Trabalho, vida rural e educação

Autores

  • Ana Elizabeth Santos Alves Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia

DOI:

https://doi.org/10.20396/rho.v16i70.8649214

Palavras-chave:

Trabalho e educação. Comunidades rurais. Divisão sexual do trabalho.

Resumo

O artigo discute a centralidade do trabalho e da educação na vida de moradores de comunidades rurais, especialmente de mulheres, em narrativas acerca de ações e relações no grupo familiar apreendidas nas contradições históricas da realidade brasileira. Foram realizadas observações exploratórias e entrevistas com 23 grupos familiares, em 2012 - 2013, no município de Planalto, na Bahia.  Utilizou-se, como fonte de dados empíricos, para a análise apresentada neste texto, a história de vida de uma das mulheres entrevistadas, representativa do conjunto do universo investigado. O enfoque teórico orientou-se pela compreensão do trabalho, da divisão sexual do trabalho e da educação como fenômenos sociais e históricos, articulados com o processo de acumulação capitalista. Observou-se o ciclo de vida familiar na sua inter-relação com as categorias de análise, mediadas pela narrativa de uma história de vida.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Elizabeth Santos Alves, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia

Professora Plena do DFCH/UESB e docente do Programa de Pós-Graduação em Memória: LInguagem e Sociedade (UESB). Doutora em Educação pela UFBA. Coordenadora dos grupos de estudos e pesquisas História, Trabalho e Educação do Museu Pedagógico.

Referências

ALVES, Ana Elizabeth S. O trabalho e a educação de mulheres em comunidades rurais: práticas de reprodução social. In: BATISTA, Eraldo Leme; MULLER, Meire Terezinha. (Org.). A Educação profissional no Brasil: história, desafios e perspectivas para o século XXI.Campinas, São Paulo: Editora Alínea, 2013, v. 1, p. 235-256.

ALVES, Ana Elizabeth S.; ALMEIDA, Miriam Cléa Coelho. A centralidade do trabalho na determinação da mobilidade territorial dos trabalhadores. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, no 55, p. 250-266, mar, 2014 Disponível em: http://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/viewFile/8640473/8032. Acesso em: 01/03/2014.

ALVES, Ana Elizabeth S.; ANDRADE, Daiane S.; SILVA, Rosely S.; NOVAES, Viviane A. Entrelaçando lutas pela vida: trabalho e educação de mulheres de comunidades rurais. In: Anais... XI Colóquio Nacional e IV Colóquio Internacional do Museu Pedagógico, 2015, Vitória da Conquista. Anais do Colóquio do Museu Pedagógico. Vitória da Conquista: Edições UESB, 2015. v. 11. p. 3331-3342.

BOTTOMORE, Tom. Dicionário do Pensamento Marxista. 2 ed. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 1988.

BRUSCHINI, Cristina. Uma abordagem Sociológica de Família. Revista Brasileira de Estudos Populacionais. S.P., V.6, n.1, p. 1-23, 1989. Disponível em em: https://www.rebep.org.br/revista/article/view/562. Acesso em: 01/08/2013.

CUNHA, Tania Rocha A.; ALVES, Ana Elizabeth S. Educação e violência nas relações de gênero: reflexões na família, no casamento e na mulher. Em Aberto, v.27, p. 69-88, jul./dez.2014. Disponível em:http://emaberto.inep.gov.br/index.php/emaberto/article/viewFile/2447/2404. Acesso em: 01/08/2014.

CORRÊA, Marisa. Repensando a Família Patriarcal Brasileira. In: ARANTES, A.A. et al. Colcha de retalhos: estudos sobre a família no Brasil. 3. ed. Campinas, SP: Editora da Unicamp, 1994. p. 15- 42.

CURY, Carlos Roberto J. ALGUNS APONTAMENTOS LEGAIS EM TORNO DA ÉTICA NA PESQUISA. Revista História e Perspectivas, Uberlândia, n.52, p. 39-50, jan./jul. 2015 Disponível em: http://www.seer.ufu.br/index.php/historiaperspectivas/article/view/30958/16901.Acesso em: 05/01/2017.

DIAS, Wilson. Agricultura familiar abastece o mercado interno e mantém empregos no campo. Entrevista. Bahia análise de dados. Salvador, v. 24, n. 2, p.223-228, abr./jun. 2014. Disponível em: http://www.sei.ba.gov.br/images/publicacoes/sumario/aed/sumario_a&d_agricultura_familiar.pdf. Acesso em: 05/01/2017.

EVANGELISTA, Janete; MACHADO, Lucília. EDUCAÇÃO. In: MACHADO, Lucília; FIDLAGO, Fernando (Org.). Dicionário da educação profissional. Belo Horizonte: Núcleo de Estudos sobre trabalho e educação, 2000.p.118.

FERRARO, Alceu Ravanello. Alfabetização Rural no Brasil na Perspectiva das Relações Campo-Cidade e de Gênero. Revista Educação e Realidade, Porto Alegre, v. 37, n. 3, p. 943-967, set./dez. 2012. Disponível em: www.ufrgs.br/edu_realidade. Acesso em: 20/01/2017.

FERREIRA, Aurélio B. de Holanda. Dicionário da Língua Portuguesa, 1975. p. 499.

FRIGOTTO, Gaudêncio; CIAVATTA, Maria. Trabalho como princípio educativo. In: CALDART, Roseli S. et al. (Org.). Dicionário da Educação do Campo. 2 ed. R.J, S.P.: Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio, Expressão Popular, 2012. p. 748-753.

KERGOAT, Danièle. Divisão sexual do trabalho e relações sociais de sexo. In: HIRATA, Helena; et al. (Org.). Dicionário crítico feminino. São Paulo: Editora Unesp, 2009, p. 67-76.

HEYDORN, Heinz-Joachim. Elementos de uma Teoria da Educação. Revista Tempo Brasileiro – Revista de Cultura, n 17/18, 1968.

HIRATA, Helena. Nova divisão sexual do trabalho? Um olhar voltado para a empresa e a sociedade. São Paulo: Boitempo Editorial, 2002.

HIRATA, Helena; ZARIFIAN, Philippe. Trabalho (o conceito de). In: HIRATA, Helena et al. (Org.). Dicionário crítico feminino. São Paulo: Editora Unesp, 2009, p. 251-255.

IBGE. Cidades. (2003). Disponível em: http://www.ibge.gov.br/cidadesat/topwindow.htm?1. Acesso em: 01/09/2012.

IVO, Anete Brito L. Viver por um fio: pobreza e política social. São Paulo: Annablume; Salvador: CRH/UFBA, 2008.

LAVINAS, Lena; CODO, Barbara; VEIGA, Alinne. Bolsa Família: impacto das transferências de renda sobre a autonomia das mulheres pobres e as relações de gênero. Revista Latinoamericana de Población, Ano 6, n. 10, jan/ Jun,2012. p. 31-56. Disponível em: http://revistarelap.org/ojs/index.php/relap/article/view/37. Acesso em 01/11/2017.

MAIA, Cláudia J. Reprodução social camponesa. Rio Grande do Sul. Revista Mulher e Trabalho. v.4, 2004. Disponível em: http://www.fee.tche.br/sitefee/download/mulher/2004/artigo6.pdf. Acesso em: 01/09/2010.

MANFREDI, S. Mª. Qualificação e educação: reconstruindo nexos e inter-relações. In: SAUL, A. M.; FREITAS, J.C. (Org.). Políticas Públicas de qualificação: desafios atuais. SP: A+Comunicação, 2007. p. 9-36.

MARTINS, José de Souza. A valorização da escola e do trabalho no meio rural. In: MARTINS, José de Souza. Capitalismo e Tradicionalismo. S.P.: Biblioteca Pioneira de CiênciasSociais, 1975; p.83-100.

MARTINS, José de Souza A vida privada nas áreas de expansão da sociedade brasileira. In: NOVAIS, Fernando A.; SCHWATCZ, Lila Martiz. História da vida privada (vol 4). S.P.: Companhia das Letras, 1998. p. 659-726.

MARTINS, José de Souza. Exclusão social e a nova desigualdade. S.P.: Paulus, 2012.

MARTINS, José de Souza. Cultura e educação na roça, encontros e desencontros. Revista USP, São Paulo, n.64, p. 28-49, dezembro/fevereiro 2004-2005. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/revusp/issue/view/1065. Acesso em: 15/01/2014.

MARX, K. O Capital - Crítica da Economia Política. Tradução de Regis Barbosa e Flávio R. Kothe. 2. ed. São Paulo: Nova Cultural, 1985. v. 1. (Coleção “Os economistas”)

MÉSZÁROS, István. A educação para além do capital. Tradução de Isa Tavares. São Paulo: Boitempo, 2005.

MOTA, Dalva M. da; SCHMITZ, Heribert. Sobre a pertinência da categoria rural para análise do social. In: SCHMITZ, Heribert. Agricultura familiar: Extensão rural e Pesquisa Participativa. S.P: Annablume, 2010.p. 93-106.

NASCIMENTO, Carlos Alves do. Pluriatividade, Pobreza Rural e ServiçoDoméstico Remunerado. Revista de Economia. Sociologia Rural [online], v. 42, nº 02, p. 341-364, abr/jun, 2004. Disponivel em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-20032004000200008. Acesso em: 15/01/2017.

PAULILO, Maria Ignez S. O peso do trabalho leve. Revista Ciência Hoje, v.5, n.28, p. 64-70, jan/fev, 1987.

Plano de Desenvolvimento do Subterritório Povo Unido. Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional – CAR. Secretaria de Desenvolvimento e Integração Regional – SEDIR. Bahia, 2008.

QUEIROZ, Maria Isaura Pereira de. Relatos Orais: do “indizível” ao “ dizível” . In: SIMSON, Olga Moraes Von. Experimentos com Histórias de Vida (Itália-Brasil). São Paulo: Vértice, 1988. p. 14-43.

RIBEIRO, Marlene. Educação Rural. In: CALDART, Roseli S. et al (Org.). Dicionário da Educação do Campo. 2 ed. R.J, S.P.: Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio, Expressão Popular, 2012. p. 293-299.

SCHNEIDE, Sergio; NIEDERLE, Paulo André. Agricultura familiar e teoria social: a diversidade das formas familiares de produção na agricultura. In: FALEIRO, Fábio Gelape; FARIAS NETO, Austeclínio Lopes. (Org.). Savanas: Desafios e Estratégias para o Equilíbrio entre Sociedade, Agronegócio e recursos naturais. Planaltina, DF: Embrapa Cerrados, 2008. p.989-1014. Disponível em: https://www.embrapa.br/busca-de-publicacoes/-/publicacao/570974/savanas-desafios-e-estrategias-para-o-equilibrio-entre-sociedade-agronegocio-e-recursos-naturais. Acesso em: 10/08/2016.

SILVA, José Graziano da.Desenvolvimento Rural: Velhos e novos mitos do rural brasileiro. Revista Estudos Avançados, v. 15, n;43, S.P., set/dez. p. 1-4, 2001. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-40142001000300005&lng=pt&nrm=iso Acesso em: 08/10/2014.

SILVEIRA, Ivana Teixeira. Sociedade, educação e família. Aprender – Caderno de Filosofia e Psicologia da Educação. V.C., BA, ano IV, n.7, p.149-172, 2006.

THOMPSON, Edward. P. Tempo, disciplina de trabalho e o capitalismo industrial. In: THOMPSON, Edward. P. Costumes em comum: estudos sobre a cultura popular tradicional. São Paulo: Companhia das Letras, 2010. p. 267-304.

VÈRGES, Armando Bartra. Os novos camponeses: Leituras a partir do México profundo. Tradução M. Angélica Pandolfi. S.P.: Cultura Acadêmica; Cátedra Unesco de Educação do Campo e Desenvolvimento Rural, 2011.

WANDERLEY, Mª de Nazareth Baudel. Raízes Históricas do campesinato brasileiro. XX Encontro Anual da ANPOCS. GT 17. Processos Sociais Agrários. Anais... Caxambu, MG, out, 1996. Disponível em: http://www.reformaagrariaemdados.org.br/sites/default/files/Ra%C3%ADzes%20Historicas%20do%20Campesinato%20Brasileiro%20-%20Maria%20de%20Nazareth%20Baudel%20Wanderley%20-%201996.pdf. Acesso em: 10 set. 2012.

WANDERLEY, M. de Nazareth Baudel. O mundo rural como um espaço de vida: reflexões sobre a propriedade da terra, agricultura familiar e ruralidade. Porto Alegre: UFRGS, 2009.

WEBER, M. Economia e Sociedade. Brasília: UNB, 1994.

Downloads

Publicado

2017-05-07

Como Citar

ALVES, A. E. S. Trabalho, vida rural e educação. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, SP, v. 16, n. 70, p. 163–177, 2017. DOI: 10.20396/rho.v16i70.8649214. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8649214. Acesso em: 2 out. 2022.

Edição

Seção

Dossiê

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 > >>