Banner Portal
Corporeidade: o legado de Marcel Mauss e Maurice Merleau-Ponty
Remote

Palavras-chave

Corporeidade. Marcel Mauss. Merleau-Ponty

Como Citar

DAOLIO, J.; RIGONI, A. C. C.; ROBLE, O. J. Corporeidade: o legado de Marcel Mauss e Maurice Merleau-Ponty. Pro-Posições, Campinas, SP, v. 23, n. 3, p. 179–193, 2016. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/proposic/article/view/8642846. Acesso em: 1 mar. 2024.

Resumo

O objetivo deste artigo é realizar um diálogo entre as contribuições
de Marcel Mauss e Maurice Merleau-Ponty, no que diz
respeito às reflexões elaboradas por ambos sobre o corpo e a
corporeidade. Embora a base teórica do primeiro seja a antropologia
e a do segundo, a fenomenologia, ambos se preocuparam
em superar a famosa dicotomia inaugurada por Descartes entre
pensamento e matéria. O texto busca, além de apontar as aproximações
teóricas dos dois autores, mostrar a possibilidade de
diálogo entre suas concepções. Procuramos demonstrar que o
diálogo entre os autores é possível não só por suas diferenças,
mas também por suas semelhanças. Para isso, trazemos algumas
contribuições de estudiosos e pesquisadores que, baseados nos
autores trabalhados ou em ideias semelhantes, objetivam ampliar
a discussão sobre corpo e corporeidade na sociedade contemporânea.

Abstract

The purpose of this article is to make a dialogue between Marcel Mauss and Maurice Merleau-Ponty’s contributions in respect to the reflections produced by both of them about body and corporeity. Although the theoretical basis for the first one is anthropology and for the second, phenomenology, both of them were concerned about overcoming the famous dichotomy inaugurated by Descartes between thinking and matter. The text seeks, while pointing out the theoretical approaches from both authors, to show the possibility of dialogue between their views. Our intention was to show that the dialogue between the authors is possible not only by their differences, but also by their similarities. To do so, we bring some contributions from scholars and researchers who, based on the studied authors or on similar ideas, seek to amplify the discussion about body and corporeity in contemporary society.

Key words Corporeity. Marcel Mauss. Merleau-Ponty

Remote

Referências

ALMEIDA, M. V. O corpo na teoria antropológica. Revista de comunicação e linguagem, Lisboa, n. 33, p. 49-66, 2004.

BOURDIEU, P. A economia das trocas simbólicas. São Paulo: Perspectiva, 2009.

BOURDIEU, P. Questões de Sociologia. Lisboa: Fim de Século, 2003.

CHAUI, M. Prefácio. In: MERLEAU-PONTY, M. Os pensadores: textos selecionados. São Paulo: Abril Cultural, 1980.

CSORDAS, T. Corpo, significado, cura. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2008.

FURLAN, R.; BOCCHI, J. C. O corpo como expressão e linguagem em Merleau-Ponty.

Estudos de Psicologia, Natal, n. 8, p. 445-450, 2003.

LÉVI-STRAUSS, C. Introdução à obra de Marcel Mauss. In: MAUSS, M. Sociologia e Antropologia. São Paulo: EDU/EDUSP, 1974. v. 2.

LIPOVETSKY, G. Os tempos hipermodernos. 3. ed. São Paulo: Barcarolla, 2004.

MAFFESOLI, M. Elogio da razão. 2. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 1998.

MAUSS, M. Sociologia e Antropologia. São Paulo: EDU/EDUSP, 1974. v. 2.

MERLEAU-PONTY, M. Conversas-1948. São Paulo: Martins Fontes, 2004.

MERLEAU-PONTY, M. De Mauss a Claude Lévi-Strauss. In: MERLEAU-PONTY, M. Os pensadores: textos selecionados. São Paulo, Abril Cultural, 1980.

MERLEAU-PONTY, M. Fenomenologia da percepção. Rio de Janeiro: Freitas Bastos, 1971.

MERLEAU-PONTY, M. O visível e o invisível. 3. ed. São Paulo: Perspectiva, 1992.

MERLEAU-PONTY, M. Signes. Paris: Gallimard, 1960.

ONFRAY, M. La puissance d`exister. Paris: Grasset, 2006.

REALE, G.; ANTISERI, D. História da filosofia. 6. ed. São Paulo: Paulus, 2003. v.3.

STEILL, C. A. Prefácio. In: CSORDAS, T. Corpo, significado, cura. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2008.

WACQUANT, L. Corpo e alma: notas etnográficas de um aprendiz de boxe. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 2002.

Proposições utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto.

Downloads

Não há dados estatísticos.