A extensão universitária: contribuições da Universidade Federal de São Carlos/UFSCAR para as relações étnico-raciais

Palavras-chave: Extensão universitária. UFSCar. Relações étnico-raciais.

Resumo

Este artigo busca apresentar a extensão universitária sobre as relações étnico-raciais na UFSCar, inicialmente abordando o desenvolvimento histórico da extensão na universidade brasileira e num segundo momento a extensão universitária da UFSCar. Percebe-se que essa relação é permeada por muitos elementos que contribuem para que o diálogo avance ou retroceda, e que é necessário compreender a universidade a partir da totalidade em que ela está inserida. A universidade tem o papel fundamental de promover o avanço do conhecimento sobre a sociedade, formular ações, dar novos significados para estigmas históricos e estreitar a relação com a comunidade externa, via o ensino, a pesquisa e a extensão. No entanto, esta relação é limitada pela esfera política, dado que é por meio dela que é possível implementar as políticas públicas. Por isso, a universidade deve estar atenta às suas ações que podem contribuir para o distanciamento e o não pertencimento da comunidade externa. A extensão universitária pode servir como um mecanismo para reforçar a desigualdade social se as ações que contribuem para a transformação acabarem ficando restritas apenas àqueles professores que já tinham um comprometimento social. Portanto, é preciso haver uma reflexão constante sobre essa relação com a comunidade para que a universidade assuma o seu compromisso social.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Danielle Souza Petto, Universidade Federal de São Carlos
Mestrado em Educação pela Universidade Federal de São Carlos (UFSCar). Professora nos anos iniciais do Ensino Fundamental na rede estadual de São Carlos-SP.
Manoel Nelito Matheus Nascimento, Universidade Federal de São Carlos
Doutorado em Educação pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Professor e orientador de mestrado no Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar).

Referências

ALMEIDA, N. V. F. de. et al. (Org.). Universidade Federal de São Carlos: retratos de uma trajetória 1970-2010. São Carlos: Ed. da EdUFSCar, 2010.

BUFFA, E.; PEREIRA CANALES, R. Extensão: meio de comunicação entre universidade e comunidade. Eccos Revista Científica, São Paulo, v. 9, n 1, p. 157-169, jan./jun. 2007.

BRASIL. Ministério da Educação. PROEXT: Programa de Extensão Universitária. Edital Proext 2016. Programa de Extensão Universitária MEC/SESu, 2015.

BRASIL. Lei N° 10172, de 9 de janeiro de 2001. Aprova o Plano Nacional de Educação e dá outras providências. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/leis_2001/l10172.htm. Acesso em: 21 jan. 2018

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. 1988. Disponível em: www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicaocompilado.htm. Acesso em: 21 jan. 2018.

CAMARGO, E. F. M. Democratizando o acesso à educação superior: o caso da UFSCAR – Campus Sorocaba. 2011. Dissertação (Mestrado em Educação) –Universidade Federal de São Carlos, Sorocaba 2011.

CUNHA, L. A. A universidade crítica. O ensino superior na república populista. 2. ed. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1989.

CUNHA, L. A. O Ensino Superior no Octênio FHC. Educação & Sociedade, Campinas, v. 25, n. 55, p-14-29, abr. 2003.

FAGUNDES, J. Universidade e compromisso social: extensão, limites e perspectivas. Campinas: Ed. da UNICAMP, 1986.

FÁVERO, M. de. L. de. A Universidade do Brasil: das origens à construção. Rio de Janeiro: Ed. da UFRJ; INEP, 2000.

FORPROEX. Conceito de extensão, institucionalização e financiamento. ENCONTRO NACIONAL DE PRÓ-REITORES DE EXTENSÃO DAS UNIVERSIDADES PÚBLICAS BRASILEIRAS, 1., 1987, Brasília. Anais... Brasília: UNB, 04 e 05 de novembro de 1987. Disponível em: https://www.ufmg.br/proex/renex/images/documentos/1987-I-Encontro-Nacional-do-FORPROEX.pdf. Acesso em: 21 jan. 2018.

GOMES, N. L. Educação, identidade negra e formação de professores/as: um olhar sobre o corpo negro e o cabelo crespo. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 29, jun. 2003.

GOMES, N. L. Para além das bolsas acadêmicas: ações afirmativas e o desafio da permanência dos (as) jovens negros (as) na universidade pública. In: SILVÉRIO, V. R. (Org.) Ações Afirmativas nas políticas educacionais: o contexto pós-Durban. São Carlos: EdUFSCar, 2009. p. 197-213.

LEHER, R. Movimentos sociais, padrão de acumulação e crise da universidade. In: REUNIÃO NACIONAL DA ANPED, 37., 2015, Florianópolis. Anais... Florianópolis: Associação Nacional de Pós-graduação e Pesquisa em Educação, 2015. Disponível em: http://www.anped.org.br/sites/default/files/trabalho-de-roberto-leher-para-o-gt11.pdf. Acesso em: 21 jan. 2018.

MICHELOTTO, R. M. A liberação do acesso e a extensão como estratégias dedemocratização da universidade: a experiência da Itália e do Brasil. 1999. Tese (Doutorado) – Universidade Federal de São Carlos, São Paulo, 1999.

MENEGHEL, S. M. A crise da universidade moderna no Brasil. 2001. Tese (Doutorado) - Universidade Estadual de Campinas, Campinas, SP, 2001. Disponível em: http://www.repositorio.unicamp.br/handle/REPOSIP/252072. Acesso em: 21 jan. 2018.

MUNANGA, K. Fundamentos antropológicos e histórico-juridicos das políticas de universalização e de diversidade nos sistemas educacionais no mundo contemporâneo. In: SILVÉRIO, V. R. (Org.) Ações Afirmativas nas políticas educacionais: o contexto pós-Durban. São Carlos: EdUFSCar, 2009. p. 171-195.

SANCHEZ, L. H.T. A extensão universitária: o histórico da experiência da UNICAMP. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 1996.

SANFELICE, J. L. Movimento estudantil: a UNE na resistência ao golpe de 1964. Campinas. SP: Alínea, 2008.

SANTO, É. F. O ensino superior no Brasil e os acordos MEC-USAID: o intervencionismo norte-americano na educação brasileira. 2005. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Estadual de Maringá, Maringá, 2005.

SAVIANI, D. Extensão universitária: uma abordagem não extensionista. Educação e Sociedade, São Paulo, n. 8, p. 61-73, mar. 1981.

SEMERARO, G. Da sociedade de massa à sociedade civil: a concepção da subjetividade em Gramsci. Educ. Soc., Campinas, v. 20, n. 66, p. 65-83, Apr. 1999. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-73301999000100004&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 21 jan. 2018.

SILVA, P, B, G. Ações afirmativas para além das cotas. In: SILVÉRIO, V. R. (Org.) Ações Afirmativas nas políticas educacionais: o contexto pós-Durban. São Carlos: EdUFSCar, 2009.

SGUISSARDI, V. Universidade, fundação e autoritarismo: o caso da UFSCar. São Paulo: Estação Liberdade; São Carlos: Universidade Federal de São Carlos, 1993.

SGUISSARDI, V. Reforma universitária no Brasil – 1995-2006: precária trajetória e incerto futuro. Educ. Soc., Campinas, v. 27, n. 96 - Especial, p. 1021-1056, out. 2006.

SOUSA, A. L. L. A História da Extensão Universitária. Campinas: Alínea, 2000.

SOUZA, D. F. de. Movimento Negro de São Carlos e a UFSCAR: a extensão universitária sobre relações étnico-raciais. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2017.

TEIXEIRA, A. Educação para a democracia: introdução à administração educacional. Rio de Janeiro: Ed. da UFRJ, 1997.

TEIXEIRA, A. Ensino Superior no Brasil: análise e interpretação de sua evolução até 1969. Rio de Janeiro: Editora da Fundação Getúlio Vargas, 1989.

UFSCAR. Universidade Federal de São Carlos. Plano de Cultura UFSCar (2015 -2017): Integração pela Extensão Universitária. São Carlos, 2015.

UFSCAR. Universidade Federal de São Carlos. Pró-Reitoria de Extensão (ProEx). Disponível em: http://www.proex.ufscar.br/sobre. Acesso em: 21 jan. 2018.

VILLAR, A. E. de. V. Extensão Universitária: concepções e ações na UFRN, sob a temática direitos humanos e justiça no período de 2008 a 2010. 2011. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2011.

ZILLER, J. et al. A Extensão como forma de conectar saberes. In: MAYORGA, C. (Org.) Universidade cindida, universidade em conexão: ensaios sobre democratização da universidade. Belo Horizonte: Ed. da UFMG, 2010. p. 234-247.

Publicado
2018-12-21
Como Citar
Petto, D. S., & Nascimento, M. N. M. (2018). A extensão universitária: contribuições da Universidade Federal de São Carlos/UFSCAR para as relações étnico-raciais. Revista HISTEDBR On-Line, 18(4), 1016-1045. https://doi.org/10.20396/rho.v18i4.8653367
Seção
Artigos