As primeiras experiências do movimento da matemática moderna no colégio de São Bento do Rio de Janeiro

Bruno Alves Dassie, Letícia Maria Ferreira da Costa, João Bosco Pitombeira Fernandes de Carvalho

Resumo


Apresentam-se resultados da pesquisa sobre as primeiras experiências do Movimento da Matemática Moderna no Colégio de São Bento do Rio de Janeiro. A partir de 1968, o Colégio de São Bento do Rio de Janeiro adotou como metodologia de ensino da disciplina Matemática a desenvolvida por George Papy. Notou-se que o colégio aderiu às propostas de Papy obtendo resultados positivos por mais de três décadas. A análise dessa experiência é feita sobretudo a partir de um considerável acervo escolar datado da década de 1970. Descrevem-se os conteúdos abordados pelo colégio, bem como a análise de como se deu o movimento no colégio – sua implantação, suas dificuldades e justificativas apresentadas pelo introdutor de Papy no colégio, Dom Ireneu Penna.


Palavras-chave


Movimento da Matemática Moderna. Colégio de São Bento. George Papy

Texto completo:

PDF

Referências


BRITTO, L. P. Scipione di Pierro Neto e sua proposta para o ensino da geometria na Coleção Curso Colegial Moderno. Dissertação de Mestrado Profissionalizante, Centro das Ciências Exatas e Tecnologias, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, 2008.

CHERVEL, A. História das disciplinas escolares: reflexões sobre um campo de pesquisa. Teoria e Educação, Porto Alegre, n. 2, 1990, p. 177-229.

COLAÇO, W. S. Movimento da matemática moderna aos tempos atuais: uma análise de livros didáticos sobre explicitação e exploração das propriedades de operações. Dissertação de Mestrado Profissionalizante, Departamento de Ensino de Ciências, Universidade Estadual da Paraíba, 2010.

DOBROWOLSKI, E. N. Implantação da matemática moderna na década de 1960 e 1970 no município de Pato Branco - PR. Dissertação de Mestrado, Departamento de Educação, Pontifícia Universidade Católica do Paraná, 2011.

DUARTE, A. R. S. Matemática e educação matemática: a dinâmica de suas relações ao tempo do movimento da matemática moderna no Brasil. Tese de Doutorado, Departamento de Educação Matemática, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, 2007.

FIETTA, L. C. Dienes e os guias curriculares de Matemática de São Paulo na década de 1970: um estudo sobre as influências. Dissertação de Mestrado, Departamento de Educação Matemática, Universidade Bandeirante de São Paulo, 2010.

FRANÇA, D. M. A. A produção oficial do Movimento da Matemática Moderna para o ensino primário do estado de São Paulo (1960-1980). Dissertação de Mestrado, Departamento de Educação Matemática, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, 2007.

FRAZÃO, A.; NOUGUÉ, C. Colégio de São Bento do Rio de Janeiro: 150 anos de história, 1858-2008. Rio de Janeiro, Ed. Letra Capital, 2008.

GVIRTZ, S. El discurso escolar a través de los cuadernos de clase. Argentina (1930-1970). Buenos Aires: Eudeba, 1999.

MATOS, J.M.; VALENTE, W.R. (Orgs.) A Matemática Moderna nas escolas do Brasil e de Portugal: primeiros estudos. São Paulo: GHEMAT, 2007. (Eds.) A reforma da Matemática Moderna em contextos ibero-americanos. Lisboa: UIED, 2010.

MOSTEIRO DE SÃO BENTO. Pedras Vivas. Revista dos oblatos seculares do Mosteiro de São Bento do Rio de Janeiro. Ano XI. Novembro-Dezembro 2008. No. 47.

PAPY, G. Mathématique Moderne. Bruxelas: Didier,1968. 2V. 1967. 1V.

PRADO, L. A. Educação. Ajudar a pensar, sim. Conscientizar, não. Rio de Janeiro: Agir, 1991.

SANTANDER, C. V. B. O trabalho do professor Sylvio Nepomuceno, ajudando a reconstituir a história da educação matemática ao tempo de influência do Movimento da Matemática Moderna. Dissertação de Mestrado Profissionalizante, Centro das Ciências Exatas e Tecnologias, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, 2008.

SOARES, F.S. O movimento da Matemática moderna no Brasil: avanço ou retrocesso. Dissertação de Mestrado, Departamento de Matemática, Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, 2001.

VILLELA, L.M.A. GRUEMA – Uma Contribuição para História da Educação Matemática no Brasil. Tese de Doutorado, Departamento de Educação Matemática, Universidade Bandeirante de São Paulo, 2009.

VIÑAO, A. Os cadernos escolares como fonte histórica: aspectos metodológicos e historiográficos. In MIGNOT, A. C. V. (Org). Cadernos à vista: escola, memória e cultura. Rio de Janeiro: EdUERJ, 2008. pp. 15-33.

Fontes primárias

COM QUANTOS MÉTODOS se faz uma didática à brasileira. O Globo, Rio de Janeiro, 10 nov. 1974. Educação, p. 26.

DOM IRENEU Pena confirma as suas denúncias. O Globo, Rio de Janeiro, 05 de setembro de 1968, Segundo Caderno, p. 3.

FERNANDES, C. A. P. [Org.] Dom Ireneu nos fala sobre a “Matemática Moderna”. O Leão, Rio de Janeiro, abr-mai 1968. Gente importante. p. 3.

FREI IRENEU acha que os estudantes devem apreciar a Matemática. O Globo, Rio de Janeiro, 26 ago 1969. Educação, p. 13.

PENNA, I. Entrevista. Boletim da Associação de Pais e Mestres do Colégio de Aplicação, 3 de março de 1968. [Circular]. Rio de Janeiro [para] Pais ou responsáveis por alunos da 1a série ginasial do Colégio São Bento. 3f. Tem por fim prestar contas e dar alguns esclarecimentos sobre a introdução do novo método de ensino de Matemática no Colégio. [1967 - 1970].




DOI: https://doi.org/10.20396/rho.v14i60.8640566

Métricas do Artigo

Carregando métricas...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Revista HISTEDBR On-line

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

(c) Rev. HISTEDBR On-line, Campinas (SP) - ISSN 1676-2584.