Banner Portal
O corpo como espaço de aprendizagem: reflexões a partir das vivências de um grupo de teatro formado por adultos na maturidade
PDF

Palavras-chave

Aprendizagem. Corpo. Educação

Como Citar

ALMEIDA, Evany Bettine; AZEVEDO-MARTINS, Anna Karenina; NUNES, Viviane Abreu. O corpo como espaço de aprendizagem: reflexões a partir das vivências de um grupo de teatro formado por adultos na maturidade. Pro-Posições, Campinas, SP, v. 24, n. 3, p. 201–2018, 2016. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/proposic/article/view/8642524. Acesso em: 21 maio. 2024.

Resumo

Partindo de reflexões sobre o lugar do corpo na sociedade, neste artigo é apresentado um estudo investigativo e descritivo sobre a relação entre a educação do corpo e a experiência teatral de 15 adultos na maturidade, entre setembro e dezembro de 2010. Avaliamos a influência de atividades que evidenciam o corpo em diferentes aspectos da vida desses indivíduos, utilizando- -se o método etnográfico da observação participante e a técnica qualitativa grupo focal. Foram entrevistadas 13 mulheres e 2 homens, cujas idades variaram entre 60 e 85 anos. A maioria concluiu o ensino superior (65%); os demais se dividiram entre ensino médio e primário. Para analisar os depoimentos, optamos pela construção do discurso do sujeito coletivo e verificamos que essas atividades, que valorizam a expressão corporal, contribuem para o exercício da criatividade, estimulam o trabalho cooperativo, permitem a ampliação da rede de suporte social e favorecem a aprendizagem no seu sentido amplo.

Abstract

Based on the discussion about the position of the body within society, this work presents an exploratory study concerning the relationship between the education of the body and the experiences of a drama group formed by 15 mature adults, during the period from September to December, 2010. We investigated the influence of activities which highlight the body on different aspects of these individuals’ life by using the ethnographic method for participative observation and the focus group qualitative technique. 13 women and 2 men, whose ages ranged between 60 and 85 years, were interviewed. Most of them had completed Higher Education (65%), having the others completed high school and elementary school. The recorded statements were analyzed through the construction of the collective subject discourse and we could conclude that the activities which put the body in evidence contribute to creativity, encourage cooperative work, allow for the expansion of social network and favour the learning process in its broader sense.

Keywords Body. Education. Learning process.

PDF

Referências

BALTES, P. B.; Reese, H. W.; Lipsitt, L. P. Life-span developmental psychology. Annual Review of Psychology, New York, n. 31, p. 65-110, 1980.

BECKER, F. Ensino e construção do conhecimento; o processo de abstração reflexionante. Educação e Realidade, Porto Alegre, v. 18, n. 1, jan./jun. 1993.

BERTONCINI, A. J.; WALLBACH, M. C. S. Alterações músculo-esqueléticas na terceira idade. In: SALDANHA, A.; CALDAS, C. C. P. Saúde no idoso: a arte de cuidar. Rio de Janeiro: Interciência, 2004. p. 225-230.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Assistência à Saúde. Resolução n. 1, de 13 de junho de 1988. Normas de pesquisa em saúde: aspectos éticos da pesquisa em seres humanos. Programa nacional das doenças sexualmente transmissíveis e AIDS. Conselho Nacional da Saúde. Brasília, DF, 1998.

BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais: introdução aos parâmetros curriculares nacionais. Secretaria de Educação Fundamental. Brasília: MEC/SEE, 2001.

CAMARANO, A. A. Envelhecimento da população brasileira: uma contribuição demográfica. In: FREITAS, E.V; PY, L. et al. (Org.). Tratado de Geriatria e Gerontologia. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2006. p. 88-105.

CAMPOS, P. F. M. Relações corpo educação: um estudo sobre o lugar do corpo na Escola. Disponível em: http://unb.revistaintercambio.net.br/24h/pessoa/temp/ anexo/1/190/163.pdf 2006. Acesso em: 20 ago. 2010.

CORREIA, M.-C. B. A observação participante enquanto técnica de investigação. Revista Pensar Enfermagem, Lisboa, v. 13, n. 2, p. 30-36, 2009.

COUTO, M. C. P. P. Avaliação de discriminação contra idosos em contexto brasileiro – Ageísmo. Revista Psicologia: Teoria e Pesquisa, v. 25, n. 4, 2009.

DANAILOF, K. Imagens da infância: a educação e o corpo em 1930 e 1940 no Brasil. Revista Brasileira de Ciências do Esporte, v. 26, n. 3, 2005.

DOMINGUES, M. A. R. C; DERNTL, A. M.; QUEIROZ Z. As redes sociais na senescência. In: FREITAS, E. V; PY, L. et al. (Org.). Tratado de Geriatria e Gerontologia, Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2006. p. 771-780.

DOMINGUES, M. A. R. C; SILVA, G. R.; NUNES, V. A. Metodologias ativas: uma abordagem possível nas atividades de orientação gerontológica. 2012. (Bacharelado em Gerontologia) - Escola de Artes, Ciências e Humanidades, Universidade de São Paulo, São Paulo.

DOWBOR, F. F. Quem educa marca o corpo do outro. 2. ed. São Paulo: Cortez, 2008.

FOUCAULT, M. Vigiar e punir: nascimento da prisão. Petrópolis: Vozes, 3. ed. 1984, 264p.

FRAGA, A. B. O Evangelho do agito: uma forma de ativar o corpo e regular a vida. Projeto de tese (Doutorado) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Faculdade de Educação da UFRGS, Porto Alegre, 2001.

GAYA, A. A reinvenção dos corpos: por uma pedagogia da complexidade. Revista Sociologias, Porto Alegre, ano 8, n. 15, jan./jun., p.250-272, 2006.

GOLDFARB, D. C. Corpo, tempo e envelhecimento. São Paulo: Casa do Psicólogo, 1998.

KALACHE, A.; KICKBUSCH, I. A global strategy for healthy ageing. World Health, p. 4-5, 1997.

LEFÈVRE, F.; LEFÈVRE, A. M. C. Discurso do sujeito coletivo: um novo enfoque em pesquisa qualitativa. Caxias do Sul: EDUCS, 2000.

LEVY, B. R. Eradication of ageism requires addressing the enemy within. The Gerontologist, v. 41, n. 5, p. 578-579, 2001.

MARONI, A. A. E por que não? – tecendo outras possibilidades interpretativas. Idéias e Letras, Aparecida, 2008.

MATURANA, H. Da Biologia e Psicologia. Porto Alegre: Artmed, 1998.

MATURANA, H.; VARELA F. A árvore do conhecimento. São Paulo: Palas Athena. 2001.

MERLEAU-PONTY, M. Fenomenologia da percepção. São Paulo: Martins Fontes, 1999.

MINAYO, M. C. S. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. 5. ed. São Paulo: Hucitec.1998.

NÓBREGA, T. P. Qual o lugar do corpo na educação? Notas sobre conhecimento, processos cognitivos e currículo. Educação e Sociedade, Campinas, v. 26, n.. 91, 2005.

PALMA, L. S.; CACHIONI M. Educação permanente: perspectiva para o trabalho educacional com o adulto maduro e com o idoso. In: FREITAS, E.V; PY, L. et al. (Org.). Tratado de Geriatria e Gerontologia. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2006. p. 1.101-1.118.

PATTON, M. Qualitative Evaluation and Research Methods. Newbury Park, C. A.: Sage Publications, 1990.

PELIZZARI, A. et al. Teoria da aprendizagem significativa segundo Ausubel. Revista PEC, Curitiba, v. 2, n. 1, 2002.

PIAGET, J. Aprendizagem e conhecimento. Rio de Janeiro: Freitas Bastos, 1979.

PINTO, R. N. A educação do corpo e o processo civilizatório: a formação de “estátuas pensantes”. Revista da Faculdade de Educação Física da Unicamp, v. 2, n. 4, 2004.

SANT´ANNA, D. História do conforto na cidade de São Paulo. Anos 90. Revista do Programa de Pós-Graduação em História da UFRGS, Porto Alegre, n.14, 2000.

SFEZ, L. A saúde perfeita: críticas de uma utopia. Lisboa: Instituto Piaget, 1995.

SOARES, C. L. Cultura de movimento. Revista do SESC/SP – Corpo, Prazer e Movimento, n. 4, p. 15-23, 2002.

STRAZZACAPPA, M. A educação e a fábrica de corpos: a dança na escola. Cadernos CEDES, Campinas, Centro de Estudos Educação e Sociedade, n. 53, 2001.

TEIXEIRA, L. A. Declínio de desempenho motor no envelhecimento é específico à tarefa. Revista Brasileira Medicina Esporte, Niterói, v.12, n. 6, p. 351-354, nov. dez. 2006.

VICTOR, A. F.; LOPES, M. V. O.; ARAUJO, T. L. Teoria do déficit de autocuidado: análise da sua importância e aplicabilidade na prática de enfermagem. Revista da Escola Anna Nery, v. 14, n. 3, p. 611-616, jul./set. 2010. Impressa.

ZARANKIN, A. Paredes que domesticam: arqueologia da arquitetura escolar capitalista – o caso de Buenos Aires. Tese (Doutorado) – Centro de História da Arte e Arqueologia, IFCH-Unicamp-Fape, Campinas, 2002.

Proposições utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto.

Downloads

Não há dados estatísticos.