A noção de fórmula em análise do discurso: quadro teórico e metodológico

Autores

  • Eduardo Caliendo Marchesan Universidade Estadual de Campinas

Resumo

O livro que aqui apresentamos, A noção de fórmula em análise do discurso, lançado em 2010, aponta um caminho bastante produtivo para pesquisadores de áreas diversas, incluindo as pesquisas em educação que se interessam pelo modo como a linguagem engendra perspectivas ideológicas, e revela posicionamentos políticos variados dentro de um mesmo campo. A autora é doutora em ciências da linguagem, professora de ciências da informação e comunicação na Université Paris Est Créteil e pesquisadora integrante do Centre d’étude des discours, images, textes, écrits et communications (Céditec). A divulgação de seus trabalhos no Brasil tem crescido e vem acontecendo primordialmente pela publicação de alguns artigos em periódicos especializados e de capítulos em livros, como As emoções no discurso (2007), organizado por Machado, Mendes e Menezes, e o recém-lançado Fórmulas discursivas (2011), organizado por Motta e Salgado.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Eduardo Caliendo Marchesan, Universidade Estadual de Campinas

Doutor em Langue Française pela Universidade Paris IV - Paris Sorbonne (École Doctorale: Concepts et Langages). Doutor em Educação pela UNICAMP (Departamento de Psicologia Educacional). Mestre em Ciências pela Universidade Federal de São Paulo- UNIFESP-EPM. Possui graduação em Letras (Linguística) pela Fac. de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, USP e graduação em Psicologia pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, PUC-SP. Membro do Grupo de Pesquisa Pensamento e Linguagem (GPPL). Tem experiência nas áreas de Análise Linguística e Filosofia da Linguagem, atuando principalmente nos seguintes temas: significação, pensamento, representação. 

Referências

AUTHIER-REVUZ, J. Palavras incertas: as não-coincidências do dizer. Campinas: Editora da Unicamp, 1998. 200 p.

CARMO, F. C. Folha de S. Paulo, São Paulo, 15 ago. 2009. Painel do leitor, p. A3.

COURTINE, J-J. Análise do discurso político: o discurso comunista endereçado aos cristãos. São Carlos: Edufscar, 2009. 250 p.

FIALA, M.; EBEL, P. Langages xénophobes et consensus national en Suisse/ 1960 – 1980: discours institutionnels et langage quotidian; la médiatisation des conflits. Nêuchatel: Unversité de Nêuchatel, 1983. 432 p.

KRIEG-PLANQUE, A. Purification ethnique: une formule et son histoire. Paris: CNRS, 2003. 520 p MACHADO, I. L.; MENDES, E.; MENEZES, W. A. (Org.). As emoções no discurso Rio de Janeiro: Lucerna, 2007. 336 p. v.1.

MAINGUENEAU, D. Gênese dos discursos. São Paulo: Parábola, 1984. 184 p.

MAINGUENEAU, D. Cenas da enunciação. São Paulo: Parábola, 2008. 184 p.

MOTTA, A. R.; SALGADO, L. (Org.). Fórmulas discursivas. São Paulo: Contexto, 2011. 176 p.

Downloads

Publicado

2016-01-12

Como Citar

MARCHESAN, E. C. A noção de fórmula em análise do discurso: quadro teórico e metodológico. Pro-Posições, Campinas, SP, v. 23, n. 2, p. 229–234, 2016. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/proposic/article/view/8642898. Acesso em: 1 fev. 2023.

Edição

Seção

Leituras e Resenhas