Na “periferia” da quadra: Educação Física, cultura e sociabilidade na escola

Autores

  • Rogério Cruz Oliveira Universidade Federal de São Paulo
  • Jocimar Daolio Universidade Estadual de Campinas

Palavras-chave:

Educação Física. Escola. Cultura. Sociabilidade

Resumo

O objetivo do estudo é analisar a participação e a apropriação da aula de Educação Física pelos alunos que ali se encontram à margem, na “periferia” da quadra. O estudo, desenvolvido numa escola pública, deu-se a partir do método etnográfico, tendo como instrumento de coleta de dados a observação e a entrevista semiestruturada. A partir dessa imersão, compreendeu-se a participação e a apropriação da aula de Educação Física pelos alunos em três categorias: “pedacinho” (im)praticante, “pedacinho” ativo e “pedacinho” flutuante. Embora diferentes, os três “pedacinhos” elucidaram a existência de estereótipos, preconceitos e desigualdades de oportunidades. Dessa forma, houve, por parte dos alunos, uma apropriação limitada dos conhecimentos da Educação Física. Entretanto, mesmo inseridos num horizonte limitador de ensino-aprendizagem da Educação Física, os alunos vivenciaram sua sociabilidade na perspectiva de um tempo e um espaço de livre convivência com o outro.

Abstract

The aim of this study was to analyze the participation and appropriation of the physical education class for students who are in its margins, at the “periphery” of the sports’ court. The study was carried out in a public school as an ethnography, relying on observations and semi-structured interviews. The results showed that participation and appropriation of the physical education class fell into three categories: (not) practicing, active and floating. The analysis of each category has contributed to elucidate the existence of different stereotypes, prejudice and thus inequality of opportunities in the physical education class. Nevertheless, although there was, on the part of the students, limited acquisition of knowledge on Physical Education, they could develop experiences of sociability with each other free from the formal constraints usually found in classrooms.

Keywords Physical Education, school, culture, sociability

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rogério Cruz Oliveira, Universidade Federal de São Paulo

Possui Licenciatura em Educação Física pela Universidade Estadual de Goiás (2002), Especialização em Educação Física Escolar pela Universidade Federal de Goiás, Mestrado em Educação Física pela Universidade Estadual de Campinas (2006) e Doutorado em Educação Física pela Universidade Estadual de Campinas (2010). É Professor Adjunto III da Universidade Federal de São Paulo-Campus Baixada Santista (SP), onde atua no curso de Educação Física e nos Programas de Pós-Graduação Stricto Sensu Ensino em Ciências da Saúde (Modalidade Profissional) e Interdisciplinar em Ciências da Saúde. Atua nas seguintes linhas de pesquisa: Educação Física Escolar, Corpo e Cultura, Formação e Inserção Profissional em Educação Física e Saúde, Pedagogia do esporte, Educação Física, cultura e saúde e Educação, práticas corporais e saúde.

Jocimar Daolio, Universidade Estadual de Campinas

Nasceu em Bragança Paulista, em 1958. Graduou-se em Educação Física (USP, 1978) e Psicologia (USP, 1983). É mestre em Educação Física (USP, 1992) e doutor em Educação Física (Unicamp, 1997). É professor livre-docente ligado ao Departamento de Educação Motora da Faculdade de Educação Física da Unicamp, onde trabalha desde 1987. É docente das disciplinas Aspectos Socio-Antropológicos da Motricidade Humana e Pedagogia do Movimento III, no curso de Graduação, e Educação Física e Cultura , no curso de Pós-Graduação. Foi Coordenador de Graduação da FEF no período de 1998 a 2000 e atualmente é Coordenador da Comissão de Biblioteca. É autor de vários livros na área e publicou vários artigos e capítulos em periódicos especializados e em coletâneas. Atua na área de Educação Física Escolar.

Referências

ALTMANN, Helena. Rompendo fronteiras de gênero: Marias (e) homens na educação física. 1998. 111f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte.

BRACHT, Valter et al. Pesquisa em ação: educação física na escola. Ijuí: Unijuí, 2003, 128p.

CASTELLANI FILHO, Lino. Educação Física no Brasil: a história que não se conta. Campinas: Papirus, 1988. 176p.

DAOLIO, Jocimar. Cultura, educação física e futebol. 2. ed. Campinas: Unicamp, 2003. 152p.

DEVIDE, Fabiano. P. Gênero e mulheres no esporte: história das mulheres nos Jogos Olímpicos Modernos. Ijuí: Unijuí, 2005. 144p.

FERNANDES, Simone C. Os sentidos de gênero nas aulas de Educação Física. 2008.

f. Dissertação (Mestrado em Educação Física) – Faculdade de Educação Física, Universidade Estadual de Campinas, Campinas.

FONSECA, Cláudia. Quando cada caso NÃO é um caso: pesquisa etnográfica e educação. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, n. 10, p. 58-78, abr. 1999.

FONTANA, Roseli A. C. Sobre a aula: uma leitura pelo avesso. Presença Pedagógica, Belo Horizonte, v. 7, n. 39, p. 31-37, jun. 2001.

FREIRE, Paulo. Ética e educação. Palestra proferida na Escola Americana em São Paulo. 1997. Gravação em vídeo.

GEERTZ, Clifford. A interpretação das culturas. Rio de Janeiro: LTC, 1989. 213p.

KUNZ, Elenor. Transformação didático-pedagógica do esporte. Ijuí: Unijuí, 1994. 152p.

MAGNANI, José G. C. De perto e de dentro: notas para uma antropologia urbana. Revista Brasileira de Ciências Sociais, São Paulo, v. 17, n. 49, p. 11-29, jun. 2002.

MAGNANI, José G. C. Festa no pedaço: cultura popular e lazer na cidade. São Paulo: Brasiliense, 1984. 198p.

MATSUMOTO, Marina. H. O ensino-aprendizado do gesto na aula de Educação Física. 2009. 211f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas, Campinas.

OLIVEIRA, Rogério C.; DAOLIO, Jocimar. Educação física, escola e cultura: da diferença como desigualdade à alteridade como possibilidade. Movimento, Porto Alegre, v. 16, n. 1, p.149-167, jan./mar. 2010.

RODRIGUES JÚNIOR, José C.; SILVA, Cinthia L. A significação nas aulas de Educação Física: encontro e confronto dos diferentes “subúrbios” de conhecimento. ProPosições, Campinas, v. 19, n. 1, p. 159-172, abr. 2008.

SARAIVA, Maria do C. Co-educação física e esportes: quando a diferença é mito. 2. ed. Ijuí: Unijuí, 2005, 196p.

SNYDERS, George. Para onde vão as pedagogias não-directivas? 2. ed. Lisboa: Moraes Editores, 1978. 365p.

SOUSA, Eustáquia S.; ALTMANN, Helena. Meninos e meninas: expectativas corporais e implicações na Educação Física escolar. Caderno CEDES, Campinas, v. 19, n. 48, p.52-68, ago. 1999.

SOUZA, Adalberto S. Educação física no ensino médio: representações dos alunos. 2008. 148f. Tese (Doutorado em Educação Física) – Faculdade de Educação Física, Universidade Estadual de Campinas, Campinas.

SOUZA, Marcos A. P. As cores de Acari. 1998. 285p. Tese (Doutorado em Antropologia) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo.

Downloads

Publicado

2015-12-22

Como Citar

OLIVEIRA, R. C.; DAOLIO, J. Na “periferia” da quadra: Educação Física, cultura e sociabilidade na escola. Pro-Posições, Campinas, SP, v. 25, n. 2, p. 237-254, 2015. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/proposic/article/view/8642467. Acesso em: 31 out. 2020.

Edição

Seção

Artigos