Etnobiografias e descoberta de si: uma proposta da Antropologia da Educação para a formação de professores para a diversidade cultural

  • Ricardo Vieira Instituto Politécnico de Leiria
Palavras-chave: Identidades e histórias de vida. Formação reflexiva. Antropologia da Educação. Educação para a diversidade

Resumo

Consideramos a Antropologia da Educação como estudo dos processos educativos, seja na escola, na família, na rua ou na trajectória social dos indivíduos e seu papel na (re)construção das identidades pessoais. A partir de pesquisas realizadas em Portugal, procuro mostrar como as etnobiografias são um caminho privilegiado para entender as pessoas como resultado de uma bricolagem identitária e como são, também, meios de (auto) formação. Exploro as potencialidades das entrevistas etnobiográficas e grupais, na racionalização das experiências passadas, para a Antropologia da Educação na formação para a diversidade cultural.

Abstract

We consider the anthropology of education as the study of educational processes, whether at school, at home, on the street or in the social history of individuals and their role in the (re) construction of personal identities. Based on research conducted in Portugal, I try to show how ethnobiographical studies are a privileged way to understand people as a result of an identity bricolage and how they are also forms of (self) education. I explore the potential of ethnobiographic and group interviews for the rationalization of past experiences for educational anthropology within the training in cultural diversity.

Key words Identities and life stories. Reflective training. Educational anthropology. Training for cultural diversity

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ricardo Vieira, Instituto Politécnico de Leiria
Ricardo Manuel das Neves Vieira. Concluiu a Agregação - em 2006. É Professor Coordenador Principal no Instituto Politécnico de Leiria. Publicou 66 artigos em revistas especializadas e 32 trabalhos em actas de eventos, possui 28 capítulos de livros e 16 livros publicados. Possui 262 itens de produção técnica. Participou em 29 eventos no estrangeiro e 6 em Portugal. Orientou 1 tese de doutoramento e co-orientou 4, orientou 24 dissertações de mestrado, alem de ter orientado 47 trabalhos de conclusão de curso de bach./licenciatura nas áreas de Ciências da Educação, Ciências Sociais e Outras Ciências Sociais. Recebeu 4 prémios e/ou homenagens. Entre 2003 e 2012 participou em 6 projectos de investigação, sendo que coordenou 3 destes. Actua nas áreas de Ciências Sociais com ênfase em Outras Ciências Sociais, Ciências Sociais com ênfase em Sociologia e Ciências Sociais com ênfase em Ciências da Educação. Nas suas actividades profissionais interagiu com 45 colaboradores em co-autorias de trabalhos científicos. No seu curriculum DeGóis os termos mais frequentes na contextualização da produção científica, tecnológica e artístico-cultural são: Antropologia da Educação e Envelhecimento ativo e envelhecimento bem-sucedido.

Referências

ABDALLAH-PRETCEILLE, M. Vers une pedagogie interculturelle. Paris: INRP, 1990.

BRUNER, J. Cultura e Educação. Lisboa: Edições 70, 2000.

CAMILLERI, C.; COHEN-EMERIQUE, M. (Dir.). Chocs des cultures: concepts et enjeux pratiques. Paris: L’ Harmattan, 1989.

GEERTZ, C. Nova luz sobre a Antropologia. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2001.

GEERTZ, C. O saber local: novos ensaios em Antropologia Interpretativa. Petrópolis: Vozes, 1999.

GUSMÃO, N. M. M. Os filhos da África em Portugal – Antropologia, multiculturalidade e educação. Lisboa: Imprensa de Ciências Sociais, 2004.

HUBERMAN, A. M. Comment s’oppèrent les changements en éducation: contribution à l’étude de l’innovation. Lausanne: Unesco, 1983.

ITURRA, R. A construção social do insucesso escolar. Lisboa: Escher, 1990a.

ITURRA, R. Fugirás à escola para trabalhar a terra: ensaios de Antropologia Social sobre o insucesso escolar. Lisboa: Escher, 1990b.

ITURRA, R. (Org.). O saber das crianças. Setúbal: ICE, 1996.

JOSSO, M. C. Experiências de vida e formação. Lisboa: Educa, 2002.

KELCHTERMANS, G. A utilização de biografias na formação de professores. Aprender – Revista da Escola Superior de Educação de Portalegre, Portugal, n. 18, p. 5-20, 1995.

NÓVOA, A. (Org.). Vidas de professores. Porto: Porto Editora, 1992.

PERRENOUD, P. Práticas pedagógicas, profissão docente e formação. Lisboa: D. Quixote, 1993.

PINEAU, G. Les histoires de vie en formation: un mouvement socio-educatif. Le Groupe Familiale, Paris, n. 126, p. 26-35, 1990.

POIRIER, J.; CLAPIER-VALLADON, S.; RAYBAUT, P. Histórias de vida: teoria e prática. Lisboa: Celta, 1999.

SPERBER, D. O saber dos antropólogos. Lisboa: Edições 70, 1992.

VIEIRA, R. Educação e diversidade cultural: notas de Antropologia da Educação. Porto: Afrontamento, 2011.

VIEIRA, R. Entre a escola e o lar. Lisboa: Escher, 1992.

VIEIRA, R. Histórias de vida e identidades: professores e interculturalidade. Porto: Afrontamento, 1999a.

VIEIRA, R. Identidades pessoais: interacções, campos de possibilidade e metamorfoses culturais. Lisboa: Colibri, 2009.

VIEIRA, R. Ser igual ser diferente: encruzilhadas da identidade. Porto: Profedições, 1999b.

VIEIRA, R. Vidas revividas: etnografia, biografias e a descoberta de novos sentidos. In: CARIA, T. (Org.) Metodologias etnográficas em Ciências Sociais. Porto: Afrontamento, 2003. p. 77-96.

ZEICHNER, K. M. A formação reflexiva de professores: ideias e práticas. Lisboa: Educa, 1993.

Publicado
2016-01-04
Como Citar
Vieira, R. (2016). Etnobiografias e descoberta de si: uma proposta da Antropologia da Educação para a formação de professores para a diversidade cultural. Pro-Posições, 24(2), 109-123. Recuperado de https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/proposic/article/view/8642631
Seção
Dossiê