Educação dos sentidos na contemporaneidade e suas implicações pedagógicas

  • Luiza Silva Rodrigues Universidade Estadual de Campinas
  • Odilon José Roble Universidade Estadual de Campinas

Resumo

Este texto aborda a “educação dos sentidos”, temática atual, porém pouco explorada sistematicamente. Embora constituam a principal forma de apreensão do mundo, segundo Michel Onfray, e recebam, como afirma Christoph Türcke, uma espécie de “superestimulação” na sociedade da informação, os sentidos, paradoxalmente, são direcionados a objetos e interesses específicos, quase sempre ligados ao consumo. A proposta deste estudo situou-se na reflexão sobre corpo e sensibilidade, a partir do cruzamento entre essa razão dos sentidos e a lógica atual da superestimulação. Encontra-se a premência de um saber estético, que não apenas se direciona à arte, mas se espraia para a conduta contemporânea como um todo. Esse encontro permitiu descortinar possibilidades para a educação dos sentidos.

Palavras-chave: Educação dos sentidos. Estética. Corpo

Abstract

The article explores the “education of the senses”, a current yet little explored theme. Although constituting the main form of world perception, as indicated by Michel Onfray, and suffering a sort of overstimulation in the society of information, as posited by Christoph Türcke, the senses are paradoxically directed to objects and specific interests, usually related to consumption. The article presents a reflection about the relationship between body and sensibility, associating the senses’ reason with the current logic of “overstimulation”. It shows the relevance of the urge for an aesthetic knowledge not directed to art only but to the contemporary conduct as a whole as well. This result revealed new possibilities for the education of the senses.

Keywords: education of the senses, aesthetics, body

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luiza Silva Rodrigues, Universidade Estadual de Campinas
Graduada em Licenciatura e Bacharelado pela Faculdade de Educação Física da Universidade Estadual de Campinas (2011). Pesquisadora na área de Educação dos Sentidos. Integrante do Grupo de Pesquisa em Filosofia e Estética do Movimento (GPFEM). Atuo profissionalmente como professora e artista na área circense.
Odilon José Roble, Universidade Estadual de Campinas
Possui graduação em Filosofia pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas, graduação em Educação Física pela Universidade Estadual de Campinas, mestrado em Educação pela Universidade Estadual de Campinas (Educação, Conhecimento, Linguagem e Arte) e doutorado em Educação pela Universidade Estadual de Campinas (Metodologia de Ensino, Avaliação e Formação de Professores). É professor do Departamento de Educação Física e Humanidades da Faculdade de Educação Física da UNICAMP nas disciplinas de Ritmo e Expressão e Dança, e do Programa de Pós Graduação em Artes da Cena do Instituto de Artes da Unicamp. Desenvolve pesquisas sobre Filosofia e Estética do movimento e Dança

Referências

Ackerman, D. (1996). Uma história natural dos sentidos. (2a ed.). Rio de Janeiro: Bertrand Brasil.

Benjamin, W. (1994). Obras escolhidas VI – magia e técnica, arte e política. (7a ed.). São Paulo: Brasiliense.

Caruso, C. (2009). Almanaque dos sentidos. São Paulo: Moderna.

Debord, G. (1997). A sociedade do espetáculo. Rio de Janeiro: Contraponto.

Dewey, J. (2005). Art as experience. Penguin Group: New York.

Gumbrecht, H. U. (2006). Pequenas crises: experiência estética nos mundos cotidianos. In C.

Guimarães, B. S. Leal, & C. Mendonça (Org.), Comunicação e experiência estética. Belo Horizonte: Editora UFMG.

Huxley, A. (2009). The doors of perception. New York: Harper Collins.

Maffesoli, M. (1996). No fundo das aparências (2a ed.). Petrópolis: Vozes.

Maffesoli, M. (2005). Elogio da razão sensível. Petrópolis: Vozes.

Nietzsche, F. (2004). Genealogia da moral. São Paulo: Companhia das Letras.

Onfray, M. (1999). A arte de ter prazer. São Paulo: Martins Fontes.

Paula, F. (1994, 1º semestre). Tensões e ambiguidades em Walter Benjamin: a modernidade em questão. Plural, 1, 106-130.

Peixoto, N. B. (1996). Paisagens urbanas. São Paulo: Ed. Senac.

Pereira, M. de A. (2010, setembro/dezembro). A dimensão performativa do gesto na prática docente. Revista Brasileira de Educação, 15(45), 555-563.

Pessoa, F. (1986a). O guardador de rebanho II. In F. Pessoa, Obra poética e em prosa. Porto: Ed. Antonio Quadros.

Pessoa, F. (1986b). O guardador de rebanho IX. In F. Pessoa, Obra poética e em prosa. Porto: Ed. Antonio Quadros.

Schopenhauer, A. (2005). O mundo como vontade e representação. São Paulo: Ed. Unesp.

Steinberg, S, & Kincheloe, J. (2001). Cultura infantil: a construção corporativa da infância. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira.

Strazzacappa, M., Schroeder, J., & Schroeder, S. (2007). A construção do conhecimento em arte. In A. Bittencourt, Gestão, currículo e cultura (Vol. 1). Campinas: Faculdade de Educação.

Tacussel, P. (1984). L’attraction sociale. Paris: Méridiens; Klincksieck.

Türcke, C. (2010a, 4 a 17 outubro). Sob a mira da metralhadora audiovisual. Jornal da Unicamp. Campinas, pp. 6-7.

Türcke, C. (2010b). Sociedade excitada – filosofia da sensação (1a ed.). Campinas: Ed. Unicamp.

Publicado
2015-12-17
Como Citar
Rodrigues, L. S., & Roble, O. J. (2015). Educação dos sentidos na contemporaneidade e suas implicações pedagógicas. Pro-Posições, 26(3), 205-224. Recuperado de https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/proposic/article/view/8642379
Seção
Artigos