Tendências e tensões de sociabilidade de estudantes dos Palop em duas universidades brasileiras

Autores

  • Kelly Silva Universidade de Brasília
  • Sara Santos Morais Universidade de Brasília

Palavras-chave:

Cooperação internacional. Palop, estudantes. Cooperação acadêmica. Socialização. Tensão

Resumo

Este trabalho discute, a partir de uma perspectiva etnográfica, tendências e tensões características da sociabilidade de estudantes africanos – vindos de países de língua oficial portuguesa – na Universidade de Brasília (UnB) e na Universidade de São Paulo (USP). Abordamos os modos pelos quais eles experimentam as práticas linguísticas e pedagógicas das universidades, vivenciam as tensões raciais existentes no Brasil, atribuem sentido aos espaços urbanos nos quais são acolhidos; e analisamos seus padrões mais comuns de interação e agregação. Sugerimos que o tempo de participação no fluxo migratório, a nacionalidade de origem dos estudantes e a cidade de acolhida no Brasil são variáveis que condicionam de forma importante a sociabilidade dos estudantes. Residualmente, e de forma ainda incipiente, exploramos algumas dinâmicas de identificação entre os alunos. Alguns se apresentam como sujeitos em diáspora. Outros, contudo, chamam atenção para a necessidade de continuarem a ser reconhecidos como estrangeiros. A maioria demonstra surpresa em se ver percebido como negro ou africano, simplesmente. Os estudantes vêm para o Brasil mediante o Programa Estudante Convênio de Graduação (PEC-G), um acordo diplomático que facilita o deslocamento do aluno ao nosso país a fim de realizar seu curso de nível superior.

Abstract:

This article discusses typical tendencies and tensions of the sociability of foreign students from African countries where Portuguese is the official language at ‘Universidade de Brasilia’ and at ‘Universidade de São Paulo’. Our analysis is carried out through an ethnographic approach. We analyze the way students experienced the linguistic and pedagogical practices at the universities, the way they make sense the urban spaces they live as well as the Brazilian typical racial tensions and their most common patterns of integration and aggregation. The time they are involved in the migratory flow, the city they live in Brazil and their nationalities are variables playing important roles in their tendencies of socialization. Although still in a budding phase, , we explore some identity dynamics among the students. The meaning they attribute to their condition in Brazil is hardly the same. Some of them consider they are in diaspora, while others require tobe recognized as strangers/foreigners. The majority of them are surprised when they realize they are simply seen as Africans or black people in Brazil. The students move to Brazil under the Undergraduate Student Agreement Program (PEC-G). Such program supports the displacement of students from developing countries to Brazil in order for them to do their undergraduate studies.

Key words: International cooperation. PALOP (African countries where the official language is Portuguese). Students. Academic exchanges. Socialization. Tension.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Sara Santos Morais, Universidade de Brasília

Possui graduação em Ciências Sociais pela Universidade de Brasília (2009), Mestrado em Antropologia Social pela Universidade de Brasília (2012). Desde 2013, exerce o cargo de Técnica em Antropologia no Departamento de Patrimônio Imaterial (DPI) do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN). Tem experiência na área de Antropologia, com ênfase nas áreas de acordos de cooperação internacional para educação superior, circulação internacional de estudantes, Moçambique, atuando principalmente nos seguintes temas: estudantes moçambicanos, Palop, patrimônio imaterial, Inventário Nacional de Referências Culturais (INRC).

Referências

ALMEIDA, A. M. F.; CANÊDO, L. B.; GARCIA, A.; BITTENCOURT, A. B. (Org.). Circulação internacional e formação intelectual das elites brasileiras. Campinas, SP: Editora da Unicamp, 2004.

BASCH, L.; SCHILLER, N.; BLANC. C. S. Nations unbound: transnational projects, postcolonial predicaments and deterritorialized nation-states. Langhorne: Gordon & Breach, 1994.

BOURDIEU, P. Economia das trocas simbólicas. São Paulo: Perspectiva, 1992.

BOURDIEU, P. Esboço de uma teoria da prática. Oeiras: Ceuta, 2002.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Superior. Manual do Programa de Estudantes-Convênio de Graduação – PEC-G. Brasília, 2000.

CLIFFORD, J. Partial truths. In: CLIFFORD, J.; MARCUS, G. Writing culture. University of California Press, 1984.

CLIFFORD, J. Las diásporas. In: CLIFFORD, J. Itinerarios transculturales. Barcelona: Gedisa, 1999.

COSTA, A. B. Estudantes moçambicanos em Lisboa: dinâmicas identitárias e processos de mudança social e cultural. In: REUNIÃO BRASILEIRA DE ANTROPOLOGIA, 26., 1 a 4 de junho de 2008. Porto Seguro. Comunicação final.

COSTA, A. B. Emigração de quadros, formação superior e desenvolvimento: o caso de Moçambique. Pro-Posições, Campinas, v. 20, n. 1 (58), p. 127-145, 2009.

FARIA, M. L. de. Cooperação no âmbito do ensino superior: ser estudante angolano em universidades portuguesas. Pro-Posições, Campinas, v. 20, n. 1 (58), p. 45-63, 2009.

FONSECA, D. J. A tripla perspectiva: a vinda, a permanência e a volta de estudantes angolanos no Brasil. Pro-Posições, Campinas, v. 20, n. 1 (58), p. 23-44, 2009.

FOUCAULT, M. Segurança, território, população. São Paulo: Martins Fontes, 2008.

GRAMSCI, A. Maquiavel, a política e o Estado moderno. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1991.

GUSMÃO, N. M. M. Os filhos da África em Portugal: antropologia, multiculturalidade e educação. Belo Horizonte: Autêntica, 2005.

GUSMÃO, N. M. M. Diáspora africana: a vida de imigrantes e estudantes em Portugal e no Brasil. In: REUNIÃO BRASILEIRA DE ANTROPOLOGIA, 26., 1 a 4 de junho de 2008, Porto Seguro, 2008a.

GUSMÃO, N. M. M. África e Brasil no mundo acadêmico: diálogos cruzados. In: COLÓQUIO INTERNACIONAL SABER E PODER, 20 a 22 de outubro de 2008, Campinas, 2008b.

GUSMÃO, N. M. M. Apresentação do dossiê. Pro-Posições, Campinas, v. 20, n. 1 (58), p. 13-21, 2009.

HALL, S. Da diáspora: identidades e mediações culturais. Belo Horizonte: UFMG: Representações da Unesco no Brasil, 2003.

HARAWAY, D. Saberes localizados: a questão da ciência para o feminismo e o privilégio da perspectiva parcial. Cadernos Pagu, Campinas, n. 5, 1995, p.7-41.

HARVEY, D. A condição pós-moderna. São Paulo: Loyola, 1996 [1989].

HIRSCH, O. N. “A gente parece um camaleão”: (re)construções identitárias em um grupo de estudantes cabo-verdianos no Rio de Janeiro. Pro-Posições, Campinas, v. 20, n. 1 (58), p. 65-81, 2009.

LIBERATO, E. S. de O. A formação de quadros angolanos no exterior: Portugal e Brasil como países de acolhimento. In: CONGRESSO LUSO-AFRO-BRASILEIRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS, 11., 2011, Salvador.

LOBO, A. Mantendo relações à distância. O papel do fluxo de objetos e informações na configuração de relações familiares transnacionais e Cabo Verde. In: TRAJANO FILHO, W. Lugares, pessoas e grupos: as lógicas do pertencimento em perspectiva internacional. Brasília: Athalaia, 2010.

MOURÃO, D. E. Identidades em trânsito. África “na pasajen”: identidades e nacionalidade guineenses e cabo-verdianas. Campinas: Arte Escrita, 2009a.

MOURÃO, D. E. Guiné-Bissau e Cabo Verde: identidades e nacionalidades em construção. Pro-Posições, Campinas, v. 20, n. 1 (58), p. 83-101, 2009b.

MUNGOI, D. M. D. C. J. “O mito Atlântico”: relatando experiências singulares de mobilidade dos estudantes africanos em Porto Alegre no jogo de construção e reconstrução de suas identidades étnicas. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2006.

MUNGOI, D. M. D. C. J. Alteridades e fluxos migratórios no “atlântico negro”: estudantes africanos no Sul do Brasil. In: JARDIM, D. F. Cartografias da imigração: interculturalidade e políticas públicas. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2007. p. 189-215.

NGOMANE, Y. N. Estudantes moçambicanos em Belo Horizonte: uma discussão sobre a construção identitária e de redes de sociabilidade. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2010.

SILVA, K. C. da. A cooperação internacional como dádiva. Algumas aproximações. MANA, Rio de Janeiro, v. 14, n. 1, p. 141-171, abr. 2008.

SIMMEL, G. O estrangeiro. In: MORAES FILHO, E. (Org.). Sociologia: Simmel. São Paulo: Ática, 1983, p. 182-188.

SUBUHANA, C. Estudar no Brasil: imigração temporária de estudantes moçambicanos no Rio de Janeiro. Tese (Doutorado) – Escola de Serviço Social, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2005.

SUBUHANA, C. A experiência sociocultural de universitários da África Lusófona no Brasil: entremeando histórias. Pro-Posições, Campinas, v. 20, n. 1 (58), p. 103-126, 2009.

URIARTE BÁLSAMO, P. Perigoso é não correr perigo. Experiências de viajantes clandestinos em navios de carga no Atlântico Sul. Tese (Doutorado) – Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2009.

VIEIRA, R. Reconfigurações identitárias de imigrantes brasileiros em Portugal. In: REUNIÃO BRASILEIRA DE ANTROPOLOGIA, 26., 1 a 4 de junho de 2008, Porto Seguro.

Downloads

Publicado

2016-02-12

Como Citar

SILVA, K.; MORAIS, S. S. Tendências e tensões de sociabilidade de estudantes dos Palop em duas universidades brasileiras. Pro-Posições, Campinas, SP, v. 23, n. 1, p. 163–182, 2016. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/proposic/article/view/8643232. Acesso em: 5 fev. 2023.

Edição

Seção

Artigos