Banner Portal
Paternidade e saúde reprodutiva: discursos de jovens em documentários autobiográficos
Remote

Palavras-chave

Paternidades. Sexualidade. Gênero. Identidade. Documentários autobiográficos

Como Citar

PEREIRA JUNIOR, Geraldo; SIQUEIRA, Vera Helena Ferraz; REZENDE, Luiz Augusto. Paternidade e saúde reprodutiva: discursos de jovens em documentários autobiográficos. Pro-Posições, Campinas, SP, v. 22, n. 1, p. 131–149, 2016. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/proposic/article/view/8643284. Acesso em: 21 abr. 2024.

Resumo

Este artigo apresenta um estudo empírico, fundamentado em noções pós-estruturalistas, voltado à identificação de significados atribuídos por alguns jovens à temática “paternidade”, em relação, principalmente, a aspectos de saúde reprodutiva e sexualidade. Os dados foram gerados a partir da realização, pelos jovens, de documentários autobiográficos sobre essa temática. Evidenciou-se que os aspectos de transformação dos discursos sobre paternidade são muito sutis, dispersos em um número crescente de discursos e que eles se apoiam tanto em paradigmas tradicionais como não tradicionais.

Abstract:

This article presents an empirical study founded on post-structural notions, aiming at identifying the meanings attributed by some youngsters on the issue of paternity, mainly related to reproductive health and sexuality. Data was generated from autobiographical documentaries about the issue of paternity prepared by the youngsters. It was evidenced that the transformational aspects of the discourses on paternity are very subtle, dispersed in an increasing number of discourses and relying both on the traditional and non-traditional paradigms.

Key words: Paternity;. Sexuality. Gender. Identities. Autobiographical documentaries

Remote

Referências

BADINTER, E. Um amor conquistado: o mito do amor materno. Tradução de Waltensir Dutra. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1985.

BADINTER, E. XY: sobre a identidade masculina. Tradução de Maria Ignez Duque Estrada. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1992. 266 p.

BOURDIEU, P. A ilusão biográfica. In: FERREIRA, M. de M.; AMADO, J. (Org.). Usos e abusos da história oral. Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas, 1998.

BOURDIEU, P. A dominação masculina. Tradução de Maria Helena Kuhner. 2. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2002.

BOZON, M.; HEILBORN, M. L. Les caresses et les mots: initiations amoureuses à Rio de Janeiro et à Paris.. Terrain, Paris, n. 27, p. 37-58, sept. 1996.

BRANDÃO, E. R.; HEILBORN, M. L. Sexualidade e gravidez na adolescência entre jovens de camadas médias do Rio de Janeiro, Brasil. Cadernos de Saúde Pública, v. 22, n. 7, p. 1421- 1430, 2006.

BUSTAMANTE, V. Ser pai no subúrbio ferroviário de Salvador: um estudo de caso com homens de camadas populares. Psicologia Estudantil, Maringá, v. 10, n. 3, 2005a.

BUSTAMANTE, V. Participação paterna no cuidado de crianças pequenas: um estudo etnográfico com famílias de camadas populares. Cadernos de Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 21, n. 6, 2005b.

CALLE, S. Douleur exquise. Paris: Actes Sud, 2003.

DA-RIN, S. Espelho partido: tradição e transformação do documentário cinematográfico. 1995. Dissertação. (Mestrado) – Programa de Pós Graduação em Comunicação, Escola de Comunicação, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 1995.

DEVREUX, Anne-Marie. A paternidade na França: entre igualização dos direitos parentais e lutas ligadas às relações sociais de sexo. Sociedade e Estado, Brasília, v. 21, n. 3, 2006.

FISCHER, R. M. B.. O estatuto pedagógico da mídia : questões de análise. Educação & Realidade, Porto Alegre: v. 22, n. 2, p. 59-80, jul./dez., 1997.

FONSECA, C. A certeza que pariu a dúvida: paternidade e DNA. Revista Estudos Femininos, Florianópolis, v. 12, n.2, maio/ago, 2004.

FOUCAULT, M.. História da sexualidade I: a vontade de saber. Tradução de Maria Thereza da Costa Albuquerque e J. A. Guilhon Albuquerque. Rio de Janeiro: Graal, 1988.

FOUCAULT, M. Dits et écrits, Paris: Gallimard, 1994. p. 783-813. v. 4.

FOUCAULT, M. A ordem do discurso. 14.. ed. São Paulo: Loyola, 2006.

FOUCAULT, M. Arqueologia do saber. Tradução de Luiz Felipe Baeta Neves. 7. ed. Rio de Janeiro: Forense, 2007.

GIDDENS, A. A transformação da intimidade. Sexualidade, amor e erotismo nas sociedades modernas. São Paulo: Editora Unesp, 1993.

GIDDENS, A.. Modernidade e identidade. Tradução de Plínio Dentzien. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2002.

GOMES, A. J. da S.; RESENDE, V. da R. O pai presente: o desvelar da paternidade em uma família contemporânea. Psicologia: Teoria e Pesquisa, Brasília, v. 20, n. 2, 2004.

HALL, S. A identidade cultural na pós-modernidade. Tradução de Tomaz Tadeu da Silva e Guaracira Lopes Louro. 9. ed. Rio de Janeiro: DP&A, 2004.

HEILBORN, M. L. O traçado da vida: gênero e idade em dois bairros populares no Rio de Janeiro. In: MADEIRA, F.; MUÑOZ-VARGAS, M. (Org.). Quem mandou nascer mulher: gênero e infância no Brasil. Rio de Janeiro: Rosa dos Tempos: Unicef, 1997a. p. 291-392.

HEILBORN, M. L. Gênero, sexualidade e saúde. In: Uerj. (Org.). Saúde, sexualidade e reprodução – compartilhando responsabilidades. Rio de Janeiro: Eduerj, 1997b. p. 101-110.

HEILBORN, M. L.; GOUVEIA, P. F. Marido é tudo igual: mulheres populares e sexualidade no contexto da Aids. In: PARKER, R.; BARBOSA, R. M. (Org.). Sexualidades pelo avesso. Direitos, identidades e poder, IMS/UERJ. Rio de Janeiro: Editora 34, 1999. p. 175-198.

LARROSA, J. Tecnologias do eu e educação. In: SILVA, T. T. (Org.). O sujeito da educação: estudos foucaultianos. Petrópolis, Rio de Janeiro: Vozes, 1994.

LEVANDOWSKI, D. C.; PICCININI, C. A. Expectativas e sentimentos em relação à paternidade entre adolescentes e adultos. Psicologia: Teoria e Pesquisa, Brasília, v. 22, n.1, 2006.

LINS, C. L. O documentário expandido de Maurício Dias e Walter Riedweg. Dossier eletrônico VídeoBrasil. São Paulo: Associação VídeoBrasil, 2007.

LYRA, J. Paternidade adolescente: da investigação à intervenção. In: ARILHA, M.; UNBEHAUM, S.; MEDRADO, B. (Org.). Homens e masculinidades: outras palavras. São Paulo: ECOS/Ed. 34, 1988. p. 185-214,.

LYRA, J.; MEDRADO, B.; ADRIÃO, K.; LIMA, J.; MELO, L.; SILVA, A.; VIEIRA, N. Papai: uma experiência de ensino, pesquisa e extensão. Cadernos da Extensão, Recife, ano 1, n. 1, p. 57-66, dez., 1998.

MEDRADO, B.; LYRA, J. Paternidade na adolescência: para além da prevenção. BVS – Biblioteca Virtual em Saúde – Adolec., 2000. Disponível em: <http://www.adolec.br/bvs/adolec/P/ textocompleto/pfpaternida.htm>. Acesso em: 29 dez. 2009.

MEDRADO, B.; LYRA, J.; NASCIMENTO, P.; GALVÃO, K. Homens, por quê? Uma leitura da masculinidade a partir de um enfoque de gênero. Perspectivas em Saúde e Direitos Reprodutivos, São Paulo/SP, v. 3, p. 12-16, 2000.

MEDRADO, B. Homens na arena do cuidado infantil: imagens veiculadas pela mídia. In: ARILHA, M.; RIDENTI, S.; MEDRADO, B. (Org.) – Homens e masculinidades: outras palavras. São Paulo: ECOS, 1998 p. 145-162.

SILVA, R. A. S.; SOARES, R. Juventude, escola e mídia. In: LOURO, G. L.; NECKEL, J. F.; GOELLNER, S.V. (Org.). Corpo, gênero e sexualidade: um debate contemporâneo na educação. Petrópolis: Vozes, 2003.

SILVA, P. R. da. Documentários performáticos: a incorporação do autor como inscrição da subjetividade. 2004. Dissertação. (Mestrado) – Programa de Pós-Graduação em Comunicação, Escola de Comunicação, Universidade Federal do Rio de Janeiro, 2004.

SOUZA, M. W. de. Juventude e os nossos espaços sociais de construção e negociação de sentido. Educação & Realidade, Porto Alegre, v. 22, n. 2S/97, p. 47-58, 1994.

STRATHERN, M. Necessidade de pais, necessidade de mães. Estudos Feministas, v. 3, n. 2, p. 303-329, 1995.

THURLER, A. L. Outros horizontes para a paternidade brasileira no século XXI? Sociedade e Estado, Brasília, v. 21, n. 3, 2006.

TRONCHIN, D.; TSUNECHIRO, M. A. Cuidar e o conviver com o filho prematuro: a experiência do pai. Revista Latino-Americana de Enfermagem, Ribeirão Preto, v. 14, n. 1, 2006.

Proposições utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto.

Downloads

Não há dados estatísticos.