Modelo para representação de indicadores de experiência em espaços de coworking

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/parc.v13i00.8666277

Palavras-chave:

Ontologia, Tecnologias semânticas, Avaliação pós-ocupação, Estudos pessoa-ambiente, Arquitetura e urbanismo

Resumo

Este artigo intenciona combinar ontologia de domínio e grafos de conhecimento como métodos para a exploração e representação de informações sobre a experiência de usuários em espaços de trabalho compartilhados, utilizando um modelo semântico de análise em comentários retirados de plataformas digitais. E também utilizar o estudo de caso para explorar a estruturação da realidade de relações entre pessoas e ambientes sob a ótica do desempenho do espaço e das organizações. A estratégia adotada utiliza indicadores de desempenho como base conceitual e para o estabelecimento de relações semânticas entre entidades (objetos) e propriedades (características) quanto às observações qualitativas de um grupo de usuários. Os procedimentos metodológicos, aplicados a um conjunto de dados composto de 261 comentários, resultaram em uma base para análise com 567 indicadores individuais. Desse montante foram extraídas 76 classes de objetos associados por meio de 14 relações representativas das preferências e interações do usuário com o ambiente. Os resultados demonstram um conjunto de informações robustas que evidencia o potencial de exploração de dados digitais presentes nos espaços através de redes semânticas. A tecnologia semântica apresenta-se como solução para o mapeamento das informações sobre espaços em análise e para a representação da satisfação do usuário com seus respectivos espaços ocupados, auxiliando a retroalimentação de conhecimento para gestão organizacional e requalificação arquitetônica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcos Marciel Sansão, Universidade Federal de Santa Catarina

Mestrado em andamento em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (Florianópolis - SC, Brasil).

Carlos Eduardo Verzola Vaz, Universidade Federal de Santa Catarina

Doutor em Engenharia Civil pela Universidade Estadual de Campinas. Professor Titular na Universidade Federal de Santa Catarina, Centro Tecnológico, Departamento de Arquitetura e Urbanismo (Florianópolis - SC, Brasil).

Alexandre Leopoldo Gonçalves, Universidade Federal de Santa Catarina

Doutorado em Engenharia de Produção pela Universidade Federal de Santa Catarina. Professor Associado na Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências, Tecnologias e Saúde, Departamento de Computação. (Araranguá - SC, Brasil). 

Referências

BARRETT, C.; MCCARTHY, M. Why co-working doesn’t work for all. Magazine Work Design, 2018. Disponível em: https://www.workdesign.com/2018/06/why-co-working-doesnt-work-for-all/. Acesso em: 16 jan. 2021.

BERGMAN, B. J.; MCMULLEN, J. S. Entrepreneurs in the making: Six decisions for fostering entrepreneurship through maker spaces. Business Horizons, v. 63, n. 6, p. 811-824, Nov./Dec. 2020. DOI: http://dx.doi.org/10.1016/j.bushor.2020.07.004. DOI: https://doi.org/10.1016/j.bushor.2020.07.004

BOBILLO, F.; DELGADO M.; GÓMEZ-ROMERO, J; LÓPEZ, E. A semantic fuzzy expert system for a fuzzy balanced scorecard. Expert Systems with Applications, v. 36, n. 1, p. 423-433, 1 Jan. 2009. DOI: http://dx.doi.org/10.1016/j.eswa.2007.09.020. DOI: https://doi.org/10.1016/j.eswa.2007.09.020

BOUNCKEN, R. B.; ASLAM, M. M.; QIU, Y. Coworking spaces: Understanding, using, and managing sociomateriality. Business Horizons, v. 64, n. 1, p. 119-130, 1 Jan./Feb. 2021. DOI: http://dx.doi.org/10.1016/j.bushor.2020.09.010. DOI: https://doi.org/10.1016/j.bushor.2020.09.010

BOUNCKEN, R. B.; REUSCHL, A. J. Coworking-spaces: how a phenomenon of the sharing economy builds a novel trend for the workplace and for entrepreneurship. Review of Managerial Science, v. 12, n. 1, p. 317-334, Jan. 2018. DOI: http://dx.doi.org/10.1007/s11846-016-0215-y. DOI: https://doi.org/10.1007/s11846-016-0215-y

CECI, F.; GONCALVES, A. L.; WEBER, R. A model for sentiment analysis based on ontology and cases. IEEE Latin America Transactions, v. 14, n. 11, p. 4560-4566, Nov. 2016. DOI: http://dx.doi.org/10.1109/TLA.2016.7795829. DOI: https://doi.org/10.1109/TLA.2016.7795829

DAVIS, D. Evaluating buildings with computation and machine learning. In: VELIKOV, A. (Ed.); MANNINGER, S. (Ed.); CAMPO, M. (Ed.); AHLQUIST, S. (Ed.), THÜN, G. (Ed.). ACADIA/ / 2016: Posthuman Frontiers: Data, Designers, and Cognitive Machines. Ann Arbor: University of Michigan, 2016. Disponível em: http://papers.cumincad.org/data/works/att/acadia16_116.pdf. Acesso em: 14 jan. 2021

DUL, J. The Physical Environment and Creativity: A Theoretical Framework. In: KAUFMAN, J. C. (Ed.); STERNBERG, R. J. (Ed.). The Cambridge Handbook of Creativity. 2nd. ed. Cambridge: Cambridge University Press, 2019. p. 481-510. DOI: https://doi.org/10.1017/9781316979839.025

FINCH, E. (Ed.). Facilities change management. Oxford: Wiley-Blackwell, 2012. 202 p. DOI: https://doi.org/10.1002/9781119967316

FRANÇA, A. J. G. L.; ONO, R.; ORNSTEIN, S. W. APO, desempenho e suas relações com normas e certificações. In: ONO, R. (Org.); ORNSTEIN, S. W. (Org.); VILLA, S. B. (Org.); FRANÇA, A. J. G. L. (Org.). Avaliação Pós-Ocupação na arquitetura, no urbanismo e no design: da teoria à prática. São Paulo: Oficina de Textos, 2018. p. 149–178.

FREITAS JUNIOR, V. Ontologia para representação semântica de indicadores de desempenho considerando aspectos de vaguidade, temporalidade e relacionamento entre indicadores. 2016. 219 f. Tese (Doutorado em Engenharia do Conhecimento) - Programa de Engenharia e Gestão do Conhecimento, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2016. Disponível em: http://btd.egc.ufsc.br/wp-content/uploads/2016/03/Vanderlei-Freitas-Junior.pdf. Acesso em: 18 jan. 2021.

FREITAS JÚNIOR, V.; UREN, V.; BREWSTER, C.; GONÇALVES, A. L. Ontology for Performance Measurement Indicators’ Comparison. International Journal of Digital Information and Wireless Communications, Hong Kong, v. 6, n. 2, p. 87–96, Apr. 2016. DOI: http://dx.doi.org/10.17781/P001977. DOI: https://doi.org/10.17781/P001977

FUZI, A. Co-working spaces for promoting entrepreneurship in sparse regions: the case of South Wales. Regional Studies, Regional Science, London, v. 2, n. 1, p. 462-469, Jan. 2015. DOI: http://dx.doi.org/10.1080/21681376.2015.1072053. DOI: https://doi.org/10.1080/21681376.2015.1072053

GOBIN, B. Reusing OWL-S to model knowledge intensive tasks performed by Knowledge Based Systems. In: INTERNATIONAL CONFERENCE ON ICT AND KNOWLEDGE ENGINEERING, 9. Bangkok, 2012. Proceedings [...]. Piscataway: IEEE, 2012. p. 34-42. DOI: http://dx.doi.org/10.1109/ICTKE.2012.6152410. DOI: https://doi.org/10.1109/ICTKE.2012.6152410

KHAZANCHI, S.; SPRINKLE, T. A.; MASTERSON, S. S.; TONG, N. A spatial model of work relationships: The relationship-building and relationship-straining effects of workspace design. Academy of Management Review, Biarcliff Manor, v. 43, n. 4, p. 590-609, Oct. 2018. DOI: http://dx.doi.org/10.5465/amr.2016.0240. DOI: https://doi.org/10.5465/amr.2016.0240

LEFRANÇOIS, M. Planned ETSI SAREF Extensions based on the W3C&OGC SOSA/SSN-compatible SEAS Ontology Patterns. In: WORKSHOP ON SEMANTIC INTEROPERABILITY AND STANDARDIZATION IN THE IOT. Amsterdam, 2017. Proceedings [...] Nova York: Association for Computing Machinery, July 2017. Disponível em: https://hal-emse.ccsd.cnrs.fr/emse-01638275/document. Acesso em: 18 jan. 2021.

LUO, Y.; CHAN, R. C. K. Production of coworking spaces: Evidence from Shenzhen, China. Geoforum, v. 110, p. 97-105, Mar. 2020. DOI: http://dx.doi.org/10.1016/j.geoforum.2020.01.008. DOI: https://doi.org/10.1016/j.geoforum.2020.01.008

NOY, N. F.; MCGUINNESS, D. L. Ontology Development 101: A Guide to Creating Your First Ontology. Stanford: Knowledge Systems Laboratory, 2001.

ORNSTEIN, S. W. Avaliação Pós-Ocupação (APO) no Brasil, 30 anos: O que há de novo? Revista PROJETAR - Projeto e Percepção do Ambiente, Natal, v. 2, n. 2, p. 7-12, 30 ago. 2017. DOI: https://doi.org/10.21680/2448-296X.2017v2n2ID16580. DOI: https://doi.org/10.21680/2448-296X.2017v2n2ID16580

ORNSTEIN, S. W.; ONO, R.; VILLA, S. B.; FRANÇA, A. J. G. L. Avaliação pós-ocupação (APO) aplicada à realimentação do processo de projeto. In: ONO, R. (org.); ORNSTEIN, S. W. (org.); VILLA, S. B. (org.); FRANÇA, A. J. G. L. (Org.). Avaliação Pós-Ocupação na arquitetura, no urbanismo e no design: da teoria à prática. São Paulo: Oficina de Textos, 2018. p. 19–47.

PARRINO, L. Coworking: assessing the role of proximity in knowledge exchange. Knowledge Management Research & Practice, v. 13, n. 3, p. 261-271, 2015. DOI: https://doi.org/10.1057/kmrp.2013.47. DOI: https://doi.org/10.1057/kmrp.2013.47

PAULHEIM, H. Knowledge graph refinement: A survey of approaches and evaluation methods. Semantic Web, Manhattan, v. 8, p. 489-508, 6 Dec. 2016. DOI: https://doi.org/10.3233/SW-160218. DOI: https://doi.org/10.3233/SW-160218

RASMUSSEN, M. H.; LEFRANÇOIS, M.; BONDUEL, M.; HVIID, C. A.; KARLSHOJ, J. OPM: An ontology for describing properties that evolve over time. In: LINKED DATA IN ARCHITECTURE AND CONSTRUCTION WORKSHOP, 6., 2018, London. Proceedings […]. London: CEUR-WS, 2018. p. 24-33. Disponível em: http://ceur-ws.org/Vol-2159/03paper.pdf. Acesso em: 18 jan. 2021.

RASMUSSEN, M. H.; LEFRANÇOIS, M.; PAUWELS, P.; HVIID, C. A.; KARLSØJ, J. Managing interrelated project information in AEC Knowledge Graphs. Automation in Construction, v. 108, p. 102956, Dec. 2019. DOI: https://doi.org/10.1016/j.autcon.2019.102956. DOI: https://doi.org/10.1016/j.autcon.2019.102956

RAUTENBERG, S.; TODESCO, J. L.; GAUTHIER, F. A. O. Processo de desenvolvimento de ontologia: uma proposta e uma ferramenta. Revista Tecnologia, Fortaleza, v. 30, n. 1, p. 133-144, jun. 2009. Disponível em: https://periodicos.unifor.br/tec/article/view/5284/4134. Acesso em: 18 jan. 2021.

RHEINGANTZ, P. A.; AZEVEDO, G. A.; BRASILEIRO, A.; ALCANTARA, D.; QUEIROZ, M. Observando a Qualidade do Lugar: procedimentos para a avaliação pós-ocupação. Rio de Janeiro: PROARQ/FAU/UFRJ, 2009. 117 p.

VILLA, S. B.; ONO, R.; FRANÇA, A. J. G. L.; ORNSTEIN, S. W. Procedimentos metodológicos. In: ONO, R. (Ed.); ORNSTEIN, S. W. (Ed.); VILLA, S. B. (Ed.); FRANÇA, A. J. G. L. (Ed.) Avaliação Pós-Ocupação na arquitetura, no urbanismo e no design: da teoria à prática. São Paulo: Oficina de Textos, 2018. p. 81-92.

VILLA, S. B.; SARAMAGO, R. C. P.; GARCIA, L. C. Desenvolvimento de Metodologia de Avaliação Pós-Ocupação do Programa Minha Casa Minha Vida: aspectos funcionais, comportamentais e ambientais. Brasília: Rio de Janeiro: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada - IPEA, 2016. 64 p. (Texto para discussão, 2234). Disponível em: https://www.ipea.gov.br/portal/images/stories/PDFs/TDs/07102016td_2234.pdf. Acesso em: 18 jan. 2021.

WEIJS-PERRÉE, M.; KOEVERING, J.; APPEL-MEULENBERG, R.; ARENTZE, T. Analysing user preferences for co-working space characteristics. Building Research & Information, v. 47, n. 5, p. 534-548, 4 jul. 2019. DOI: https://doi.org/10.1080/09613218.2018.1463750. DOI: https://doi.org/10.1080/09613218.2018.1463750

Downloads

Publicado

2022-04-14

Como Citar

SANSÃO, M. M.; VAZ, C. E. V.; GONÇALVES, A. L. Modelo para representação de indicadores de experiência em espaços de coworking. PARC Pesquisa em Arquitetura e Construção, Campinas, SP, v. 13, n. 00, p. e022014, 2022. DOI: 10.20396/parc.v13i00.8666277. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/parc/article/view/8666277. Acesso em: 6 dez. 2022.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)