Banner Portal
Imprensa especializada em educação: em destaque o periódico A Instrucção Publica (1872-1875)
PDF

Palavras-chave

História da educação. Imprensa especializada em educação. A Instrucção Publica. Império.

Como Citar

LIMA, Sara Talitiane Viana Machado Leandro de; MACHADO, Maria Cristina Gomes; BORGES NETTO, Mario. Imprensa especializada em educação: em destaque o periódico A Instrucção Publica (1872-1875). Revista HISTEDBR On-line, Campinas, SP, v. 18, n. 2, p. 367–384, 2018. DOI: 10.20396/rho.v18i2.8652187. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8652187. Acesso em: 28 maio. 2024.

Resumo

A pesquisa investiga o periódico especializado em educação A Instrucção Publica, criado por José Carlos Alambary Luz e publicado entre 1872 e 1875, no Rio de Janeiro. O periódico se apresentava com o objetivo de identificar os problemas da instrução pública brasileira e propor soluções para a sua organização. Entre os temas veiculados no periódico destacam-se as publicações sobre a organização da instrução pública, com enfoque a formação de professores e os métodos de ensino. A imprensa especializada constitui importante fonte para a história da educação, por apresentar os debates travados pelos diversos grupos. No caso do periódico em estudo, constituiu importante espaço para divulgação de conteúdo educacional, em um período em que a imprensa se constituía como um dos principais veículos de divulgação das proposições dos homens que se envolviam na organização da sociedade, e, consequentemente, da instrução pública.

https://doi.org/10.20396/rho.v18i2.8652187
PDF

Referências

A INSTRUCÇÃO PUBLICA. Rio de Janeiro: Typographia Cinco de Março, n. 1, 1872a.

A INSTRUCÇÃO PUBLICA. Rio de Janeiro: Typographia Cinco de Março, n. 2, 1872b.

A INSTRUCÇÃO PUBLICA. Rio de Janeiro: Typographia Cinco de Março, n. 4, 1872c.

A INSTRUCÇÃO PUBLICA. Rio de Janeiro: Typographia Cinco de Março, n. 5, 1872d.

A INSTRUCÇÃO PUBLICA. Rio de Janeiro: Typographia Cinco de Março, n. 6, 1872e.

A INSTRUCÇÃO PUBLICA. Rio de Janeiro: Typographia Cinco de Março, n. 19, 1872f.

A INSTRUCÇÃO PUBLICA. Rio de Janeiro: Typographia Cinco de Março, n. 27, 1872g.

A INSTRUCÇÃO PUBLICA. Rio de Janeiro: Typographia Cinco de Março, n. 28, 1872h.

A INSTRUCÇÃO PUBLICA. Rio de Janeiro: Typographia Cinco de Março, n. 3, 1873.

A INSTRUCÇÃO PUBLICA. Rio de Janeiro: Typographia Cinco de Março, n. 52, 1874.

ALMEIDA, J. R. P. de. História da Instrução Pública no Brasil (1500-1889): história e legislação. Trad. Antonio Chizzotti. São Paulo, SP: EDUC; Brasília, DF: INEP/MEC, 1989.

BASTOS, M. H. C. Apêndice – A imprensa periódica educacional no Brasil: de 1808 a 1944. In: CATANI, D. B.; BASTOS, M. H. C. (Org.). Educação em revista: a imprensa periódica e a história da educação. São Paulo: Escrituras, 2002. p. 173-187.

BRASIL. Diretoria Geral de Estatística. Relatório dos trabalhos estatísticos apresentados Ilm° Exm° Sr. Conselheiro Dr. José Bento da Cunha Figueiredo, Ministro e Secretário de Estado dos Negócios do Império pelo Diretor Geral conselheiro Manoel Francisco Correia, em 31 de dezembro de 1876. Rio de Janeiro, Tipografia de Hipólito José Pinto, 1877.

CALVI, L. M. As transformações sociais e a instrução pública: uma análise dos projetos reforma educacional e dos relatórios ministeriais de 1868 a 1879 no Brasil. 2003. 160 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Programa de Pós-graduação em Educação, Universidade Estadual de Maringá, Maringá, 2003.

DIÁRIO DO RIO DE JANEIRO. Rio de Janeiro: Typografia do Diario do Rio de Janeiro, n. 102, 1872.

GONDRA, J. G.; SCHUELER, A. F. M. Educação, poder e sociedade no império brasileiro. São Paulo, SP: Cortez, 2008.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA – IBGE. Repertório Estatístico do Brasil: quadros retrospectivos. Rio de Janeiro: IBGE, 1986.

KUHLMANN JUNIOR, M. A educação infantil no século XIX. In: STEPHANOU, M.; BASTOS, M. H. C. (Org.). Histórias e memórias da educação no Brasil: século XIX. 2. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2006. p. 68-77. v. 2.

MACHADO, M. C. G. O decreto de Leôncio de Carvalho e os pareceres de Rui Barbosa em debate: a criação da escola para o povo no Brasil no século XIX. In: STEPHANOU, M.; BASTOS, M. H. C. (Org.). Histórias e memórias da educação no Brasil: século XIX. 2. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2006. p. 91-115. v. 2.

MACHADO, M. C. G. O papel educativo da imprensa na formação do cidadão republicano brasileiro: a atuação de Rui Barbosa e José Veríssimo. História & Perspectivas, Uberlândia, n. 38, p. 213-235, 2008.

MACHADO, M. C. G. Rui Barbosa: pensamento e ação. Campinas, SP: Autores Associados; Rio de Janeiro, RJ: Fundação Casa Rui Barbosa, 2002.

MACHADO, M. C. G.; CARVALHO, C. H. Intelectuais, educação e imprensa: perspectivas teórico-metodológicas à História da Educação. In: CONGRESSO LUSO-BRASILEIRO DE HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO, 11., 2016, Porto. Anais ... Porto: COLUBHE; Faculdade de Letras da Universidade do Porto, 2016. p. 743-755.

MACHADO, M. C. G.; RODRIGUES, E. Conversas sobre fontes. In: GONDRA, J. G.; MACHADO, M. C. G.; SIMÕES, R. H. S. (Org.). História da educação, matrizes interpretativas e internalização. Vitória, ES: EDUFES, 2017. p. 253-271.

REVISTA PEDAGÓGICA. Rio de Janeiro: Classica de Alves & C., 1892. n. 18.

SCHELBAUER, A. R. Idéias que não se realizam: o debate sobre a educação do povo no Brasil de 1870 a 1914. Maringá, PR: EDUEM, 1997.

SCHUELER, A. F. M. de. Representações da docência na imprensa pedagógica na Corte imperial (1870-1889): o exemplo da Instrução Pública. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 1, n. 3, p. 379-390, set./dez. 2005.

VILLELA, H. O. S. Da palmatória a lanterna mágica: a Escola Normal da Província do Rio de Janeiro entre o artesanato e a formação profissional (1868-1876). 2002. 343 f. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Estadual de São Paulo, São Paulo, 2002.

VILLELA, H. O. S. O mestre-escola e a professora. In: LOPES, E. M. T.; FARIA FILHO, L. M.; VEIGA, C. G. (Org.). 500 anos de Educação no Brasil. 3. ed. 1. reimp. Belo Horizonte, MG: Autentica, 2007. p. 95-134.

Revista HISTEDBR On-line utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto.

Downloads

Não há dados estatísticos.