momento da transformação das aldeias em vilas e ensaio da administração preconizada no Diretório de 1757.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Alberto Damasceno, Universidade Federal do Pará
Professor da educação básica até 1992 quando ingressou como docente de nível superior na UFPA. Foi assessor da Secretaria Municipal de Educação de São Paulo na gestão de Paulo Freire. Na UFPA coordenou o Programa de Alfabetização de Jovens e Adultos; a Assessoria de Assuntos Comunitários e, em duas oportunidades, dirigiu o Departamento de Apoio Didático Científico da Pró-Reitoria de Ensino de Graduação e a diretoria de Assistência e Integração Estudantil da Pró-Reitoria de Extensão. Foi Secretário de Estado de Assistência e Desenvolvimento Social do Pará. Graduado em Arquitetura pela Universidade Federal do Pará, especialista em Educação e Problemas Regionais pela UFPA, mestre em Educação Escolar Brasileira pela Universidade Federal de Goiás e doutor em Educação pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Professor Associado III da Universidade Federal do Pará, coordena o Grupo de Estudos em Educação em Direitos Humanos e o Observatório Amazônico da Criança e do Adolescente

Referências

ANDRADE, António Alberto Banha de. A reforma pombalina dos estudos secundários no Brasil. São Paulo: EDUSP/Saraiva, 1978.

ANDRADE, António Alberto Banha de. Contributos para a história da mentalidade pedagógica portuguesa. Lisboa: Imprensa Nacional - Casa da Moeda, 1982.

AZEVEDO, João Lúcio d’. Estudos de história paraense. Belém: SECULT, 1994 [1893] (Série Lendo o Pará, vol. 19).

CARVALHO, Laerte Ramos de. As reformas pombalinas da instrução pública. São Paulo, Saraiva / EDUSP, 1978.

CARVALHO, Rómulo. História do ensino em Portugal. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 1986.

CASTAN, Yves; LEBRUN, François e CHARTIER, Roger. Figuras da Modernidade. In: CHARTIER, Roger e ARIÈS, Philippe. (orgs.). História da vida privada, 3: da Renascença ao Século das Luzes. São Paulo: Companhia das Letras, 1991.

CRUZ, Guilherme Braga de. Direitos e deveres do Estado na educação. Lisboa: 1952

DECRETO de 28 de junho de 1759. In: Decretos e leys de D. José, o I – 1750-1762.

DIAS, Manuel Nunes. Fomento e mercantilismo: A Companhia Geral do Grão-Pará e Maranhão (1755-1778). Belém: UFPa, 1970.

FALCON, Francisco José Calasãs. A época pombalina: política econômica e monarquia ilustrada. São Paulo: Ática, 1982.

GOMES, Joaquim Ferreira. Para a história da educação em Portugal: seis estudos. Porto: Porto Editora, 1995.

MACHADO, Lia Osório. Mitos e realidades da Amazônia brasileira no contexto geopolítico internacional (1540-1912). 2 vol. Tese de Doutorado. Barcelona: Departamento de Geografia Humana da Universidade de Barcelona, junho de 1989. (mimeo.).

MAXWELL, Kenneth R. A devassa da devassa. A inconfidência mineira: Brasil-Portugal - 1750-1808.Rio de janeiro: Paz e Terra, 1995.

MAXWELL, Kenneth R. Marquês de Pombal: paradoxo do iluminismo. Rio de Janeiro, 1996.

MENDONÇA, Marcos Carneiro de. O pensamento da metrópole portuguêsa em relação ao Brasil. Separata da revista do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro. Vol. 257 - outubro/dezembro - 1962. Rio de Janeiro: IHGB, 1963.

NOVAIS, Fernando. Portugal e Brasil na crise do antigo sistema colonial (1777-1808). 2a ed.. São Paulo: Hucitec, 1983.

PORTUGAL, Alvará régio de 02 de agosto de 1750, dispõe sobre a nomeação de Sebastiao José de Carvalho e Melo como ministro.

SARAVAIA, José Hermano. História de Portugal. Mem Martins: Publicações Europa-América, 1993.

Publicado
2015-04-18
Como Citar
Damasceno, A. (2015). Notas sobre a reforma pombalina da instrução em Portugal e na América portuguesa. Revista HISTEDBR On-Line, 14(60), 346-362. https://doi.org/10.20396/rho.v14i60.8640565
Seção
Artigos