Banner Portal
Trabalho e educação na nova ordem capitalista: inovação técnica, qualificação e precarização
PDF

Palavras-chave

Inovação Tecnológica. Trabalho. Qualificação. Precarização

Como Citar

PREVITALI, Fabiane Santana; FAGIANI, Cílson César. Trabalho e educação na nova ordem capitalista: inovação técnica, qualificação e precarização. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, SP, v. 15, n. 65, p. 58–72, 2015. DOI: 10.20396/rho.v15i65.8642696. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8642696. Acesso em: 15 jun. 2024.

Resumo

O artigo analisa a relação entre trabalho e educação, em particular o processo de inovação tecnológica e as demandas do mercado para requisitos de maior qualificação da força de trabalho. A pesquisa está em andamento e corresponde à tese de pós-doutoramento e de doutoramento dos autores respectivamente. A metodologia utilizada é a revisão de literatura, análise de documentos oficiais, como os fornecidos pela OCDE e OIT, e dados estatísticos de fontes oficiais europeias e dos Estados Unidos a partir dos anos 1990. Os resultados são ainda parciais e apontam para o crescimento da classe trabalhadora no mundo capitalista, com destaque nos países da comunidade europeia e Estados Unidos ao longo da década de 1990 e início do século XXI. No entanto, tal crescimento encontra-se assentado em relações laborais cujas características prevalecentes são a qualificação profissional e o emprego flexível acompanhado de achatamento salarial.

https://doi.org/10.20396/rho.v15i65.8642696
PDF

Referências

ANTUNES, R. A Classe Trabalhadora Hoje e a Nova Morfologia do Trabalho: informalidade, infoproletariado, imaterialidade e valor, In: Varela, R. (coord). A Segurança Social é Sustentável. Lisboa: Bertrand Editora. 2013. p. 337-362.

ANTUNES, R. Os Sentidos do Trabalho. São Paulo: Boitempo. 2002.

APPLE COMPUTER COMPANY STATISTICS. (2014). Disponível em: http://www.statisticbrain.com/apple-computer-company-statistics/. Acesso: 13 Jan. 2014.

BIHR, A. Da Grande Noite à Alternativa: o movimento operário europeu em crise. São Paulo: Boitempo. 1988.

BRAVERMAN, H. Trabalho e Capital Monopolista. Rio de Janeiro: Zahar. 1981.

CADASTRO GERAL DE EMPREGADOS E DESEMPREGADOS (CAGED) DO MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO. Disponível em: http://www.mte.gov.br. Acesso: 08 Jan. 2014.

CARTER et al. They can’t be the buffer any longer’: front-line managers and class relations under white collar lean production. Capital & Class. Vol. 38. N. 2. 2014. p. 323–343. Disponível em: http://cnc.sagepub.com/content/38/2/323. Acesso: 25 Mar. 2014.

COGGIOLA, O; MARTINS, J. Dinâmica Da Globalização: Mercado Mundial E Ciclos Econômicos (1970-2005). UFSC. 2006. Disponível em: http://arnobiorocha.com.br/wp-content/uploads/2012/02/livrocoggiolamartins.pdf. Acesso:13 Fev. 2014.

,7% DO TRABALHO NO LUXEMBURGO É A TEMPO PARCIAL. CONTACTO, 9/05/ 2014. Disponível: http://www.wort.lu/pt/economia/eurostat-18-7-do-trabalho-no-luxemburgo-e-a-tempo-parcial-536cc7d8b9b3988708026045 . Acesso: 14 Mai. 2014

FREEMAN, C.; PEREZ, C. Structural Crises of Adjustment, Business Cycles and Investiment Behaviour, In: DOSI et al (Eds). Technical Change and Economic Theory. London: Pinter Publishes. 1988.

GLOBAL EMPLOYMENT TRENDS FOR YOUTH 2013: A generation at risk / International Labour Office ‐ Geneva: ILO, 2013. Disponível em: http://www.ilo.org/global/research/global-reports/global-employmenttrends/youth/2013/lang--en/index.htm. Acesso: 23 Jan. 2014.

GLOBAL ESTIMATE OF FORCED LABOUR. Annual Report ILO (2012). Disponível em: www.ilo.org/forcedlabour. Acesso: 5 Jan. 2014.

GRANEMANN, S. Fundações Estatais: Projeto De Estado Do Capital. Disponível em: http://dceufpr.files.wordpress.com/2008/08/fundacoes-sara-granemann.pdf . Acesso em: 15 Abr. 2014.

HARVEY, D. Condição Pós-Moderna. São Paulo: Edições Loyola. 1992.

HARVEY, D. O Enigma do Capital: as crises do capitalismo. São Paulo: Boitempo. 2011.

HAYEK, F. O Caminho da Servidão. (E-book). 6a. Edição. Disponível em: http://www.mises.org.br/files/literature/O%20CAMINHO%20DA%20SERVID%C3%83O%20-%20WEB.pdf. Acesso: 10 Jan. 2012.

INTRODUCTION TO ISS. Disponível em:http://www.issworld.com/en/about-iss/introduction-to-iss/fact-sheet. Acesso: 18 Jan. 2014.

INTERNATIONAL LABOUR OFFICE (ILO). Global Employment Trends 2014. http://www.ilo.org/wcmsp5/groups/public/---dgreports/---dcomm/---publ/documents/publication/wcms_233953.pdf . Acesso: 16. Jan. 2014.

KUENZER, A. Z. Educação profissional: categorias para uma nova pedagogia do trabalho. Disponível em: http://www.senac.br/ BTS/252/boltec252b.htm. 2003. Acesso: 10 Fev. 2011.

MACIEL, R. M.; PREVITALI, F. S. Impacto das Políticas Públicas do Trabalhador da Educação na Rede Estadual de Ensino de Patos de Minas / MG em 2011. Revista Labor. vol. 1, n. 6. p. 326-343. 2011.

MANDEL, E. O Capitalismo Tardio. Coleção Os Economistas. São Paulo: Abril Cultural. 1985.

MARX, K. Manuscritos econômicos e filosóficos de 1844. Tradução Jesus Ranieri. São Paulo: Boitempo. 2010.

MARX, K. O Capital. Livro 1. São Paulo: Boitempo. 2013.

MAZZUCATO, M.; PEREZ, C. Innovation as Growth Policy: the challenge for Europe. Working Paper Series. SWPS 2014 - 13. 10 de Julho, 2014. P. 1-21. Disponível em: https://www.sussex.ac.uk/webteam/gateway/file.php?name=2014-13-swps-mazzucato-perez.pdf&site=25 . 2014. Acesso: 20 Julh. 2014.

MILKMAN, R. Farewell to the Factory: auto workers in the late twentieth century. Los Angeles: University of California Press, Barkeley. 1997.

NUMBER OF EMPLOYEES IN THE US SINCE 1990. Disponível em: http://www.statista.com/statistics/192384/number-of-employees-in-the-us-since-1990. Acesso: 15 Jan. 2014.

NUMBER OF EMPLOYEES IN US FAST FOOD RESTAURANTS SINCE 2002. Disponível em: http://www.statista.com/statistics/196630/number-of-employees-in-us-fast-food-restaurants-since-2002/. Acesso: 15 Jan. 2014.

NUMBER OF EMPLOYEES IN US MANUFACTURING SINCE 1990. Disponível em http://www.statista.com/statistics/184562/number-of-employees-in-us-manufacturing-since-1990. Acesso: 10 Jan. 2014.

NUMBER OF PART TIME EMPLOYEES IN THE US SINCE 1990. Disponível em: http://www.statista.com/statistics/192338/number-of-part-time-employees-in-the-us-since-1990. Acesso: 12 Jan. 2014.

OCDE INDICATORS. Disponível em: http://www.oecd.org/edu/eag2013%20(eng)--FINAL%2020%20June%202013.pdf. Acesso: 12 Jan. 2014.

PAÍSES EMERGENTES REÚNEM MAIOR NÚMERO DE DOMÉSTICAS. Disponível em: http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2013/04/130404_oit_emergentes_fl.shtml. Acesso: 15 Jan. 2014.

PERCENTAGE OF EMPLYOYEES RESPRESENTED BY UNIONS IN THE US SINCE 2000. Disponível em: http://www.statista.com/statistics/195341/percentage-of-emplyoyees-respresented-by-unions-in-the-us-since-2000/. Acesso: 10 Jan. 2014.

PEREZ, C. Technological revolutions and techno-economic paradigms, Cambridge Journal of Economics. vol. 34, n.1, p. 185-202. 2010. Disponível em: http://cje.oxfordjournals.org/content/34/1/185 . Acesso: 10 Nov. 2013.

PEREZ, C. Technological revolution and financial capital: the dynamics of bubbles and golden ages. London: Cheltenham/Elgar. 2002.

PIORE, M.; SABEL, C. The Second Industrial Divide - possibilities for prosperity. New York: Basic Books. 1984.

PORDATA AMBIENTE DE CONSULTA. Disponível em: http://www.pordata.pt/Portugal/Ambiente+de+Consulta/Tabela. Acesso: 18 Jan. 2014.

PORTUGAL: NÚMERO DE TRABALHADORES A RECIBOS VERDE NA ADMINISTRAÇÃO CENTRAL AUMENTA 68,3%. Disponível em: http://www.diarioliberdade.org/portugal/laboral-economia/43198-portugal-n%C3%BAmero-de-trabalhadores-a-recibos-verde-na-administra%C3%A7%C3%A3o-central-aumenta-68,3.html. Acesso: 16 Jan. 2014.

PREVITALI, F. S.; MORAIS, S. P.; FAGIANI, C. C. Ethanol workers in Brazil: the other side of wealth. Workers of the World, vol. 1, n. 3, p. 227-245. 2013.

PREVITALI, F. S.; FARIA, A. F. Reestruturação produtiva e novas formas de controle no local de trabalho: a experiência da indústria de fumo em Uberlândia-MG. Antíteses. vol. 1, n. 1. p. 95-117. 2008.

QATAR WORLD CUP MIGRANT WORKES DEAD. Disponível em: http://www.theguardian.com/global-development/2013/sep/26/qatar-world-cup-migrant-workers-dead. Acesso: 18 Jan. 2014.

THOMPSON. P. The capitalist labour Process: concepts and connections. and connections. Capital & Class, vol. 34, n. 1. 2010. p. 7 – 14. Disponível em: http://www.izt.uam.mx/sotraem/Bibliografia/Thompsonthecapitalist.pdf . Acesso: 04 Fev. 2010.

TOMANEY, J. A. New paradigm of Work Organization and Technology?, In: AMIN, A (Org). Post-Frodism. Oxfrod: Blackwell. 1990. p. 05-28.

VARELA, R. Ruptura e Pacto Social em Portugal (1974 – 2012), In: PREVITALI, F. S. (Org). Novos Contornos do Trabalho, Educação e Alienação no Século XXI. São Paulo: Xamã. 2013. p. 49 - 70.

WOMACK et al. The Machine that Changed the World. New York: Rawson Associates. 1990.

Revista HISTEDBR On-line utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto.

Downloads

Não há dados estatísticos.