Banner Portal
Uma educação pela natureza: vida ao ar livre e métodos terapêuticos nas colônias de férias infantis do Estado de São Paulo (1940)
Remote

Palavras-chave

Colônias de férias infantis. Naturez. Cidade. Educação do corpo. História

Como Citar

DALBEN, A.; SOARES, C. L. Uma educação pela natureza: vida ao ar livre e métodos terapêuticos nas colônias de férias infantis do Estado de São Paulo (1940). Pro-Posições, Campinas, SP, v. 22, n. 1, p. 167–182, 2016. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/proposic/article/view/8643286. Acesso em: 4 mar. 2024.

Resumo

A montanha e o litoral afirmam-se no imaginário urbano paulista da década de 1940 como propícios locais para a instalação de colônias de férias infantis. O clima, a altitude, a água e o sol, são elementos naturais próprios dessas localidades, considerados cientificamente como instrumentos capazes de revigorar as fragilidades orgânicas das crianças que tiveram a sua saúde deteriorada pelos agitados ritmos e artifícios oriundos da vida urbana. Organizam-se, assim, nessas instituições extraescolares, procedimentos médico-educativos para as férias infantis, transformando-as em tempo destinado à educação e ao fortalecimento do corpo. O artigo tem por objetivo estudar essa educação do corpo realizada nas colônias de férias infantis que, ao privilegiar a natureza e seus elementos, afirma e desenha comportamentos e formas de uma vida higiênica para a cidade e seus moradores

Abstract:

The mountains and the coast are present in the urban imaginary of São Paulo State in the 1940’s as appropriate spots for summer camps. The climate, the altitude, the water and the sun are natural elements at these places, scientifically considered as instruments able to restore organic frailties of children who have their health spoiled by the disturbing pace and stratagems of their urban lifestyle. Therefore, educational and medical procedures are organized at these school holiday institutions, turning them into time dedicated to educate and strengthen the body. This article aims to study this education of the body performed in summer camps that, by privileging nature and its elements, reinforces and draws behaviors and manners of a hygienic lifestyle for the city and its dwellers.

Keywords: Summer camps. Nature. City. Education of the body. History

Remote

Referências

ÁLVARO, G. A campanha sanitária de Santos: suas causas e seus efeitos. São Paulo: Serviço Sanitário do Estado de São Paulo; Casa Duprat, 1919.

BERTOLLI FILHO, C. História social da tuberculose e do tuberculoso: 1900 – 1950. 1993. Tese (Doutorado) – FFLCH – USP, 1993.

BOIGEY, M. A influencia hygienica do mar e dos banhos de mar. Educação physica, Rio de Janeiro, n. 13, p. 70-73, dez. 1937.

BRANCO, P. C. Técnica dos banhos de sol. Revista de Educação Física, Rio de Janeiro, v. 2, n. 9, p. 31, jun. 1933.

CHALHOUB, S. A cidade febril: cortiços e epidemias na corte imperial. São Paulo: Companhia das Letras, 1996.

COLÔNIA de férias dos escolares da cidade de Araraquara. O Estado de S. Paulo. São Paulo, 12 nov. 1939.

CORBIN, A. Saberes e odores: o olfato e o imaginário social nos séculos XVIII e XIX. São Paulo: Companhia das Letras, 1987.

DALBEN, A. Educação do corpo e vida ao ar livre: natureza e educação física em São Paulo (1930-1945). 2009. Dissertação (Mestrado em Educação Física) – Faculdade de Educação Física – Unicamp, Campinas. 2009.

DALBEN, A.; DANAILOF, K. Natureza urbana: parques infantis e escola ao ar livre em São Paulo (1930-1940). Revista Brasileira de Ciências do Esporte. Campinas, SP, v. 31, n. 1, set. 2009.

DANAILOF, K. Corpos e cidades: lugares da educação. 2002. Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Educação – Unicamp – Campinas,2002.

DELAPLACE, J. M. Georges Hebert: sculpteur de corps. Paris: Vuibert, 2005.

DELAPLACE, J. M. Georges Hébert: la méthode naturelle et l’école (1905-1957). Thèse (Doctorat en Sciences et Techniques des Activités Physiques et Sportives) – Université Lyon 1 (STAPS), 2000. 2 tomos. (Sous la direction de Pierre Arnaud).

DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO FÍSICA. Relatório de 1942. 1942. Campinas: Centro de Memória – Unicamp. (Fundo Otília Foster).

ECO, H. História da beleza. Rio de Janeiro: Record, 2004.

FERRAZ, M. de S. Campos do Jordão. 3. ed. São Paulo: Diretoria de Publicidade Agrícola da Secretaria da Agricultura, Indústria e Comércio, 1940.

HASSE, M. O divertimento do corpo: corpo, lazer e desporto na transição do século XIX para o XX em Portugal. Lisboa: Temática, 1999.

KEHL, R. A luz solar. Educação Physica, Rio de Janeiro, n. 55, p. 44, jun. 1941a.

KEHL, R. O banho. Educação Physica, Rio de Janeiro, n. 61, p. 26-28, dez. 1941b.

MANN, T. A montanha mágica. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2000.

MARTIN-FUGIER, A. Os ritmos da vida privada. In: PERROT, Michelle (Org.). História de vida privada: da Revolução Francesa a Primeira Guerra. São Paulo: Companhia das Letras, 1991. v. 4.

PAULO FILHO, P. A história de Campos do Jordão. Aparecida/SP: Santuário, 1977.

RAUCH, A. As férias e a natureza revisitada. In: CORBIN, Alain. História dos tempos livres.

Lisboa: Teorema, 2001a.

RAUCH, A. Vacances en France: de 1830 à nous jours. Paris: HACHETTE Littératures, 2001b.

ROMANO, I.Uma formula de saude: “ar-sol”. Educação Physica, Rio de Janeiro, n. 24, p. 51- 52, nov. 1938.

SAMPAIO, T. Notas de viagem. São Paulo: Typografia da Companhia Industrial de São Paulo, 1893.

SANCHEZ, J. M. A eletricidade do mar. Radiações de caracter múltiplo fazem com que o mar seja um excellente Tonico para a saúde physica e mental. Educação Physica, Rio de Janeiro, n.

, p. 26-28, nov. 1937.

SEVCENKO, N. Orfeu extático na metrópole: São Paulo, sociedade e cultura nos frementes anos 20. São Paulo: Companhia das Letras, 1992.

SOARES, C. L. Georges Hébert e o método natural: nova sensibilidade, nova educação do corpo. Revista Brasileira de Ciências do Esporte. Campinas, SP, v. 25, n. 1, set. 2003.

SOARES, Carmen Lucia. Corps, éducation, savoirs et pratiques. In Proceedings of the VII Congrès de la Société Internationale d’Histoire du Sport et de l’Education Physique (Sport et nature dans l’histoire). ISHPES – Studies, vol. 10, Academia Verlag: Sankt Augustin, 2004, p. 180-185.

SOARES, C. L. Educação física: raízes européias e Brasil. 2. ed. Campinas, SP: Autores Associados, 2001.

STEPAN, N. L. A hora da eugenia: raça, gênero e nação na América Latina. Rio de Janeiro: Editora Fiocruz, 2005.

TERRIZANO, V. M. Banhos de mar. Educação Physica, Rio de Janeiro, n. 14, p. 28-29, jan.

TOTTA, M. Serra ou mar? Vida e saúde, Santo André, v. 5, n. 1, jan. 1943.

VIGARELLO, G. O limpo e o sujo. São Paulo: Martins Fontes, 1996.

VILLARET, S. Histoire du naturisme en France depuis le siècle des lumières. Paris: Vuibert, 2005.

WILLIAMS, R. O campo e a cidade na história e na literatura. São Paulo: Schwarcz, 1989.

Proposições utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto.

Downloads

Não há dados estatísticos.