A didática como diferenciador das diferenças pelas potências dos possíveis

Autores

  • Artur José Renda Vitorino Pontifícia Universidade Católica de Campinas

Palavras-chave:

Didática. Diferença. Deleuze. Questão dos possíveis. Dramatização

Resumo

Ao imantar o positivo, a diferença, os fluxos, os agenciamentos – expressões essas que denotam o que é vivo, a dobra e a redobra, a duração e os signos geradores de potencialidades –, o artigo interroga: como instalar na e pela multiplicidade das coisas vivas para aprender “a repetição como passagem de um estado das diferenças gerais à diferença singular, das diferenças exteriores à diferença interna – em suma, a repetição como o diferenciador da diferença” (Deleuze, 1988, p. 136)? Ao buscar delinear, pelas potências dos possíveis, a didática como diferenciador da diferen- ça, conclui-se que essa didática exerce um duplo papel: 1) mostra o conteúdo da força; e 2) permite as passagens entre virtual e atual, revelando, distintamente, a ontologia da pura diferença.

Abstract

To magnetize the positive, the difference, the flux, the agencies - expressions which denote what is alive, the folding and the refolding, the duration and the generators signs of potentialities - the article asks: how to install in and by the multiplicity of the alive things to learn “the repetition as passage from a state of general differences to the singular difference, from external differences to internal differences, in short, the repetition as the differentiator of difference “(DELEUZE, 1988, p. 136)? In seeking to delineate, by the potency of possible things, the didactic as differentiator of the difference, it is concluded that this didactic plays a dual role: 1) shows the contents of the force, and 2) allows the passages between virtual and actual, revealing distinct one, the ontology of the pure difference.

Keywords: didacticism, difference, Deleuze, issues of the possible things, dramatization

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Artur José Renda Vitorino, Pontifícia Universidade Católica de Campinas

Professor titular da Pontifícia Universidade Católica de Campinas pertencente ao corpo permanente de seu Programa de Pós Graduação em Educação, onde leciona cursos sobre Ética, Políticas Educacionais e o Direito à Educação e Seminário Avançado de Pesquisa, e das Faculdades de História e de Pedagogia da PUC-Campinas, onde leciona cursos sobre África Pré-Colonial, Historia do Brasil século XIX, História do Brasil Contemporâneo, Estudos Sociais A e B. 

Referências

Azanha, J. M. P. (2006). A formação do professor e outros escritos. São Paulo: Editora Senac São Paulo.

Bergson, H. (1983). O riso – ensaio sobre a significação do cômico (2a ed.). (N. C.

Caixeiro, trad.). Rio de Janeiro: Zahar.

Cordeiro, J. F. P. (2003). Pedagogias multiplicadas: como as revistas masculinas e femininas produzem sujeitos. In J. Vaidergorn, & L. M. Bertoni (Orgs.). Indústria cultural e educação: ensaios, pesquisas, formação (Vol. 1, pp. 31-59). Araraquara, SP: JM.

Cordeiro, J. F. P. (2006). Didática. São Paulo: Contexto.

Deleuze, G. (1988). Diferença e repetição. (L. B. L. Orlandi & R. Machado, trads.) Rio de Janeiro: Graal.

Deleuze, G. (2006). A ilha deserta e outros textos. (D. Lapoujade, prep. ed., L. B. L.

Orlandi, org. e ver. técnica). São Paulo: Iluminuras.

Deleuze, G. (2010). Proust e os signos (2a ed.) (A. Piquet & R. Machado, trads.). Rio de Janeiro: Forense Universitária.

Foucault, M. (1996). O anti-Édipo: uma introdução à vida não-fascista (F. J. F. Ribeiro, trad.). Cad. Subj., num. esp., pp. 97-200.

Homero (1996). Odisséia. (M. O. Mendes, trad., A. M. Rodrigues, ed.). São Paulo: Ed. Universidade de São Paulo.

Kant, I. (1998). Manual dos cursos de lógica geral. (F. Castilho, trad., apresentação e guia). Campinas: IFCH-UNICAMP; Uberlândia: EDUFU.

Montaigne, M. E. de (1984). Ensaios (3a ed.) (S. Milliet, trad.). São Paulo: Abril Cultural.

Nietzsche, F. (1976). Considerações intempestivas. (M. de Azevedo, trad.). Portugal Brasil: Editorial Presença/ Livraria Martins Fontes.

Noica, C. (2011). Diário filosófico. (E. M. D. Fonseca, trad., C. N. Manescu, conferência com o texto romeno). São Paulo: É Realizações.

Orlandi, L. B. L. (1995, novembro). Morte era para ele a marca da permanência. O Estado de S. Paulo, Cultura, p. D15.

Prigogine, I. (2002). Do ser ao devir. (M. L. F. R. Loureiro, trad.). São Paulo (SP): Editora UNESP; Belém (PA): Editora da Universidade Estadual do Pará.

Tarde, G. (2007). Monadologia e sociologia e outros ensaios. (P. Naves, trad., E. V. Vargas, organização e introdução). São Paulo: Cosac Naify.

Downloads

Publicado

2015-12-22

Como Citar

VITORINO, A. J. R. A didática como diferenciador das diferenças pelas potências dos possíveis. Pro-Posições, Campinas, SP, v. 26, n. 1, p. 123–138, 2015. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/proposic/article/view/8642421. Acesso em: 2 dez. 2021.

Edição

Seção

Dossiê

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)