O lugar da educação física no campo: reflexões sobre a ofensiva capitalista e suas estratégias de dominação do corpo

Autores

  • Aline Nunes IFMA
  • Adelaide Coutinho IFMA
  • Raffaelle Andressa dos Santos Araújo Doutoranda em Educação (UECE), Mestre em Educação (UFMA), integrante do GEPPEF, professora de Educação Física do IFMA.

DOI:

https://doi.org/10.20396/rho.v15i65.8642708

Palavras-chave:

Capitalismo. Trabalho. Educação. Corpo

Resumo

Este trabalho trata das fundamentações teóricas da sociedade capitalista e suas implicações ao corpo do trabalhador, em especial ao trabalhador do campo, a cultura corporal e seus significados como conteúdo da disciplina Educação Física nos cursos ofertados pelo PRONERA (Programa Nacional de Educação na Reforma Agrária). Trata-se da ampliação da discussão da temática que integrou uma dissertação de mestrado em educação concluída. Portanto, esse estudo procura situar o objeto em sua historicidade e tem como objetivo fazer reflexões sobre o processo constitutivo do corpo e suas interfaces com as categorias trabalho, educação e capitalismo. Para tanto, considera a ofensiva capitalista um sistema que garante o processo de desumanização do homem através de suas estratégias de exploração e dominação do corpo. Como resistência a esse modo de produção, os movimentos sociais e o PRONERA buscam romper com a educação rural e legitimar uma educação de qualidade, que contemple todas as disciplinas curriculares e ressignificando o corpo do trabalhador do campo. Tem como referencial teórico o Materialismo Histórico Dialético; e entre as referências fundamentais para o estudo destacam-se Marx (1993; 2006), Bröhm (2007) e Coletivo de Autores (1992).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Aline Nunes, IFMA

Mestre em Educação (UFMA), integrante do Grupo de Estudos e Pesquisa Pedagógica em Educação Física (GEPPEF), professora de Educação Física do IFMA.

Adelaide Coutinho, IFMA

Doutora em Educação (UFRN), integrante do NEPHECC e professora da UFMA.

Referências

BRAZ, Marcelo; NETTO, José Paulo. Economia política: uma introdução crítica. 2. ed. São Paulo: Cortez, 2007.

BRÖHM, Jean-Marie. “Depois de mim, o dilúvio!”: imagens da morte e da negação do corpo em Marx. In: NÓVOA, Jorge (Org). Incontornável Marx. Salvador: Edufba; São Paulo: Unesp, 2007.

COLETIVO DE AUTORES. Metodologia do ensino de educação física. São Paulo, Cortez, 1992.

DAOLIO, Jocimar. Da cultura do corpo. Campinas: Papirus, 2007. (Coleção Corpo e Motricidade).

ESCOBAR, Micheli Ortega. Cultura Corporal na escola: tarefas da Educação Física. Motrivivência, Florianópolis, v. 8, n. 8, dez. 1995.

HIDALGO, Angela Maria. De “educação para a responsabilização individual” para “educação e consciência de classe”. In: ORSO, Paulino José, GONÇALVES, Sebastião Rodrigues e MATTOS, Valci Maria. Educação e luta de classes. São Paulo: Expressão popular, 2008.

MARX, Karl; ENGELS, Friedrich. A ideologia alemã: Feuerbach – a contraposição entre as cosmovisões materialista e idealista. São Paulo: Martin Claret, 2006.

MARX, Karl; ENGELS, Friedrich. A ideologia alemã: Feuerbach. São Paulo: Editora Hucitec, 1993.

Downloads

Publicado

2015-12-14

Como Citar

NUNES, A.; COUTINHO, A.; ARAÚJO, R. A. dos S. O lugar da educação física no campo: reflexões sobre a ofensiva capitalista e suas estratégias de dominação do corpo. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, SP, v. 15, n. 65, p. 242–251, 2015. DOI: 10.20396/rho.v15i65.8642708. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8642708. Acesso em: 17 out. 2021.

Edição

Seção

Artigos