Banner Portal
Efeitos do sombreamento no desempenho de edificação com envelope isolado na ZB2
PDF

Palavras-chave

Sombreamento do entorno. Eficiência energética. Isolamento térmico. RTQ-R. Conforto térmico.

Como Citar

PEREIRA, Silvia Ruzicki; DUARTE, Carolina Mesquita; CUNHA, Eduardo Grala da; KREBS, Lisandra Fachinello; LEITZKE, Rodrigo Karini; SILVA, Antonio César Silveira Baptista da; BENINCÁ, Letiane. Efeitos do sombreamento no desempenho de edificação com envelope isolado na ZB2. PARC Pesquisa em Arquitetura e Construção, Campinas, SP, v. 7, n. 3, p. 145–159, 2016. DOI: 10.20396/parc.v7i3.8647327. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/parc/article/view/8647327. Acesso em: 19 jun. 2024.

Resumo

Sabe-se que a altura dos edifícios da vizinhança, a relação dos espaçamentos entre as edificações e a largura das vias têm influência na absorção de radiação solar direta, no sombreamento das edificações e no consumo de energia nas edificações. Assim, este estudo tem por objetivo avaliar a influência do sombreamento do entorno em uma edificação unifamiliar com elevado isolamento térmico localizada na ZBB 2. O método utilizado nesse trabalho consiste na simulação computacional de edificação com diferentes configurações de entorno, dividindo-se em 5 etapas: definição da hipótese de pesquisa; simulação do nível de eficiência energética considerando o RTQ-R; modelagem do entorno e análise do rastreamento de sombras; simulação do desempenho energético e do nível de conforto térmico; e análise dos resultados. Foram modeladas oito diferentes possibilidades de sombreamento. A configuração que apresentou o menor consumo energético e maior nível de conforto térmico foi a edificação sombreada pelo entorno de 6 pavimentos, com consumo de climatização de 26,44 kWh/m².ano e índice de conforto térmico de 97,72%. Os resultados indicaram que o elevado nível de isolamento térmico de uma edificação gera um melhor desempenho termoenergético do envelope, mesmo com o sombreamento de paredes no período de inverno.

https://doi.org/10.20396/parc.v7i3.8647327
PDF

Referências

ABNT – ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 15.220: Norma Brasileira de Desempenho Térmico de Edificações. Rio de Janeiro, 2005.

ABNT – ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 15.575: Edifícios Habitacionais - Desempenho. Rio de Janeiro, 2013.

ANSI/ASHRAE – AMERICAN NATIONAL STANDARD INSTITUTE / AMERICAN SOCIETY OF HEATING, REFRIGERATING AND AIR-CONDITIONING ENGINEERS. Standard 55: Thermal Environmental Conditions for Human Occupancy. Atlanta, 2010.

ASSIS. E. S. de. A abordagem do clima urbano e aplicações no planejamento da cidade: reflexões sobre uma trajetória. In: ENCONTRO NACIONAL DE CONFORTO DO AMBIENTE CONSTRUÍDO. 7., Maceió, 2005. Anais... Maceió: ANTAC, 2005.

CARVALHO, Homero et al. Relação entre o Sombreamento provocado pelas edificações e o Campo Térmico. In: ENCONTRO NACIONAL DE CONFORTO DO AMBIENTE CONSTRUÍDO. 9., Natal, 2009. Anais... Natal: ANTAC, 2009.

CHVATAL, Karin M. S., CORVACHO, Helena. The impact of increasing the building envelope insulation upon the risk of overheating in summer and an increased energy consumption. Journal of Building Performance Simulation. v. 2, n. 4, p. 267–282, dez. 2009. http://dx.doi.org/10.1080/19401490903095865

DALBEM, Renata ; FREITAS, J.R. ; CUNHA, Eduardo Grala da. Conceito Passivhaus Aplicado ao Clima Brasileiro. Revista de Arquitetura IMED, Passo Fundo, v. 4, p. 26-36, 2015. http://dx.doi.org/10.18256/2318-1109/arqimed.v4n1p26-36

DALBEM, Renata, et al. Discussão do desempenho da envoltória de uma passive house adaptada à zona bioclimática 2 em acordo com o RTQ-R. Ambiente Construído, v.17, no.1, p.201-222, Mar 2017. http://dx.doi.org/10.1590/s1678-86212017000100132

DÍAZ-VILARIÑO,, L; LAGÜELA, S.; ARMESTO, J.; ARIAS, P. Semantic as-built 3d models including shades for the evaluation of solar influence on buildings. Solar energy, v. 92, p. 269–279, 2013. http://dx.doi.org/10.1016/j.solener.2013.03.017

EPBD. Directive 2010/31/EU of the European Parliament and of the Council of 19 May 2010 on the energy performance of buildings. Official Journal, European Union Legislation, v. 53, n.153, p. 13-35, 2010.

INMETRO - INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL. RTQ-C. Requisitos Técnicos da Qualidade para o Nível de Eficiência Energética de Edifícios Comerciais, de Serviços e Públicos. INMETRO, Rio de Janeiro, 2013.

INMETRO - INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL. RTQ-R. Requisitos Técnicos da Qualidade para o Nível de Eficiência Energética de Edifícios Residenciais. INMETRO, Rio de Janeiro, 2012.

JOHANSSON, E.; SPANGENBERG, J.; GOUVÊA, M. L.; FREITAS, E. D. Scale-integrated atmospheric simulations to assess thermal comfort in different urban tissues in the warm humid summer of São Paulo, Brazil. Urban Climate. v. 23, p. 24-43, 2013. http://dx.doi.org/10.1016/j.uclim.2013.08.003

MCLEOD, Rob., MEAD, Kym., STANDEN, Mark. Passivhaus primer: Designer’s guide A guide for the design team and local authorities. 2016. Disponível em http://www.passivhaus.org.uk/filelibrary/Primers/KN4430_Passivhaus_Designers_Guide_WEB.pdf. Acesso em: 10 de outubro de 2016.

MASCARÓ, Lúcia; MASCARÓ, Juan José. Ambiência Urbana. Porto Alegre: Masquatro, 2009.

MARTINS, D. J.; RAU, S. L.; RECKZIEGEL, S.; FERRUGEM, A. P.; SILVA, A. C. S. B. Ensaio sobre a Utilização da Automação de Aberturas na Simulação do Desempenho Térmico de Edificações. In: ENCONTRO NACIONAL DE CONFORTO NO AMBIENTE CONSTRUÍDO, 10. Anais... Natal, ENTAC, 2009.

MORENO, J. A. Clima do Rio Grande do Sul. Porto Alegre: Secretaria da Agricultura, 1961. 42 p.

OLIVEIRA. Liader da Silva. Avaliação dos limites das propriedades térmicas dos fechamentos opacos da NBR 15220-3, para habitações de interesse social, da Zona Bioclimática 2. Dissertação (Mestrado em Arquitetura), Programa de Pós-Graduação em Arquitetura, Universidade Federal de Pelotas, Pelotas, 2015.

ORIOLI, A.; GANGI, A. DI. An improved photographic method to estimate the shading effect of obstructions. Solar energy, v. 86, n. 11, p. 3470–3488, 2012. http://dx.doi.org/10.1016/j.solener.2012.07.027

PACHECO, Miguel. Ventilação Natural e Climatização Artificial: Crítica ao modelo Super-isolado para residência de energia zero em Belém e Curitiba. Tese (Doutorado em Engenharia Civil). Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2013.

PEEL, M. C. and FINLAYSON, B. L. and MCMAHON, T. A. Updated world map of the Köppen-Geiger climate classification. Hydrology and Earth System Sciences. v.11. p. 1633–1644, mar. 2007. http://dx.doi.org/10.5194/hess-11-1633-2007

POUEY, Juliana Al-Alam. Projeto de edificação residencial unifamiliar para a zona bioclimática 2 com avaliação termo energética por simulação computacional. Dissertação (Mestrado em Arquitetura), Programa de Pós-Graduação em Arquitetura, Universidade Federal de Pelotas, Pelotas, 2011.

PASSIVE-ON PROJECT. A norma Passivhaus directrizes de projecto para casas confortáveis de baixo consumo energético, Parte I. Revisão de casas confortáveis de baixo consumo energético. Lisboa: INETI, 2007.

ROMERO, Marta. Correlação entre o microclima urbano e a configuração do espaço residencial de Brasília. Fórum Patrimônio. v. 4, n.1, 2011.

PREFEITURA MUNICIPAL DE PELOTAS, Lei número 1672, Plano Diretor de Pelotas. 2008.

SOARES, Maicon Motta. Avaliação dos parâmetros de desempenho térmico da NBR15575/2013: habitações de interesse social na zona bioclimática 2. Dissertação (Mestrado em Arquitetura), Programa de Pós-Graduação em Arquitetura, Universidade Federal de Pelotas, Pelotas, 2015.

A PARC Pesquida em Arquitetura e Construção utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto.

Downloads

Não há dados estatísticos.