A ideologia do acesso aberto: o fetichismo da tecnologia na educação a distância e a diversificação da universidade

Autores

  • Alberico Francisco do Nascimento Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Maranhão

DOI:

https://doi.org/10.20396/rho.v15i65.8642700

Palavras-chave:

Políticas neoliberais. Fetichismo. Educação a distância

Resumo

Aborda-se a ofensiva neoliberal e a inserção das novas tecnologias de informação e de comunicação na área educacional e sua centralidade na formatação da universidade e da educação a distância a partir da LDB Nº 9.394/96. Trata-se de pesquisa bibliográfica cujo objetivo é demonstrar como o estado capitalista brasileiro através da aplicação do receituário neoliberal e de uma operação fetichista da tecnologia tem promovido a reconfiguração do formato da universidade brasileira e construído um modelo de “Universidade Organização”. Discute-se a inserção da educação a distância na universidade, destacando os seguintes modelos de gestão que decorrem desse cenário: Universidade Aberta, Mista e os Consórcios de universidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Alberico Francisco do Nascimento, Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Maranhão

Professor adjunto do Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Maranhão – IFMA Campus São Luís - Monte Castelo. Membro do Grupo de Estudos e Pesquisas História, Sociedade e Educação no Brasil – HISTEDBR, GT MA. E-mail: alberico@ifma.edu.br.

Referências

ABBAGNANO, Nicola. Dicionário de Filosofia. São Paulo: Martins Fontes, 2000.

BRASIL. Lei n. 9.394/96, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Brasil, 1996.

BRAGA, R. A restauração do capital. São Paulo. Xamã, 1996.

BELLONI, Maria Luiza. Educação a Distância, Campinas, Editora Autores Associados, 2003.

BRUNNER, J. J. Educação no encontro com as novas tecnologias. In:

TEDESCO, C. J. Educação e novas tecnologias: esperança ou incerteza? São Paulo: Cortez; Buenos Aires: Instituto Internacional de Planejamento de la Educacion; Brasília: UNESCO, 2004.

DOURADO, L. F.; CATANI, A. M.; OLIVEIRA, J. F. DE. (Orgs.) Políticas e gestão da educação superior: transformações recentes e debates atuais. São Paulo: Xamã; Goiânia; Alternativa, 2003.

FEENBERG, A. “A filosofia da tecnologia numa encruzilhada”. 1999. [Tradução de Newton Ramos de Olieira] Disponível em: htpp//WWW.Rohan.sdsu.edu/faculty/feenberg. Acessado em: 24 de jan de 2015.

GRESPAN, Jorge Luis da Silva. O negativo do capital: o conceito de crise na crítica de Marx à economia política. São Paulo: Hucitec, 1998.

HARVEY, D. Condição Pós-Moderna. São Paulo: Loyola, 1992.

KATZ, Claúdio (Org). Novas tecnologias: crítica da atual reestruturação produtiva. São Paulo: Xamã, 1995.

LOJKINE, Jean. A revolução informacional. São Paulo Cortez, 2002.

MARX, Karl. O capital: crítica da economia política: Livro I: O processo de produção do capital. 16. ed. Tradução Reginaldo Sant’Anna. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, v. 2, 1998.

MARX, Karl; ENGELS, Friedrich. O manifesto do partido comunista. Porto Alegre: L&PM, 2001.

MÉSZÁROS, I. Para além do capital: rumo a uma teoria da transição. Tradução de Paulo César Castanheira e Sergio Lessa. São Paulo: Boitempo: Edinicamp, 2002.

NUNES, Ivônio Barros. Noções de Educação a Distância. In: Revista Educação a Distância, Brasília, Instituto Nacional de Educação a Distância, rev. INED/UnB-CEAD, 03 (04/05) pp.07-25, Dez./93-Abr/94.

ROMERO, Daniel. Marx e a técnica: um estudo dos manuscritos de 1861 – 1863. São Paulo: Expressão popular, 2005.

SALAMA, Pierre. MATHIAS, Gilberto. O Estado superdesenvolvido: ensaios sobre a intervenção estatal e sobre as formas de dominação no capitalismo contemporâneo. São Paulo, Editora Brasiliense, 1983.

SILVA, Ilse Gomes. Democracia e participação na “reforma” do estado. São Paulo, Cortez, 2003.

SOARES, Laura Tavares. Os custos sociais do ajuste neoliberal na América Latina. São Paulo, Cortez, 2002.

SILVA, Maria Ozanira da Silva e. (coord.) Avaliação de políticas e programas sociais: teoria e prática. São Paulo: Veras, 2001.

TRINDADE, Armando. Fundamentos da Educação a Distância: panorama conceitual da educação e do treinamento a distância. Trad. José Geraldo Campos Trindade. In: Distance Education for Europe. 2ed. Lisboa: Universidade Aberta , 1992.

Downloads

Publicado

2015-12-14

Como Citar

NASCIMENTO, A. F. do. A ideologia do acesso aberto: o fetichismo da tecnologia na educação a distância e a diversificação da universidade. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, SP, v. 15, n. 65, p. 113–127, 2015. DOI: 10.20396/rho.v15i65.8642700. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8642700. Acesso em: 17 out. 2021.

Edição

Seção

Artigos