Banner Portal
A imagem de satélite: do técnico ao político na construção do conhecimento geográfico
Remote

Palavras-chave

Imagem de satélit. Paisage. Conhecimento geográfico

Como Citar

CASTILLO, Ricardo. A imagem de satélite: do técnico ao político na construção do conhecimento geográfico. Pro-Posições, Campinas, SP, v. 20, n. 3, p. 61–70, 2016. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/proposic/article/view/8643388. Acesso em: 23 maio. 2024.

Resumo

A idéia central do artigo é estabelecer uma articulação entre técnica, política e epistemologia particular da Geografia, a partir de uma discussão sobre a imagem de satélite, em suas dimensões sensorial, sintáxica e semântica. Nosso propósito é contribuir para o esclarecimento do papel que a imagem de satélite desempenha não apenas como instrumento da ação informada, mas também na construção do conhecimento geográfico.

Abstract:

The central idea of this paper is to establish a link between the technique, politics and particular epistemology of geography, concerning satellite images and their sensorial, algorithmic and semantic dimensions. Our purpose is to contribute for the clarification of the role that the satellite imagery plays in the construction of geographic knowledge and as an instrument for decision taking.

Key words: Satellite imagery. Landscape. Geographical knowledge

Remote

Referências

BARDINET, C. Paysages numériques par Spot et Landsat: de Xingtaï (Hebeï) a Yan’an (Shaanxi). Bulletin de l’ Association Gégraphique Française. Paris, 1994.

CÂMARA, Gilberto. Geometrias não são geografias: o legado de Milton Santos. InfoGeo, Curitiba, ano 3, n. 20, 2001.

CAPEL, H. Filosofía y ciencia de la geografía. Barcelona: Barcanova, 1981.

CASTILLO, Ricardo. Sistemas orbitais e uso do território: integração eletrônica e conhecimento digital do território brasileiro. 1999. 317p. Tese (Doutorado em Ciências – Geografia Humana) – Universidade de São Paulo, São Paulo.

CASTILLO, Ricardo. A imagem de satélite como estatística da paisagem: crítica a uma concepção reducionista da Geografia. Ciência Geográfica, Bauru – VIII, v. 1, n. 21, jan. /abr., 2002.

CASTRO, Iná Elias de. Geografia e política: território, escalas de ação e instituições. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2005.

FEL, A. La géographie et les techniques. In: GILLE, B. (Dir.) Histoire des techniques. Encyclopédie de la Pléiade. Paris: Gallimard, 1978.

ISNARD, H. O espaço geográfico. Coimbra: Almedina, 1982.

LACOSTE, Yves. Les enjeux de la géographie. Autrement n. 152 — Penser la Terre. stratèges et citoyens: le réveil des géographes, 1995.

LATOUR, Bruno. Nous n´avons jamais été modernes: essai d´anthropologie symétrique. Paris: La Découverte, 1994.

LÉVY, Pierre. La machine univers: création, cognition et culture informatique. Paris: La Découverte, 1987.

LÉVY, P. A revolução contemporânea em matéria de comunicação. Revista FAMECOS. Porto Alegre, n. 9, dez. 1998. Disponível em: <http://www.pucrs.br/famecos/pos/revfamecos/9/ Levy.pdf>. Acesso em: janeiro de 2007.

ORTEGA y GASSET, José. Que é filosofia? Rio de Janeiro: Livro Ibero-Americano, 1961.

PIKE, Richard. Geography on the planets: gift of remote sensing. The Professional Geographer, Washington D.C., v. 39, n. 2, 1987.

SANTOS, Boaventura de Sousa. Um discurso sobre as ciências na transição para uma ciência pós-moderna. Estudos Avançados. Universidade de São Paulo, v. 2, n.2, p. 46-71, maio / ago. 1988.

SANTOS, Boaventura de Sousa. Introdução a uma ciência pós-moderna. Rio de Janeiro: Graal, 1989.

SANTOS, Milton. A responsabilidade social dos geógrafos. Jornal de Geografia, Uberaba, out. 1985.

SANTOS, Milton. Metamorfoses do espaço habitado. São Paulo: Hucitec, 1988.

SANTOS, Milton. A natureza do espaço: técnica e tempo, razão e emoção. São Paulo: Hucitec 1996.

SANTOS, Milton. Por uma outra globalização: do pensamento único à consciência universal. Rio de Janeiro: Record, 2000.

Proposições utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto.

Downloads

Não há dados estatísticos.