Banner Portal
Omnilateralidade e as concepções burguesas de educação integral
PDF

Palavras-chave

Educação Integral. Omnilateralidade. Individualidade para-si

Como Citar

SILVA, Paulo Aparecido Dias da. Omnilateralidade e as concepções burguesas de educação integral. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, SP, v. 15, n. 65, p. 218–227, 2015. DOI: 10.20396/rho.v15i65.8642706. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8642706. Acesso em: 29 maio. 2024.

Resumo

O trabalho tem por objetivo discutir, a partir de uma pesquisa bibliográfica, o conceito de omnilateralidade na perspectiva marxista em contraposição às concepções burguesas de educação integral difundidas no âmbito da educação básica brasileira. A partir dos aportes teóricos de Marx e Engels (1987; 2004; 2007), Saviani (2010; 2013), Duarte (1999; 2008; 2010), Pistrak (2003; 2009) e Lombardi (2010) busca-se demonstrar os limites das concepções burguesas de educação integral tendo em vista a não consideração dos determinantes sociais e econômicos no interior do modo de produção capitalista que impedem o livre desenvolvimento da individualidade humana e impossibilitam a apropriação dos conhecimentos produzidos historicamente pela humanidade por todos os indivíduos. Desta forma, a educação no âmbito da sociedade capitalista, está reduzida a uma formação unilateral objetivando reproduzir o estado de coisas vigente nesta mesma sociedade. No entanto, cabe destacar que esse processo ocorre de forma contraditória tem em vista que a apropriação de conhecimentos científicos no interior do modo de produção capitalista possibilita a intervenção revolucionária na realidade.

https://doi.org/10.20396/rho.v15i65.8642706
PDF

Referências

BOMENY, H. A escola no Brasil de Darcy Ribeiro. MAURÍCIO, L. V. (Org.). Educação integral e tempo integral. Em Aberto. Brasília, v. 22, n. 80, p. 1-165. Abr. 2009.

CAVALIERE. A. Educação Integral: uma nova identidade para a escola brasileira? In: Educ. Soc., Campinas, vol. 23, n. 81, p. 247-270, dez. 2002.

CAVALIERE. A. Anísio Teixeira e a educação integral. Paidéia, v. 20, n. 46, p. 249-259, maio-ago. 2010.

COELHO. L. M. C. da C. Educação integral: Concepções e práticas na educação fundamental. In: 27 aReunião Anual da ANPEd, 2004, Caxambu. Sociedade, democracia e educação: qual universidade? Caxambu: 2004.

DUARTE, N. A individualidade para-si: contribuições a uma teoria histórico-social da formação do indivíduo. 2. ed. Campinas, SP: Autores Associados, 1999.

DUARTE, N. Relações entre ontologia e epistemologia e a reflexão filosófica sobre o trabalho educativo. In: Sociedade do conhecimento ou sociedade das ilusões?: quatro ensaios crítico-dialéticos em filosofia da educação. I reimpressão. Campinas, SP: Autores Associados, 2008.

DUARTE, N. SAVIANI, D. A formação humana na perspectiva histórico-ontológica. Revista Brasileira de Educação. Set/Dez. 2010 v. 15 n. 45.

LOMBARDI, J. C. Reflexões sobre educação e ensino na obra de Marx e Engels. 377 f. Tese (livre docência) – Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Educação. Campinas, SP: [s.n.], 2010.

MANACORDA, M. A. Marx e a pedagogia moderna. Tradução de Newton Ramos de Oliveira; revisão técnica de Paolo Nosella; prefácio de Dermeval Saviani. São Paulo: Cortez & Autores Associados, 1991.

MARX, K.; ENGELS, F. Cartas filosóficas e o manifesto comunista de 1848. São Paulo: Moraes, 1987.

MARX, K.; ENGELS, F. Textos sobre educação e ensino. Tradução de Rubens Eduardo Frias. São Paulo: Centauro, 2004.

MARX, K.; ENGELS, F. A ideologia alemã: crítica da mais recente filosofia alemã em seus representantes Feuerbach, B. Bauer e Stirner, e do socialismo alemão em seus diferentes profetas (1845-1846). Supervisão editorial, Leandro Konder; tradução, Rubens Enderle, Nélio Schneider, Luciano Cavini Martorano. São Paulo: Boitempo, 2007.

PISTRAK, M. M. Fundamentos da escola do trabalho. São Paulo: Expressão popular, 2003.

PISTRAK, M. M. A escola-comuna. São Paulo: Expressão popular, 2009.

SAVIANI, D. A pedagogia histórico-crítica, as lutas de classe e a educação escolar. Germinal: Marxismo e Educação em Debate, Salvador, v. 5, n. 2, p. 25-46, dez. 2013.

SILVA, J. A. de A. da; SILVA, K. N. P. da. Educação integral no Brasil de hoje. Recife: CRV, 2012.

TEIXEIRA, A. Educação para a democracia. Rio de Janeiro: UFRJ, 1997.

TENÓRIO, A. F.; SCHELBAUER, A. R. A defesa pela educação integral na obra de Anísio Teixeira. Disponível em: http://www.histedbr.fe.unicamp.br/acer_histedbr/jornada/jornada7/_GT1%20PDF/A%20DEFESA%20PELA%20EDUCA%C7%C3O%20INTEGRAL%20NA%20OBRA%20DE%20AN%CDSIO.pdf. Acesso em: 10 set. 2014.

Revista HISTEDBR On-line utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto.

Downloads

Não há dados estatísticos.