Banner Portal
Revisitando a fala egocêntrica: uma nova hipótese
Remote

Como Citar

QUAST, Karin. Revisitando a fala egocêntrica: uma nova hipótese. Pro-Posições, Campinas, SP, v. 20, n. 3, p. 245–248, 2016. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/proposic/article/view/8643400. Acesso em: 24 jun. 2024.

Resumo

Nesta instigante obra, de interesse àqueles que buscam compreender a aquisição da linguagem pela criança, questões concernentes à fala egocêntrica e à relação pensamento-linguagem, Junefelt traz dados de uma criança cega (Anders) que vinha acompanhando há oito anos. O episódio escolhido para as reflexões da pesquisadora revolve em torno de uma atividade de elaboração de um conto de fadas por Anders (aqui com oito anos de idade), que é filmado enquanto desenvolve e escreve seu conto, acompanhado apenas de seu constante e inseparável companheiro: o boneco Fredrik.
Remote

Referências

LINELL, P. Approaching dialogue: Talk, interaction and contexts in dialogical perspectives. Amsterdam: John Benjamins, 1998. 330 p.

MORATO. E. M. Das funções e do funcionamento da linguagem: um estudo das reflexões de L.

S. Vygotsky sobre a “função reguladora da linguagem” e algumas implicações lingüísticocognitivas para a Neurolingüística. Dissertação (Mestrado em Lingüística) — IEL/UNICAMP, Campinas, 1991.165 p.

QUAST, K. Discurso interior e o processo de ensino-aprendizagem da língua estrangeira. Tese (Doutorado em Educação) — FE/UNICAMP, Campinas, 2009.

SMOLKA, A. L. B. A dinâmica discursiva no ato de escrever: relações oralidade-escritura. In: SMOLKA, A. L. B.; GÓES, M. C. R. (Org.). A linguagem e o outro no espaço escolar: Vygotsky e a construção do conhecimento. Campinas, SP: Papirus, 1993. p. 33-62. 177 p.

Proposições utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto.

Downloads

Não há dados estatísticos.