Banner Portal
Para um método de análise espaço-uso: uma abordagem sintáctica
PDF

Palavras-chave

Análise espaço-uso. Visão computacional. Padrões de movimento e navegação. Padrões de ocupação e co-presença. Índices de ocupação e movimento. Sintaxe Espacial.

Como Citar

TOMÉ, Ana; HEITOR, Teresa. Para um método de análise espaço-uso: uma abordagem sintáctica. PARC Pesquisa em Arquitetura e Construção, Campinas, SP, v. 2, n. 7, p. 144–173, 2011. DOI: 10.20396/parc.v2i7.8634587. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/parc/article/view/8634587. Acesso em: 19 maio. 2024.

Resumo

Os artefactos arquitectónicos não são apenas objectos físicos, mas objectos sociais que estruturam relações de co-presença e de encontro pelo modo como suportam a distribuição dos fluxos de movimento e, consequentemente, organizam os usos que neles se realizam. Partindo de tal pressuposto e considerando a necessidade de aprofundar a compreensão das relações espaço-uso, neste trabalho desenvolveram-se procedimentos analíticos orientados para o estudo das condições de uso dos artefactos arquitectónicos e, subsequentemente, para um melhor entendimento dos nexos estabelecidos com a condição espacial. Pretendeu-se deste modo contribuir para o desenvolvimento de técnicas baseadas numa visão computacional da mobilidade e interacção dos utilizadores produzindo registos documentais não arbitrários dos seus padrões de movimento/navegação e de ocupação/co-presença e fundamentando a sua análise em termos quantitativos. A tecnologia vídeo permitiu o registo simultâneo do movimento e do espaço que o conforma. A visão computacional da mobilidade em espaços informais de aprendizagem (átrios) permitiu obter e tratar dados em quantidade, condição necessária à fundamentação da relação espaço-uso. O método seguido considerou a instalação de um sistema de aquisição de imagens analisáveis por um algoritmo de detecção e seguimento automático de utilizadores para efeitos de processamento da informação. Os padrões de movimento/navegação e de ocupação/co-presença obtidos foram correlacionados com as propriedades configuracionais obtidas pela aplicação do modelo descritivo da Sintaxe Espacial (Hillier e Hanson, 1984). Foi possível analisar nexos entre a configuração do espaço e os padrões de movimento/navenavegação e de ocupação/co-presença, questão fulcral para o processo conceptual em Arquitectura.
https://doi.org/10.20396/parc.v2i7.8634587
PDF

A PARC Pesquida em Arquitetura e Construção utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto.

Downloads

Não há dados estatísticos.