O pensamento como desordem: repercussões do legado foucaultiano

Autores

  • Julio Groppa Aquino Universidade de São Paulo

Palavras-chave:

Michel Foucault. Ontologia do presente. Educação

Resumo

Passadas três décadas do desaparecimento de Michel Foucault, sua obra parece não ter cessado de gerar controvérsias. Daí a questão disparadora das reflexões aqui apresentadas: o que fez do intelectual francês, avesso à polêmica, um alvo constante dela? Sem nenhuma inclinação ao biografismo, o presente texto almeja configurar um quadro geral das repercussões do pensamento foucaultiano, sobretudo entre seus críticos. Para tanto, focaliza as manifestações de um conjunto de autores que o tomaram ora como interlocutor, ora como adversário. A argumentação endereça-se, então, para a defesa do projeto foucaultiano de uma ontologia crítica e seus efeitos possíveis no campo educacional, dentre eles, uma atitude crítico-criativa em relação à herança cultural, bem como a conquista de certo distanciamento em relação ao próprio presente.

Abstract

After three decades of the disappearance of Michel Foucault, his work seems tocontinue generating controversy. Hence the triggering question of the considerations presented here: being averse to controversy, what has made the French intellectual a constant target of it? Refraining from biographism, this text aims at setting up a general picture of the impact of Foucauldian thinking, especially among his critics. To do so, it focuses on the statements of a group of authors who have taken Foucault either as an interlocutor or as a rival. This article then advocates the Foucauldian proposal of a critical onthology and its possible effects on the educational field, among which a critical-creative attitude towards the cultural heritage, as well the attaining of a certain distancing from the present itself.

Keywords Michel Foucault, onthology of the present, education.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Julio Groppa Aquino, Universidade de São Paulo

Julio Groppa Aquino é livre-docente da faculdade de educação da usp. formado em psicologia, com mestrado e doutorado em psicologia escolar pela usp, é autor e colaborador de várias obras sobre algumas tensões que atravessam a educação contemporânea, entre elas o cotidiano escolar, as inflexões disciplinares, a relação família-escola etc. foi também colunista das revistas "nova escola" e "educação".

Referências

AESCHIMANN, Eric; MONNIN, Isabelle. Daniel Defert: Les archives de Foucault ont une histoire politique. Le Nouvel Observateur. 26 nov. 2012. Disponível em: . Acesso em: 15 nov. 2013.

AFARY, Janet; ANDERSON, Kevin B. Foucault e a revolução iraniana: as relações de gênero e as seduções do islamismo. São Paulo: É Realizações, 2011.

ALBUQUERQUE JÚNIOR, Durval Muniz de. Entre luzes e sombras: Michel Foucault, um pensador pós-moderno? Caminhos da História (UNIMONTES), v. 14, p. 11-28, 2009.

BAUDRILLARD, Jean. Esquecer Foucault. Rio de Janeiro: Rocco, 1984.

BERT, Jean-François. Pensar com Michel Foucault. São Paulo: Parábola, 2013.

BLANCHOT, Maurice. Foucault como o imagino. Lisboa: Relógio D’Água, 1987.

BOURDIEU, Pierre. Esboço de auto-análise. São Paulo: Companhia das Letras, 2005.

CUSSET, François. Filosofia francesa: a influência de Foucault, Derrida, Deleuze e cia. Porto Alegre: Artmed, 2008.

DELEUZE, Gilles. Conversações (1972-1990). São Paulo: Ed. 34, 1992.

DELEUZE, Gilles. Desejo e prazer. Cadernos de subjetividade, São Paulo, n. esp., p. 13-25, jun. 1996.

DELEUZE, Gilles. Foucault. São Paulo: Brasiliense, 1988.

DREYFUS, Hubert; RABINOW, Paul. Michel Foucault, uma trajetória filosófica: para além do estruturalismo e da hermenêutica. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1995.

ERIBON, Didier. Michel Foucault, 1926-1984. São Paulo: Companhia das Letras, 1990.

ERIBON, Didier. Michel Foucault e seus contemporâneos. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1996.

FAVEREAU, Eric. Les derniers jours. Libération. 19 jun. 2004. Disponível em: . Acesso em: 15 nov. 2013.

FOUCAULT, Michel. Da natureza humana: justiça contra poder. In: FOUCAULT, Michel.

Estratégia, poder-saber. Ditos & escritos IV. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2003a. p. 87-132.

FOUCAULT, Michel. Mesa-redonda em 20 de maio de 1978. In: FOUCAULT, Michel Estratégia, poder-saber. Ditos & escritos IV. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2003b. p. 335-351.

FOUCAULT, Michel. O filósofo mascarado. In: FOUCAULT, Michel. Arqueologia das ciências e história dos sistemas de pensamento. Ditos & escritos II. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2000a. p. 299-306.

FOUCAULT, Michel. O governo de si e dos outros. São Paulo: Martins Fontes, 2010.

FOUCAULT, Michel. O que são as Luzes? In: FOUCAULT, Michel. Arqueologia das ciências e história dos sistemas de pensamento. Ditos & escritos II. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2000b. p. 335-351.

FOUCAULT, Michel. Polêmica, política e problematizações. In: FOUCAULT, Michel Ética, sexualidade, política. Ditos & escritos V. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2004. p. 225-233.

FOUCAULT, Michel. Resposta a Derrida. In: FOUCAULT, Michel. Problematização do sujeito: psicologia, psiquiatria e psicanálise. Ditos & escritos I. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2000c. p. 269-284.

GUIBERT, Hervé. Para o amigo que não me salvou a vida. Rio de Janeiro: José Olympio, 1995.

HABERMAS, Jürgen. O discurso filosófico da modernidade. São Paulo: Martins Fontes, 2000.

HABERMAS, Jürgen. Une flèche dans le coeur du temps présent. Critique, Paris, n. 471- 472, p. 794-799, ago./set. 1986.

HALPERIN, David. San Foucault: para una hagiografia gay. Cordoba: Cuadernos de Litoral, 2000.

KIMBALL, Roger. A perversão de Michel Foucault. Jornal Mineiro de Psiquiatria, n. 25, ano XI, jun. 2007. Disponível em: <http://www.jmpsiquiatria.com.br/edicao_25/ michelfoucault.htm>. Acesso em: 30 mar. 2010.

LAPOUGE, Gilles. Foucault, o demolidor de mitos. O Estado de S. Paulo, caderno Cultura, ano IV, n. 213, p. 1-3, 8 jul. 1984.

LLOSA, Mario Vargas. A civilização do espetáculo: uma radiografia do nosso tempo e da nossa cultura. Rio de Janeiro: Objetiva, 2013.

LLOSA, Mario Vargas. Breve discurso sobre la cultura. jul. 2010. Disponível em: . Acesso em: 30 out. 2010.

MACEY, David. The lives of Michel Foucault. New York: Vintage Books, 1993.

MANDOSIO, Jean-Marc. A longevidade de uma impostura: Michel Foucault. Rio de Janeiro: Achiamé, 2011.

MERQUIOR, José Guilherme. Michel Foucault ou o niilismo de cátedra. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1985.

MILLER, James. The passion of Michel Foucault. Cambridge: Harvard University Press, 1993.

NARODOWSKI, Mariano. Foucault, o Aiatolá, os intelectuais e a política. Educação & Realidade, Porto Alegre, v. 1, n. 29, p. 69-78, jan./jun. 2004.

NATALI, João Batista. No Brasil, discípulos tristes. Folha de S. Paulo, p. 27-28, 26 jun. 1984.

RANCIÈRE, Jacques. A herança difícil de Foucault. Folha de S. Paulo, caderno Mais!, p. 10, 27 jun. 2004. Disponível em: <http://www1.folha.uol.com.br/fsp/mais/ fs2706200407.htm>. Acesso em: 20 jul. 2011.

REALI JÚNIOR. Foucault morre em Paris aos 57 anos e deixa obra polêmica. O Estado de S. Paulo, p. 12, 26 jun. 1984.

RODRIGUES, Heliana de Barros Conde. Michel Foucault no Brasil: esboços de história do presente. Verve, São Paulo, n. 19, p. 93-112, 2011.

RODRIGUES, Heliana de Barros Conde. Um (bom?) departamento francês de ultramar: Michel Foucault no Brasil, 1965. Mnemosine, Rio de Janeiro, v. 6, n. 2, p. 186-203, 2010.

SARDUY, Severo. Um algodão para Michel Foucault. Folha de S. Paulo, caderno Folhetim, p. 3, 26 ago. 1984.

SLOTERDIJK, Peter. Temperamentos filosóficos: um breviário de Platão a Foucault. Lisboa: Edições 70, 2012.

VEYNE, Paul. Como se escreve a história; Foucault revoluciona a história. Brasília: Ed. UnB, 1982.

VEYNE, Paul Foucault: seu pensamento, sua pessoa. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2011.

Downloads

Publicado

2015-12-22

Como Citar

AQUINO, J. G. O pensamento como desordem: repercussões do legado foucaultiano. Pro-Posições, Campinas, SP, v. 25, n. 2, p. 83-102, 2015. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/proposic/article/view/8642453. Acesso em: 31 out. 2020.

Edição

Seção

Dossiê