Banner Portal
Experimentar, devir, contagiar: o que pode um corpo?
Remote

Palavras-chave

Corpo. Educação. Singularizaçã. Experimentação. Clown

Como Citar

KASPER, Kátia Maria. Experimentar, devir, contagiar: o que pode um corpo?. Pro-Posições, Campinas, SP, v. 20, n. 3, p. 199–213, 2016. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/proposic/article/view/8643397. Acesso em: 23 maio. 2024.

Resumo

Aliando-nos aos clowns – e também aos xamãs e outros — investigamos as potências do corpo, em ressonância com processos de singularização. O corpo clownesco – com seu poder de afetar e ser afetado, com sua lógica própria, envolvendo modos de sentir, pensar, agir, singulares — é um dos eixos da construção do clown. A iniciação clownesca – tal como a praticada pelo Lume: Núcleo Interdisciplinar de Pesquisas Teatrais da Unicamp – torna-se uma experiência de devir-outro, invenção de outros afectos, envolvendo uma atitude de escuta do mundo com o corpo todo, um estado de alerta e, ao mesmo tempo, de grande entrega e disponibilidade. Trata-se das ressonâncias dos encontros, de algo que ocorre entre o clown e o outro. As dimensões ética, política, estética e filosófica estão imbricadas nesse aspecto de afirmação da vida, na construção de outros modos de existência.

Abstract:

Allied to clowns – and also to shamans and others – we investigate the power of a body, in resonance with singularization processes. The clown’s body – with its power of affecting and being affected, with a logic of its own, involving ways to feel, think, and act singularly – is one of the axles for the construction of a clown. One’s initiation as a clown - as it is practiced at Lume: Interdisciplinary Centre for Theatrical Research at Unicamp - becomes an experience of ‘becoming someone else’, inventing other kinds of affection, involving an attitude of listening to the world with the whole body, in an alert state and, at the same time, of great dedication and availability. It is related to the resonances of encounters, of something that occurs between a clown and another person. The ethical, political, aesthetic and philosophical dimensions are imbricated in this aspect of affirmation of life, and in the construction of other modes of existence.

Key words: Body. Education. Singularization. Experimentation. Clown

Remote

Referências

BURNIER, Luís Otávio. A arte de ator: da técnica à representação.Campinas: Ed. da Unicamp, 2001.

CANETTI, Elias. Massa e poder. Tradução de Rodolfo Krestan. São Paulo: Melhoramentos, 1983.

DELEUZE, Gilles. Apresentação de Sacher-Masoch. Tradução de Jorge de Bastos. Rio de Janeiro: Livraria Taurus Editora, 1983.

DELEUZE, Gilles. Desejo e prazer. Cadernos de Subjetividade. São Paulo: PUC, p. 13-25, jun. 1996.

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Félix. Mille plateaux. Paris: Minuit, 1980.

FOUCAULT, Michel. Vigiar e punir. Tradução de Raquel Ramalhete. 7. ed. Petrópolis: Vozes, 1989.

FOUCAULT, Michel. Dits et écrits IV. Paris: Gallimard, 1995.

FOUCAULT, Michel. Em defesa da sociedade. Tradução de Maria Ermantina Galvão. São Paulo: Martins Fontes, 1999.

GUATTARI, Félix; ROLNIK, Suely. Micropolítica: cartografias do desejo. 4. ed. Petrópolis: Vozes, 1996.

KASPER, Kátia M. Experimentações clownescas: os palhaços e a criação de possibilidades de vida. 2004. 412 p. Tese (Doutorado em Educação) — Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas, Campinas.

LAZZARATO, Maurizio. Du biopouvoir à la biopolitique. Multitudes. 1 mars 2000. Disponível em: <http://multitudes.samizdat.net/article.php3?id_article=298> Acesso em: 25 mar. 2005.

LECOQ, Jacques. Le corps poétique. Arles: Actes Sud-Papiers, 1997.

LINS, Daniel. Antonin Artaud: o artesão do corpo sem órgãos. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 1999.

NIETZSCHE, Fridrich W. Assim falou Zaratustra. Tradução de Mário da Silva. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1977.

ORLANDI, Luiz B. L. Corporeidades em minidesfile. Revista Eletrônica Alegrar, n. 1, ago. 2004. Disponível em: <http://www.alegrar.com.br/01/corpo/index.html>. Acesso em: 03 ago. 2008.

PELBART, Peter P. Vida capital. São Paulo: Iluminuras, 2003.

SERRES, Michel. Variations sur le corps. Paris: Le Pommier, 1999.

SILVA, Cíntia Vieira da. Corpo e pensamento: alianças conceituais entre Deleuze e Espinosa. 2007. 278 p. Tese (Doutorado em Filosofia) — Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Estadual de Campinas, Campinas.

SPINOZA, Benedictus de. Ética. Tradução de Tomaz Tadeu. Belo Horizonte: Autêntica, 2007.

VIVEIROS DE CASTRO, Eduardo. Os pronomes cosmológicos e o perspectivismo ameríndio. In: ALLIEZ, Éric (Org.) Gilles Deleuze: uma vida filosófica. São Paulo: Ed. 34, 2000. p. 421- 450.

VIVEIROS DE CASTRO, Eduardo. A inconstância da alma selvagem — e outros ensaios de antropologia. São Paulo: Cosac & Naify, 2002

Proposições utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto.

Downloads

Não há dados estatísticos.