Repercussões satíricas dos processos de escolarização do social nas ondas do rádio (1930-1940)

Autores

Palavras-chave:

Radiodifusão. Humor. Educação

Resumo

Este artigo analisa repercussões satíricas dos processos de escolarização do social no Brasil, presentes em antigos programas humorísticos de rádio, que, geralmente organizados pelo diálogo entre um professor e seus alunos, foram simultaneamente grandes sucessos em termos de audiência e alvos de uma crítica sistemática por parte daqueles que defendiam a radiodifusão como instrumento de divulgação da “verdadeira” cultura. Por meio do uso de fontes sonoras e impressas, objetiva compreender as razões do sucesso do gênero e, neste percurso, identificar as críticas à escola, à educação e seus sujeitos, que, jocosamente, veicularam, explicitadas em conflitos entre sonoras tradições populares e saberes escolares.

Abstract

This article analyzes satirical repercussions of the social schooling processes in Brazil found in old radio comedies which, usually built around the dialogue between a teacher and his or her students, were, on the one hand, huge audience successes and, on the other hand, subjected to systematic criticism from those who believed that radio broadcasting should be used as an instrument to disseminate the “true” culture. Through the use of sound and print records, the text seeks to understand the reasons behind the success of this genre and, in so doing, to identify the criticisms that these programs directed through humor at the school, at education and its agents, which were brought forward in conflicts between sonorous popular traditions and school knowledge.

Key words Tadio broadcasting. Humor. Education

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Angela Borges Salvadori, Universidade de São Paulo

Graduada e Mestre em História pelo Instituto de Filosofia e Ciências Humanas da Unicamp (1985 e 1990, respectivamente). Doutora em Educação pela Faculdade de Educação da Unicamp junto ao Departamento de Educação, Conhecimento, Linguagem e Arte (2000).

Referências

AGUIAR, C. A. et al. Por uma vida melhor. São Paulo: Global, 2009. 286p. (Coleção viver e aprender).

ANDRADE. M. A língua radiofônica. In: MEDITSCH, E. (Org.). Teorias do rádio. Florianó- polis, SC: Insular, 2005. p. 113-117.

BAKHTIN, M. A cultura popular na idade média e no renascimento. São Paulo: Hucitec, 1987. 419p.

BAKHTIN, M. Marxismo e filosofia da linguagem. 3. ed. São Paulo: Hucitec, 1986. 196p.

CALABRE, L. Políticas culturais no Brasil. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2009. 144p.

CASTELO, M. Rádio. Cultura Política – Revista Mensal de Estudos Brasileiros, Rio de Janeiro, ano 1, número 4, p. 283-285, jun. 1941. Disponível em: http://cpdoc.fgv.br. Acesso em: 06 set. 2011.

DE CERTEAU, M. A invenção do cotidiano. Petrópolis, RJ: Vozes, 1996. v. 1 (Artes de fazer) 351p.

DEMARTINI, Z. B.; ANTUNES, F. F. Magistério primário: profissão feminina, carreira masculina. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, número 86, p. 5-14, ago. 1993.

DUARTE, A. Roquette Pinto e a Rádio Sociedade do Rio de Janeiro: coletâneas de documentos.

202p. Dissertação (Mestrado Profissional em Bens Culturais e Projetos Sociais) – Fundação Getúlio Vargas, Rio de Janeiro.

FOLHA DE S. PAULO. Painel do Leitor, 21 maio 2011. A3.

FON FON. Entrevista com Berilo Neves, 1 de out. 1938, p. 36.

FON FON. O que é o rádio? Fator de educação ou de diversão?. Tribuna dos Radio- -Ouvintes, 16 set. 1939.

GOMES, A. C. Capanema, o ministro e seu ministério. Rio de Janeiro: Editora Fundação Getúlio Vargas, 2000. 272p.

MURCE, R. Bastidores do rádio. Rio de Janeiro: Imago, 1976. 165p.

PERDIGÃO, P. No ar, PRK-30. Rio de Janeiro: Casa da Palavra, 2003. 204p.

ROQUETTE PINTO, E. Alto falante. Electron, Rio de Janeiro, anno 1, n. 4, p. 1, mar. 1926. Disponível em: <http://www.fiocruz.br>. Acesso em: 06 set. 2011.

ROQUETTE PINTO, E. Discurso na seção inaugural da Rádio Sociedade. Rádio, Rio de Janeiro, anno 1, n. 19, p. 5, jul. 1924. Disponível em: <http://www.fiocruz.br>. Acesso em: 06 set. 2011.

SALGADO, A. Radiodifusão, fator social. Cultura Política – Revista Mensal de Estudos Brasileiros, Rio de Janeiro, ano 1, n. 6, p. 79-93, ago. 1941. Disponível em: http:// cpdoc.fgv.br. Acesso em: 06 set. 2011.

SILVA, J. L. O. A. Rádio: publicidade mediatizada. 2. ed. São Paulo: AnnaBlume, 1999. 115p.

THIN, D. Para uma análise das relações entre famílias populares e escola: confronta- ção entre lógicas socializadoras. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, v. 11, n. 32, p. 211-225, maio/ago. 2006.

THOMPSON, E. P. Costumes em comum. São Paulo: Companhia das Letras, 1998. 493p.

VICENTINI, P. P.; LUGLI, R. G. História da profissão docente no Brasil. São Paulo: Cortez, 2009. 234p.

Fonte Sonora

RÁDIO NACIONAL. Piadas do Manduca. Rio de Janeiro, 08 mar. 1947. Rio de Janeiro: Acervo do Museu da Imagem e do Som; Collector´s Studios Ltda, Serviço de Restauração de Acervo.

Downloads

Publicado

2016-01-11

Como Citar

SALVADORI, M. A. B. Repercussões satíricas dos processos de escolarização do social nas ondas do rádio (1930-1940). Pro-Posições, Campinas, SP, v. 23, n. 3, p. 195–212, 2016. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/proposic/article/view/8642850. Acesso em: 3 fev. 2023.

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)