Programando a arquitetura da aprendizagem

Autores

  • Sandra Leonora Alvares Universidade Estadual de Campinas
  • Doris Catharine Cornelie Knatz Kowaltowski Universidade Estadual de Campinas

DOI:

https://doi.org/10.20396/parc.v6i2.8634983

Palavras-chave:

Ambientes de aprendizagem. Teorias pedagógicas. Arquitetura escolar. Programa arquitetônico.

Resumo

Este artigo apresenta uma discussão sobre a relação entre elementos da arquitetura escolar e abordagens pedagógicas. O objetivo desse estudo foi identificar e organizar informações da literatura sobre a configuração espacial de ambientes de aprendizagem de diferentes concepções pedagógicas, entre elas: Tradicional, Behaviorista, Construtivista e Sócioconstrutivista. As abordagens pedagógicas são analisadas sob o ponto de vista do aluno, professor, atividade pedagógica e ambiente de aprendizagem. Esta análise resultou em um quadro síntese com informações que suportam o processo de projeto em coerência com a abordagem educacional e suas necessidades. O levantamento da literatura revelou valiosas informações sobre teorias pedagógicas. Contudo, esses dados são raramente aplicáveis diretamente no processo de projeto e, por esta razão, a concepção do edifício escolar precisa de contribuições adicionais. As diferentes formas de ensinar e aprender necessitam de análises aprofundadas e durante a fase de programação de um processo de projeto produtivo as relações entre ambiente e atividades deveriam ser analisadas, discutidas e refletidas. Neste artigo, vários tipos de processos de aprendizagem foram analisados e seus layouts configurados para suportar e melhorar o processo de projeto do edifício escolar.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Sandra Leonora Alvares, Universidade Estadual de Campinas

Mestre em Engenharia Civil pela Faculdade de Engenharia Civil Arquitetura e Urbanismo - FEC. Unicamp. Doutoranda na Faculdade de Engenharia Civil Arquitetura e Urbanismo - FEC, Unicamp.

Doris Catharine Cornelie Knatz Kowaltowski, Universidade Estadual de Campinas

Professora Titular (2009) pela Universidade Estadual de Campinas, UNICAMP; obteve o Doutorado (PhD) em Arquitetura pela Universidade da Califórnia em Berkeley (EUA) em 1980 e é Mestre em Arquitetura pela Universidade da Califórnia em Berkeley, 1970. Em 1969 formou-se em Arquiteta (com honours) pela Universidade de Melbourne (Austrália) com o diploma revalidado no Brasil em 1985. Atua como professora aposentada colaboradora no Departamento de Arquitetura e Construção da Faculdade de Engenharia Civil, Arquitetura e Urbanismo (FEC) da UNICAMP. 

Referências

AKINSANMI, B.. The Optimal Learning Environment: Learning Theories. Articles, 2008. Disponível em: http://www.designshare.com/. Acesso em: 10 mar. 2013.

AZEVEDO, G. A. N.. Arquitetura escolar e Educação: um modelo conceitual de abordagem interacionista. 2002. 208f. Tese (Doutorado em Engenharia de Produção) – COPPE. Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro.

AZEVEDO, G. A. N.. Sobre o papel da arquitetura escolar no cotidiano da educação: análise das interações pessoa-ambiente para a transformação qualitativa do lugar pedagógico. In: ENCONTRO NACIONAL DE TECNOLOGIA DO AMBIENTE CONSTRUÍDO, 14., Juiz de Fora, 2012, Anais ... Juiz de Fora: ANTAC, 2012. p. 3494 – 3504. Disponível em: http://www.infohab.org.br/entac2014/2012/docs/1468.pdf. Acesso em: 20 jun. 2014.

ALVES, J. M. As formulações de Vygotsky sobre a Zona de Desenvolvimento Proximal. AMAZONIA - Revista de Educação de Educação em Ciências e Matemática, Belém, v. 1, n. 2, jan./jun.2005. Disponível em: http://www.periodicos.ufpa.br/index.php/revistaamazonia/article/view/1466/1869. Acesso em: 20 jun. 2013.

BARRETT, P.; ZHANG, Y.; MOFFAT, J.; KOBBACY, K.. A holistic, multi-level analysis identifying the impact of classroom design on pupils’ learning. Building and Environment. v. 59, p.678–689, 2013. Disponível em: http://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0360132312002582. Acesso em: 12 nov. 2014. http://dx.doi.org/10.1016/j.buildenv.2012.09.016

BECKER, F. O que é construtivismo? In: Construtivismo em revista. São Paulo: FDE, 1994, n.20, p. 87-93. (Série Ideias). Disponível em: http://www.crmariocovas.sp.gov.br/dea_a.php?t=011. Acesso em: 24 jan. 2013.

BRANSFORD, J.D.; BROWN, A.L.; COCKING, R. R.. How people learn: Brain, mind, experience and school. Washington: National Academy Press, 2000.

BUFFA, E.; PINTO, G.. A. Arquitetura e educação: organização do espaço e propostas pedagógicas dos grupos escolares paulistas, 1893/1971. São Carlos: EdUFSCAR/INEP, 2002.

CABE - COMMISSION FOR ARCHITECTURE AND THE BUILT ENVIRONMENT. Being involved in school design: A guide for school communities, local authorities, funders and design and construction teams. London, 2004. Disponível em: http://webarchive.nationalarchives.gov.uk/20110118095356/http:/www.cabe.org.uk/files/being-involved-in-school-design.pdf Acesso em: 12 fev. 2013.

CAMBI, F. História da pedagogia. Tradução de Álvaro Lorencini. São Paulo: Fundação Editora da Unesp, 1999.

CLEVELAND, B. W.. Engaging spaces: Innovative learning environments, pedagogies and student engagement in the middle years of school. 2011. 300f. Tese (Doctoral of Philosophy) – Faculty of Architecture, Building and Planning, University of Melbourne, Melbourne.

DELIBERADOR, M.. O processo de projeto da arquitetura escolar no Estado de São Paulo: caracterização e oportunidades. 2010. 254f. Dissertação (Mestrado em Engenharia Civil) – Faculdade de Engenharia Civil, Arquitetura e Urbanismo. Universidade Estadual de Campinas, Campinas.

DUDEK, M. Architecture of School: The new learning environments. Great Britain: Architectural Press, 2000.

EDWARDS, C., LELLA G., FORMAN, G.. As cem Linguagens da Criança: A Abordagem de Reggio Emilia na Educação da primeira Infância. Porto alegre: Artes Médicas Sul Ltda, 1999.

ELALI, G. A.. A área das relações pessoa-ambiente e algumas de suas contribuições para a APO. In: ENCONTRO NACIONAL DE TECNOLOGIA DO AMBIENTE CONSTRUÍDO, 12., Fortaleza, 2008. Anais ... Fortaleza: ANTAC, 2008. V. 01. p. 01-12.

ESCOLANO, A.. Arquitetura como programa. Espaço-escola e currículo. In: Currículo, espaço e subjetividade. 2 ed. Rio de Janeiro: DP&A, 2001. p.26-60.

FISHER, K.. Linking pedagogy and space. Melbourne: Department of Education and Training, 2005. Disponível em: www. eduweb. vic. gov. au/edulibrary/public/assetman/bf/Linking_Pedagogy_and_Space.pdf. Acesso em: 30 out. 2013.

FOUCAULT, M. Vigiar e punir: nascimento da prisão. Petrópolis: Vozes, 1987.

GADOTTI, M. História das ideias pedagógicas. 8 ed. São Paulo: Editora Ática, 1999.

HORAYANGKURA, V. Incorporating Environment-Behavior Knowledge into the Design Process: An Elusive Challenge for Architects in the 21st Century. Social and Behavioral Sciences, v. 50, p. 30–41, 2012. Disponível em: http://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S1877042812031515. Acesso em: 20 ag. 2013. http://dx.doi.org/10.1016/j.sbspro.2012.08.013

KOWALTOWSKI, D.C.C.K. Arquitetura escolar: o projeto do ambiente de ensino. São Paulo: Oficina de Textos, 2011.

LAWSON, B. How Designers Think: The Design Process Demystified. 4 ed. Oxford: Elsevier, 2005.

LEITE, C. A. R.; LEITE, E. C. R.; PRANDI, L. R.. A aprendizagem na concepção histórico cultural. Akrópolis, Umuarana. v. 17, n. 4, p. 203–201, out./dez. 2009. Disponível em: http://revistas.unipar.br/akropolis/article/viewFile/2900/2135. Acesso em: 5 mar. 2014.

LIPPMAN, P.C. Advancing Concepts about Activity Settings within Learning Environments. CAE (Committee on Architect for Education) Net Newsletter, Fall 2003. Disponível em: http://www.aia.org/aiaucmp/groups/aia/documents/pdf/aiab091122.pdf. Acesso em: 4 abr. 2014.

LIPPMAN, P.C. Evidence-based Design of Elementary and Secondary Schools. New Jersey: John Wiley & Sons, 2010.

MACADAR, R. O Espaço Físico do Construtivismo. In: Paixão de aprender. Petrópolis: Vozes, 1992. p.197–206.

MACHADO, E. S.; SILVA, H.; FLEMMING, L.; CAVALCANTI, B. P.; AZEVEDO, G. A. N.; RHEINGANTZ, P. F. Uma Reflexão Sobre Métodos Utilizados em APO: Estudo de caso da creche Edson Luiz - RJ. In: ENCONTRO NACIONAL DE TECNOLOGIA DO AMBIENTE CONSTRUÍDO. 12, 2008, Fortaleza. Anais ... Fortaleza, ANTAC, 2008. Disponível em: http://www.infohab.org.br/entac2014/2008.php. Acesso em: 01 maio 2014.

MARTIN, S.H. The classroom environment and its effects on the practice of teachers. Journal of Environmental Psychology, v. 22, n. 1-2, p. 139–156, mar. 2002. Disponível em: http://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0272494401902397. Acesso em: 20 mar. 2012. http://dx.doi.org/10.1006/jevp.2001.0239

MIZUKAMI, M. da G.N. Ensino: As Abordagens do Processo. São Paulo: Editora Pedagógica e Universitária LTDA., 1986.

MOREIRA, Daniel de C.. Caracterização de um aplicativo computacional para o desenvolvimento do programa arquitetônico no ensino de projeto. Gestão & Tecnologia de Projetos, Brasil, v. 6, n. 2, p. 14-29, fev. 2012. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/gestaodeprojetos/article/view/51008. Acesso em: 17 set. 2014. http://dx.doi.org/10.4237/gtp.v6i2.210.

MORALES, A. de P.; DELAI, J. M.; OLIVEIRA, W. G. de. A Construção das concepções de homem nas teorias pedagógicas de Dermeval Saviani. In: CONGRESSO INTERNACIONAL DE EDUCAÇÃO PESQUISA E GESTÃO. 5. 2013. Ponta Grossa. Anais... Ponta Grossa. CIEPG 2013. p. 1-12. Disponível em: http://www.isapg.com.br/2013/ciepg/selecionados.php. Acesso em: 20/06/2014.

NAIR, P.; FIELDING, R.; LACKNEY, J. The Language of School Design: Design Patterns for 21st Century Schools. 2 ed. EUA: National Clearinghouse for Educacional Facilities, 2009.

NASCIMENTO, M. F. P. do. Arquitetura para a Educação: a contribuição do espaço para a formação do estudante. 2012. 154f. Dissertação (Mestrado em História e Fundamentos da Arquitetura e Urbanismo) – Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, Universidade de São Paulo, São Paulo.

OECD - ORGANIZATION FOR ECONOMIC CO-OPERATION AND DEVELOPMENT. Designing for education: compendium of Exemplary Educational Facilities. Paris: OECD Publishing, 2011. http://dx.doi.org/10.1787/9789264112308-en

OLIVEIRA, M.K. de. Vygotsky: aprendizado e desenvolvimento, um processo sócio histórico. São Paulo: Scipione, 1997.

ORNSTEIN, Sheila Waber; ONO, Rosaria. Post-Occupancy Evaluation and Design Quality in Brazil: Concepts, Approaches and an Example of Application. Gestão & Tecnologia de Projetos, Brasil, v. 5, n. 1, p. 138-138, mai. 2010. Disponível em: <http://www.revistas.usp.br/gestaodeprojetos/article/view/50981. Acesso em: 18 set. 2014. http://dx.doi.org/10.4237/gtp.v5i1.159.

OSTERMANN, F.; CAVALCANTI, C. J. de H. Teorias de Aprendizagem. Porto Alegre: UFRGS, 2010. Disponível em: http://www.ufrgs.br/uab/informacoes/publicacoes/materiais-de-fisica-para-educacao-basica/teorias_de_aprendizagem_fisica.pdf. Acesso em: 10 de fev. 2014.

PEÑA, W.M.; PARSHALL, S.A. Problem Seeking: an architectural programming primer. 4 ed. New York: John Wiley & Sons, 2001.

PERES, C. M.; VIEIRA, M. N.C M.; ALTAFIM, E.R.P.; MELLO, M.B. de; SUEN, K. S. Abordagens pedagógicas e sua relação com as teorias de aprendizagem. Revista da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto e do Hospital das Clínicas da FMRP, v.47, n. 3, p. 249–255, 2014. Disponível em: http://revista.fmrp.usp.br/artigos_2014.htm. Acesso em: 25 jun. 2015.

PROTETTI, F.H. Afinal, existe algum aspecto positivo no modelo da Escola Tradicional? Revista Espaço Acadêmico. v. 9, n. 106, p.75–83, mar. 2010. Disponível em: http://www.periodicos.uem.br/ojs/index.php/EspacoAcademico/article/view/8885. Acesso em: 10 mar. 2014.

SANOFF, H. School Building Assessment Methods. Washington: National Cleanringhouse for Educacional Facilities, 2001.

SANTOS, R.V. dos.. Abordagens do processo de ensino e aprendizagem. Integração, n. 40, p. 19–31, Jan/ Fev./Mar. 2005.

SAVIANI, D. As Teorias da Educação e o Problema da Marginalidade na América Latina. Cadernos Pesquisa. São Paulo, v. 42, p. 8–18, 1982.

SAVIANI, D. As concepções pedagógicas na história da educação brasileira. Campinas, 2005. Disponível em: http://www.histedbr.fe.unicamp.br/navegando/artigos_frames/artigo_036.html. Acesso em: 30 jun. 2013.

SCOTT-WEBBER, L. In Sync: Environmental Behavior Research and the Design of Design of Learning Spaces. Michigan: Society for College and University Planning, 2004.

SILVA, E. L. DA.; GIORDANI, E. M.; MENOTTI, C. R. As tendências pedagógicas e a utilização dos materiais didáticos no processo de ensino e aprendizagem. In: SEMINÁRIO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS. 8, 2009, Campinas. Anais... Campinas. Histedbr. 2009. p 1-22. Disponível em: http://www.histedbr.fe.unicamp.br/acer_histedbr/seminario/seminario8/trabalhos.html. Acesso em: 16 Ago. 2014.

SILVEIRA, T. A.; LEÃO, M. B. C. O uso de vídeos pelos professores de ciências: concepções didáticas. Revista Educação & Tecnologia, n. 12, 2013. Disponível em: http://revistas.utfpr.edu.br/pb/index.php/revedutec-ct/article/view/1549. Acesso em: 02 mar. 2014.

SOUZA, F. dos S. Premissas Projetuais para Ambientes da Educação Infantil: Recomendações com base na observação de três UMEIs de Belo Horizonte, MG. 2009. 356f. Tese (Doutorado em Arquitetura) – Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, Universidade Federal do Rio de Janeiro. Rio de janeiro.

SLIWKA, A. The contribution of alternative education. In: Innovating to Learn, Learning to Innovate. Paris: OECD Publishing, 2008. p. 93–112. Disponível em: http://www.oecd.org/edu/ceri/40805108.pdf. Acesso em: 6 set. 2013.

TAYLOR, A.P. Linking architecture and education: sustainable design for learning environments. Albuquerque: University of New Mexico Press, 2009.

Downloads

Publicado

2015-06-30

Como Citar

ALVARES, S. L.; KOWALTOWSKI, D. C. C. K. Programando a arquitetura da aprendizagem. PARC Pesquisa em Arquitetura e Construção, Campinas, SP, v. 6, n. 2, p. 72–84, 2015. DOI: 10.20396/parc.v6i2.8634983. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/parc/article/view/8634983. Acesso em: 30 jun. 2022.

Edição

Seção

Artigos