Banner Portal
Notas sobre a reforma pombalina da instrução em Portugal e na América portuguesa
PDF

Palavras-chave

História da educação. Portugal oitocentista. reforma pombalina da instrução. Grão-Pará

Como Citar

DAMASCENO, Alberto. Notas sobre a reforma pombalina da instrução em Portugal e na América portuguesa. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, SP, v. 14, n. 60, p. 346–362, 2015. DOI: 10.20396/rho.v14i60.8640565. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8640565. Acesso em: 27 maio. 2024.

Resumo

Com base em estudos sobre a educação no período dos oitocentos, este artigo defende que a reforma pombalina da instrução tem suas origens localizadas historicamente a partir da nomeação, por ordem régia datada de 1751, do Governador e Capitão-general do Estado do Grão-Pará e Maranhão, Francisco Xavier de Mendonça Furtado, meio irmão do Marquês de Pombal, para residir em Belém do Pará, o que provocou acontecimentos que deflagraram a ordem da Corte, de extinguir do Império e suas colônias, a Companhia de Jesus e instituir escolas para os índios sob direção laica, no momento da transformação das aldeias em vilas e ensaio da administração preconizada no Diretório de 1757.

https://doi.org/10.20396/rho.v14i60.8640565
PDF

Referências

ANDRADE, António Alberto Banha de. A reforma pombalina dos estudos secundários no Brasil. São Paulo: EDUSP/Saraiva, 1978.

ANDRADE, António Alberto Banha de. Contributos para a história da mentalidade pedagógica portuguesa. Lisboa: Imprensa Nacional - Casa da Moeda, 1982.

AZEVEDO, João Lúcio d’. Estudos de história paraense. Belém: SECULT, 1994 [1893] (Série Lendo o Pará, vol. 19).

CARVALHO, Laerte Ramos de. As reformas pombalinas da instrução pública. São Paulo, Saraiva / EDUSP, 1978.

CARVALHO, Rómulo. História do ensino em Portugal. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 1986.

CASTAN, Yves; LEBRUN, François e CHARTIER, Roger. Figuras da Modernidade. In: CHARTIER, Roger e ARIÈS, Philippe. (orgs.). História da vida privada, 3: da Renascença ao Século das Luzes. São Paulo: Companhia das Letras, 1991.

CRUZ, Guilherme Braga de. Direitos e deveres do Estado na educação. Lisboa: 1952

DECRETO de 28 de junho de 1759. In: Decretos e leys de D. José, o I – 1750-1762.

DIAS, Manuel Nunes. Fomento e mercantilismo: A Companhia Geral do Grão-Pará e Maranhão (1755-1778). Belém: UFPa, 1970.

FALCON, Francisco José Calasãs. A época pombalina: política econômica e monarquia ilustrada. São Paulo: Ática, 1982.

GOMES, Joaquim Ferreira. Para a história da educação em Portugal: seis estudos. Porto: Porto Editora, 1995.

MACHADO, Lia Osório. Mitos e realidades da Amazônia brasileira no contexto geopolítico internacional (1540-1912). 2 vol. Tese de Doutorado. Barcelona: Departamento de Geografia Humana da Universidade de Barcelona, junho de 1989. (mimeo.).

MAXWELL, Kenneth R. A devassa da devassa. A inconfidência mineira: Brasil-Portugal - 1750-1808.Rio de janeiro: Paz e Terra, 1995.

MAXWELL, Kenneth R. Marquês de Pombal: paradoxo do iluminismo. Rio de Janeiro, 1996.

MENDONÇA, Marcos Carneiro de. O pensamento da metrópole portuguêsa em relação ao Brasil. Separata da revista do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro. Vol. 257 - outubro/dezembro - 1962. Rio de Janeiro: IHGB, 1963.

NOVAIS, Fernando. Portugal e Brasil na crise do antigo sistema colonial (1777-1808). 2a ed.. São Paulo: Hucitec, 1983.

PORTUGAL, Alvará régio de 02 de agosto de 1750, dispõe sobre a nomeação de Sebastiao José de Carvalho e Melo como ministro.

SARAVAIA, José Hermano. História de Portugal. Mem Martins: Publicações Europa-América, 1993.

Revista HISTEDBR On-line utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto.

Downloads

Não há dados estatísticos.