Banner Portal
A aliança biopolítica educação-trabalho
Remote

Palavras-chave

Educação. Biopolítica. Governamentalidade. Capitalismo. Trabalho.

Como Citar

SARAIVA, Karla. A aliança biopolítica educação-trabalho. Pro-Posições, Campinas, SP, v. 25, n. 2, p. 139–156, 2015. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/proposic/article/view/8642458. Acesso em: 18 jul. 2024.

Resumo

O artigo mostra como a educação vem funcionando, desde a Modernidade, como uma ação biopolítica para governar a vida da população, produzindo subjetividades sintonizadas com as formas de produção de sua época. Primeiramente, analisa-se a emergência do liberalismo articulado ao capitalismo industrial e mostra-se que a escola pública moderna se constituiu em uma importante condição para a consolidação das suas formas produtivas. A seguir, analisa-se a passagem do liberalismo para o neoliberalismo e do capitalismo industrial para o capitalismo cognitivo, problematizando alguns elementos do cenário educacional contemporâneo, que permitem evidenciar que a educação continua funcionando como uma ação biopolítica, realinhando suas estratégias e seus objetivos com a organização do trabalho na Contemporaneidade.

Abstract

This paper demonstrates how education has operated since Modernity as a biopolitical action to govern the lives of the population, producing subjectivities attuned to the forms of production of its time. First, it analyses the emergence of industrial capitalism hinged to liberalism and it is shown that the modern public school constituted an important condition for the consolidation of its productive ways. Next, it analyzes the transition from liberalism to neoliberalism and from industrial capitalism to cognitive capitalism, problematizing some elements of the contemporary educational landscape that evidence that education continues to function as a biopolitical action, realigning their strategies and targets with work organization in Contemporaneity.

Keywords Education, biopolitics, governmentality, capitalism, labor.

Remote

Referências

CAMBI, Franco. História da pedagogia. São Paulo: Ed. UNESP, 1999.

COMENIUS. Didática magna. São Paulo: Martins Fontes, 2002.

FERRER, Alejandro. El modelo educativo del movimiento reformista. In: FERRER, Alejandro; FERNÁNDEZ, Florentino (Org.). Génesis y situación de la educación social en Europa. Madrid: UNED, 2005. p. 205-220.

FOUCAULT, Michel. Em defesa da sociedade. São Paulo: Martins Fontes, 2002.

FOUCAULT, Michel. Nascimento da biopolítica. São Paulo: Martins Fontes, 2008.

FOUCAULT, Michel. Vigiar e punir. Petrópolis (RJ): Vozes, 1999.

GALVÃO, Alexander; SILVA, Gerardo; COCCO, Giuseppe (Org.). Capitalismo cognitivo. Rio de Janeiro: DP&A, 2003.

HARDT, Michael; NEGRI, Antônio. Multidão: guerra e democracia na era do Império. Rio de Janeiro: Record, 2005.

HARVEY, David. A condição pós-moderna. São Paulo: Loyola, 2001.

HERNÁNDEZ, Fernando. Transgressão e mudança na educação: os projetos de trabalho. Porto Alegre: Artes Médicas, 1998.

LAZZARATO, Maurizio. As revoluções do capitalismo. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2006.

LAZZARATO, Maurizio; NEGRI, Antonio. Trabalho imaterial. Rio de Janeiro: DP&A, 2001.

MORAES, Antonio Luiz. Disciplina e controle na escola: do aluno dócil ao aluno flexível. Dissertação (Mestrado) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Luterana do Brasil, Canoas, RS, 2008.

PETERS, Michel. Introduction: governamentality, education and the end of neoliberalism? In: PETERS, Michael et al. Governamentality studies in education.

Rotterdam: Sense, 2009. p. xxvii-xlviii.

RODRIGO, Cándido. Políticas públicas sobre educación social desde el siglo XVI al XIX. In: FERRER, Alejandro; FERNÁNDEZ, Florentino (Org.). Génesis y situación de la educación social en Europa. Madrid: UNED, 2003. p. 77-98.

SCHLEMMER, Eliane. Projetos de aprendizagem baseados em problemas: uma metodologia interacionista/construtivista para formação de comunidades em ambientes virtuais de aprendizagem. Colabor@, Curitiba, v. 1, n. 1, p. 4-11, ago. 2001. Disponível em: <http://www.ricesu.com.br/colabora/n2/artigos/n_2/id02.pdf>.

Proposições utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto.

Downloads

Não há dados estatísticos.