Banner Portal
O infame solitário: o que o documentário Solitário Anônimo pode acrescentar aos debates sobre educação em saúde?
PDF

Palavras-chave

Saúde e educação. Profissional da saúde. Michel Foucault. Expressão audiovisual. Velhice

Como Citar

OLIVEIRA, Ana Claudia Coelho; SIQUEIRA, Vera Helena Ferraz. O infame solitário: o que o documentário Solitário Anônimo pode acrescentar aos debates sobre educação em saúde?. Pro-Posições, Campinas, SP, v. 24, n. 2, p. 147–164, 2016. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/proposic/article/view/8642633. Acesso em: 21 abr. 2024.

Resumo

Este artigo propõe reflexões sobre educação em saúde, particularmente no que diz respeito à formação ético-política dos profissionais da área, à luz das ideias de Michel Foucault. Toma o vídeo Solitário Anônimo, produzido em 2007 pela antropó- loga e docente Debora Diniz, como desencadeador dessas reflexões, particularmente no que tange à incidência do poder sobre a vida retratada na tensa relação entre paciente idoso e agentes de cuidado na cena hospitalar. Busca articular o pensamento foucaultiano com as noções de normal/patológico, saú- de/doença, risco em saúde e qualidade de vida, substratos de práticas e teorias no campo da educação em saúde.

Abstract

This article presents reflections on health education, mainly related to the ethical and political formation of health professionals, inspired on Michel Foucault’s ideas. It takes the documentary ‘Alone and Anonymous’, produced in 2007 by the anthropologist and professor Debora Diniz, as a trigger for such reflections, more particularly as it relates to the incidence of power over life represented on the tense relationship between an old patient and health care providers in a hospital scenario. It attempts to articulate Foucault’s concepts with the notions of normal/pathological, health/disease, health risks and quality of life, which underlie practices and theories in the area of health education.

Key words Health and education. Health professional. Foucault. Michel. Audiovisual expression. Old Age

PDF

Referências

BRANCO, G. C. Foucault em três tempos. Mente, cérebro e filosofia. A dissolução do sujeito. São Paulo: Duetto, p. 6-13, ago. 2007.v. 6. Foucault e Deleuze.

CANDIOTTO, C. Subjetividade e verdade no último Foucault. Trans/Form/Ação, São Paulo, v. 31, n. 1, p. 87-103, 2008.

CANGUILHEM, G. Escritos sobre medicina. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2005.p. 35-48.

CANGUILHEM, G. O normal e o patológico. 6. ed. rev. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2009.

CANGUILHEM, G. A saúde: conceito vulgar e questão filosófica. In: CASTIEL, L.D.; DIAZ, C.A.D. Discursos sobre riscos e comportamentos sadios baseados em evidências. In: CASTIEL, L.D.; DIAZ, C.A.D. A saúde persecutória: os limites da responsabilidade. Rio de Janeiro: Editora FIOCRUZ, 2007.p. 55-66.

CASTRO, E. Vocabulário de Foucault – um percurso pelos seus temas, conceitos e autores. Belo Horizonte: Autêntica, 2009.

CHACHAMOVICH, E.; TRENTINI, C.; FLECK, M. P. A. Qualidade de vida em idosos: conceituação e investigação. In: NERI, A. L. (Org.). Qualidade de vida na velhice: enfoque multidisciplinar. Campinas: Alínea, 2007.

DREYFUS, H. L.; RABINOW, P. Michel Foucault, uma trajetória filosófica: para além do estruturalismo e da hermenêutica. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1995.

DUARTE, R. M. Pedagogias da imagem cinematográfica. In: SEMINÁRIO BRASILEIRO DE ESTUDOS CULTURAIS E EDUCAÇÃO – PEDAGOGIAS SEM FRONTEIRAS, 3. 2008.

Canoas/RS. 2008.Disponível em: <http://www.moodle.ufba.br/file.php/10010/linguagens/pedagogias_imagem_cinematogr_ficapdf> . Acesso em: 15 abr. 2011.

FOUCAULT, M. Os anormais. Curso no Collège de France (1974-1978). São Paulo: Martins Fontes, 2001.

FOUCAULT, M. Direito de morte e poder sobre a vida. In: FOUCAULT, M. História da Sexualidade 1 – a vontade de saber. 17. ed. Rio de Janeiro: Graal, 2006a. p. 145 et seq.

FOUCAULT, M. A vida dos homens infames. In: MOTTA, M.B. (Org.). Estratégia, poder/ saber. 2. ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2006b. p. 203-222. Col. Ditos e Escritos. v. 4.

GROISMAN, D. A velhice, entre o normal e o patológico. História, Ciências, Saúde, Manguinhos, Rio de Janeiro, v. 9, n. 1, p. 61-78, jan./abr. 2002.

GROS, F. O cuidado de si em Michel Foucault. In: RAGO, M.; VEIGA-NETO, A. (Org.) Figuras de Foucault. Belo Horizonte: Autêntica, 2006. p. 127-138.

MACHADO, R. (Org.). Por uma genealogia do poder. In: FOUCAULT, M. Microfísica do poder. 25. ed. São Paulo: Graal, 2008. Introdução, p. vii– xxiii.

PORTOCARRERO, V. Vida, genealogia da ética e estética da existência. In: PORTOCARRERO, V. As ciências da vida: de Canguilhem a Foucault. Rio de Janeiro: Editora FIOCRUZ, 2009.

SÁ, M. B.; SIQUEIRA, V. H. F. Um exercício para investigação em acervo de vídeos educativos em saúde: utilizando as noções de acontecimento e arquivo. In: REUNIÃO ANUAL DA ANPED – SOCIEDADE, CULTURA E EDUCAÇÃO: NOVAS REGULAÇÕES?, 32., 2009.Caxambu/MG. Disponível em: <http://www.anped.org.br/reunioes/32ra/trabalho_gt_16.html>.

Acesso em: 15 abr. 2009.

VASCONCELOS, E. M. Formar profissionais de saúde capazes de cuidar do florescer da vida. In: VASCONCELOS, E. M.; FROTA, L. H.; SIMON, E. (Org.). Perplexidade na Universidade: vivências nos cursos de saúde. São Paulo: Hucitec, Edições Mandacaru, 2006. Reflexões, item 2, p. 265 et seq.

Proposições utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto.

Downloads

Não há dados estatísticos.