Quantidade e qualidade na pesquisa em educação, na perspectiva da dialética marxista

Autores

Palavras-chave:

Quantidade. Qualidade. Metodologia de pesquisa. Educação. Dialética marxista

Resumo

Este trabalho trata da relação entre métodos quantitativos e qualitativos nas ciências sociais em geral e na área da educação em particular. Começa focalizando a orientação positivista da Sociologia, assim como de outras ciências sociais em sua origem, mas rejeitando a identificação sumária entre métodos quantitativos e positivismo. Aborda, então, a querela metodológica, com destaque para três teses a respeito da relação entre métodos quantitativos e qualitativos: a da oposição ou incompatibilidade; a da complementaridade; e a da unidade. Esta última, como unidade na perspectiva da dialética marxista. Por fim, sugere que, em vez de nos inquirirmos sobre qual a competência metodológica de maior valor em absoluto, deveríamos perguntar-nos se e como diferentes competências metodológicas poderão articular-se no estudo de um determinado objeto ou problema social ou educacional

Abstract:

This paper deals with the relationship between quantitative and qualitative methods in the social sciences in general and in the area of education in particular. It starts by focusing on the positivistic orientation that sociology and other social sciences had in their origin, but rejects a simple identification of quantitative methods and positivism. It then discusses the methodological dispute, highlighting three theses on the relationship between quantitative and qualitative methods: the thesis of opposition or incompatibility, the thesis of complementariness and the thesis of unity. The latter is seen as a unity in the perspective of Marxist dialectics. The paper finally suggests that instead of wondering what is the methodological competence that has the highest absolute value, we should ask whether and in which way different methodological competences can be brought together in the study of a particular object or social or educational problem.

Key words: Quantity. Quality. Research methodology. Education. Marxist dialetics

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Alceu Ravanello Ferraro, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Possui graduação em Filosofia pela Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul (1971); graduação em Teologia pela Pontifícia Universidade Gregoriana (1960); graduação (1962), mestrado (1963) e doutorado (1969) em Ciências Sociais / Sociologia pela Pontifícia Universidade Gregoriana, Roma/Itália. Ex-membro do Comitê de Pesquisa do INEP, do Comitê de Assessor do CNPq e do Comitê Assessor da CAPES, área de Educação. Presidente da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação/ANPEd (1989/91 e 1991/93). 

Referências

ANDRÉ, M. E. D. A. de. Etnografia da prática escolar. 7. ed. Campinas, SP: Papirus, 2002.

BESSON, J-L. (Org.). A ilusão das estatísticas. São Paulo: Unesp, 1995a.

BESSON, J-L. As estatísticas: verdadeiras ou falsas? In: BESSON, J-L. (Org.). A ilusão das estatísticas. São Paulo: Unesp, 1995b. p. 25-67.

BESSON, J-L. Nem tanto excesso de honra, nem tanta indignidade. In: BESSON, J-L. (Org.). A ilusão das estatísticas. São Paulo: Unesp, 1995c. p. 257-261.

BOURDIEU, P. Coisas ditas. São Paulo: Brasiliense, 2004.

BURGESS, R. G. A pesquisa de terreno: uma introdução. Oeiras: Celta, 1997.

COMTE, M. Três milhões de desempregados. In: BESSON, J-L. (Org.). A ilusão das estatísticas. São Paulo: Unesp, 1995. p. 95-111.

CONDORCET, J-A. N. de C., Marquês de. Esboço de um quadro histórico dos progressos do espírito humano. Campinas: Unicamp, 1993.

DELLI ZOTTI, G. Quale quantità e quanta qualità nella ricerca sociale: tra integrazione e convergenza. In: CIPOLLA, C.; DE LILLO, A. (Org.). Il sociologo e le sirene. La sfida dei metodi qualitativi. Milano: Angeli, 1996. p. 136-166.

DERRIDA, J. Espectros de Marx. o estado da dívida, o trabalho do luto e a nova Internacional. Rio de Janeiro: Relume-Dumará, 1994.

DURKHEIM, É. As regras do método sociológico. Tradução de Maria Isaura Pereira de Queiroz. 6. ed. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1971. FARIA FILHO, L. M. de; NEVES, L. S.; CALDEIRA, S. M. A estatística educacional e a instrução pública no Brasil: aproximações. In: CANDEIAS, A. (Coord.). Modernidade, educação estatística na Ibero-América dos séculos XIX e XX: estudos sobre Portugal, Brasil e Galiza. Lisboa: Educa, 2005. p. 219-238.

FLICK, U. Uma introdução à pesquisa qualitativa. Tradução de Sandra Netz. Porto Alegre: Bookmann, 2004.

FOUQUET, A. Visita a uma empresa. In: BESSON, J-L. (Org.). A ilusão das estatísticas. São Paulo: Unesp, 1995. p. 163-166.

GAMBOA, S. S. Quantidade-qualidade: para além de um dualismo técnico e de uma dicotomia espistemológica. In: SANTOS FILHO, J. C. dos; GAMBOA, S. S. Pesquisa educacional: quantidade-qualidade. 6. ed. São Paulo: Cortez, 2007. p. 84-110.

GATTI, B. A. Estudos quantitativos em educação. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 30, n. 1, p. 11-30, jan./abr. 2004.

GIL, N. de L. A dimensão da educação nacional: um estudo sócio-histórico sobre as estatísticas oficiais da escola brasileira. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo, São Paulo, 2007. 409 p.

GOODE, W. J.; HATT, P. K. Métodos em pesquisa social. 3. ed. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1969.

GRAMSCI, A. Concepção dialética da história. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1966.

GRAMSCI, A. Cadernos do cárcere. Ed. Carlos Nelson Coutinho. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2001. v. 1.

GRAWITZ, M. Méthodes des sciences sociales. 10. ed. Paris: Dalloz, 1996.

LESSARD-HÉBERT, M.; GOYETTE, G.; BOUTIN, G. Investigação qualitativa: fundamentos e práticas. Lisboa: Instituto Piaget, 1994.

LÖWY, M. Ideologias e ciência social. Elementos para uma análise marxista. São Paulo: Cortez, 1985.

LÖWY, M. As aventuras de Karl Marx contra o Barão de Minchausen. Marxismo e positivismo na sociologia do conhecimento. 2. ed. São Paulo: Busca Vida, 1988.

MARX, Karl. O capital. 16. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1998. l. 1, v. 1.

PHILLIPS, B. S. Pesquisa social: estratégias e táticas. Rio de Janeiro: Agir, 1974. p. 129.

RICHARDSON, R. J. et alii. Pesquisa social: métodos e técnicas. 3. ed. rev. e aum. 8. reimpr. São Paulo: Atlas, 2008.

SANTOS FILHO, J. C. Pesquisa quantitativa versus pesquisa qualitativa: o desafio paradigmático. In: SANTOS FILHO, J. C. dos; GAMBOA, S. S. Pesquisa educacional: quantidade-qualidade. 6. ed. São Paulo: Cortez, 2007. p. 13-59 SANTOS FILHO, J. C. dos; GAMBOA, S. S. Pesquisa educacional: quantidade-qualidade.

ed. São Paulo: Cortez, 2007 STALLYBRASS, P. O casaco de Marx: roupas, memória, dor. Tradução de Tomaz Tadeu da Silva. Belo Horizonte: Autêntica, 1999.

STIEHLER, G. A filosofia de Hegel, uma das origens teóricas da concepção do mundo de Marx e Engels. In: VILHENA, V. de M. Marx e Hegel (Marx e o “caso” Hegel). Lisboa: Livros Horizonte, 1985. p. 191-213.

VERÍSSIMO, É. Incidente em Antares. 1. ed., 9. impr. Porto Alegre: Globo, 1973.

WETTER, G. Le materialisme dialectique. Traduit de l’allemand par F. Ollivier. Bruges: Desclée de Brouwer, 1962.

Downloads

Publicado

2016-02-12

Como Citar

FERRARO, A. R. Quantidade e qualidade na pesquisa em educação, na perspectiva da dialética marxista. Pro-Posições, Campinas, SP, v. 23, n. 1, p. 129–146, 2016. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/proposic/article/view/8643230. Acesso em: 6 fev. 2023.

Edição

Seção

Artigos