Banner Portal
Gênero, sexualidade e a produção de pesquisas no campo da educação
PDF

Palavras-chave

Gênero
Sexualidade
Educação

Como Citar

FELIPE, Jane. Gênero, sexualidade e a produção de pesquisas no campo da educação: possibilidades, limites e a formulação de políticas públicas. Pro-Posições, Campinas, SP, v. 18, n. 2, p. 77–87, 2016. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/proposic/article/view/8643546. Acesso em: 16 jun. 2024.

Resumo

O presente texto tem por objetivo discutir a produtividade do conceito de gênero como ferramenta teórica e política, abalando certezas tão firmemente alicerçadas em torno das diferenças biológicas, que serviram durante muito tempo para justificar as desigualdades entre homens e mulheres. A consolidação dos Estudos de Gênero, dos Estudos Gays e Lésbicos e da Teoria Queer no campo acadêmico traz a possibilidade de pensar que existem muitas formas de viver as masculinidades e as feminilidades e que estas são construções sociais e culturais, elaboradas minuciosamente por inúmeros discursos, áreas de conhecimento e instituições.

PDF

Referências

ALVES, Vera Lúcia Pereira. Receitas para a conjugalidade: uma análise da literatura de autoajuda. 2005. Tese (Doutorado em Educação). Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Campinas, 2005.

ARGÜELLO, Zandra. Dialogando com crianças sobre gênero através da literatura infantil.

184p. Dissertação (Mestrado em Educação). Faculdade de Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS.

AZAMBUJA, Mariana P. R. Violência doméstica contra crianças: uma questão de gênero? In: STREY, Marlene N.; AZAMBUJA, Mariana P. R.; JAEGER, Fernanda P. (Orgs.). Violência, gênero e políticas públicas. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2004.

BELLO, Alexandre Toaldo. Sujeitos infantis masculinos: homens por vir? 2006. 117p. Dissertação (Mestrado em Educação). Faculdade de Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS.

BLOCH, R. Howard. Misoginia medieval e a invenção do amor romântico ocidental. Trad. Claudia Moraes. Rio de Janeiro: Editora 34, 1995.

BRITZMAN, Deborah. Curiosidade, sexualidade e currículo. In: LOURO, G. L. (Org.). O corpo educado: pedagogias da sexualidade. Belo Horizonte: Autêntica, 1999.

BRITZMAN, Deborah. O que é essa coisa chamada amor. Identidade homossexual, educação e currículo. Educação & Realidade, v.21(1), jan-jul de 1996.

BURMAN, Erica. La desconstrucción de la Psicología evolutiva. Madrid: Visor, 1998.

COSTA, Jurandir Freire. Sem fraude nem favor: estudos sobre o amor romântico. Rio de Janeiro: Rocco, 1998.

CÂMARA, Adriane P. Masculinidade heterossexual e pedofilização: o universo infantil como recurso erótico em revistas masculinas. 2006. 51p. Proposta de Dissertação (Mestrado em Educação), Faculdade de Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS.

DEL PRIORE, Mary. História do amor no Brasil. São Paulo: Contexto, 2005.

ECOS. Gravidez na adolescência entre 10-14 anos e vulnerabilidade social – estudo exploratório em cinco capitais brasileiras. Disponível em: https:// www.ecos.org.br/download/pesquisa. Acesso em 2004.

FELIPE, Jane. Do amor (ou de como glamourizar a vida): apontamentos em torno de uma educação para a sexualidade. In: RIBEIRO, Paula Regina Costa; SILVA, Méri Rosane Santos; SOUZA, Nádia Geisa S.; GOELLNER, Silvana; FELIPE, Jane (Org.). Corpo, gênero e sexualidade: discutindo práticas educativas. Rio Grande: Editora da FURG, 2007.

FELIPE, Jane. Afinal, quem é mesmo pedófilo? Cadernos Pagu (26), Núcleo de Estudos de Gênero – Pagu/Unicamp, 2006, pp.201-223.

FELIPE, Jane. Entre tias e tiazinhas: Pedagogias Culturais em circulação. In: SILVA, L. H. (Org.). Século XXI:Qual conhecimento, qual currículo? Petrópolis: Vozes, 1999.

FELIPE, Jane. Erotização dos corpos infantis. In: LOURO, Guacira; FELIPE, Jane; GOELLNER, Silvana (Org.). Corpo, gênero, sexualidade: um debate contemporâneo na educação. 2.ed. Petrópolis: Vozes, 2005, p. 53-65.

FELIPE, Jane; GUIZZO, Bianca. Entre batons, esmaltes e fantasias. In: MEYER, Dagmar; SOARES, Rosângela (Orgs.). Corpo, Gênero e sexualidade. Porto Alegre: Mediação, 2004. p. 31-40.

FOUCAULT, Michel. História da sexualidade. v.1. Rio de Janeiro: Graal, 1993.

FOUCAULT, Michel. Microfísica do poder. 9.ed. Rio de Janeiro: Graal, 1990.

FOUCAULT, Michel. Tecnologias del yo y otros textos afines. Barcelona: Paidós, 1995.

FOUCAULT, Michel. Vigiar e punir: nascimento da prisão. 26.ed. Petrópolis: Vozes, 2002.

FURLANI, Jimena. “O bicho vai pegar”: um olhar pós-estruturalista à educação sexual a partir do livro paradidático infantil. 2005. Tese (Doutorado em Educação). Faculdade de Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS.

GUERRA, Judite. “Dos segredos sagrados”: sexualidade e gênero no cotidiano de uma escola infantil.

Dissertação (Mestrado em Educação). Faculdade de Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS.

GUIZZO, Bianca. Identidades de gênero e propagandas televisivas: um estudo no contexto da Educação Infantil. 2005. Dissertação (Mestrado em Educação). Faculdade de Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Porto Alegre, RS.

LAQUEUR, Thomas. Inventando o sexo: corpo e gênero dos gregos a Freud. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 2001.

LOURO, Guacira Lopes (Org.). Gênero, sexualidade e educação: uma perspectiva pós-estruturalista. Petrópolis: Vozes, 1997.

LOURO, Guacira Lopes. O corpo educado: pedagogias da sexualidade. Belo Horizonte: Autêntica, 1999.

LOURO, Guacira Lopes. Segredos e mentiras do currículo. Sexualidade e gênero nas práticas escolares. In: SILVA, L. H. (Org.). A escola no contexto da globalização. Petrópolis: Vozes, 1998, p.33-47.

LOURO, Guacira Lopes. Teoria Queer – uma política pós-identitária para a educação. Estudos Feministas, v.9(2), 2001, p.541-553.

LOURO, Guacira Lopes. Um corpo estranho – ensaios sobre sexualidade e teoria queer. Belo Horizonte: Autêntica, 2004.

MCFARLANE, A. História do casamento e do amor. Trad. Paulo Neves. São Paulo: Companhia das Letras, 1990.

MEYER, Dagmar; SOARES, Rosângela. Corpo, gênero e sexualidade nas práticas escolares: um início de reflexão. In: MEYER, Dagmar; SOARES, Rosângela (Orgs.). Corpo, gênero e sexualidade. Porto Alegre: Mediação, 2004. p. 5-16.

MEYER, Dagmar; SOARES, Rosângela. Modos de ver e de se movimentar pelos “caminhos” da pesquisa pós-estruturalista em educação: o que podemos aprender com – e a partir de – um filme. In: COSTA, Marisa V.; BUJES, Maria Isabel E. (Orgs.). Caminhos investigativos III: Riscos e Possibilidades de pesquisar nas fronteiras. Rio de janeiro: DP&A, 2005, p. 23-44.

SANT’ANNA, Denise. Descobrir o corpo: uma história sem fim. Porto Alegre: Educação & Realidade 25(2):49-58, jul./dez. 2000.

SEFFNER, Fernando. Derivas da masculinidade: representação, identidade e diferença no âmbito da masculinidade bissexual. 2003. Tese (Doutorado em Educação). Faculdade de Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS.

SEFTON, Ana Paula. “Pai não é de uso diário” (?) paternidades na Literatura Infanto-juvenil.

Dissertação (Mestrado em Educação). Faculdade de Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, RS.

SILVA, Tomaz Tadeu. A produção social da identidade e da diferença. IN: SILVA, Tomaz T. (Org.). Identidade e diferença. Petrópolis: Vozes, 2000, p. 71-102.

WEEKS, Jeffrey. Corpo e sexualidade. In: LOURO, Guacira Lopes (org.). O corpo educado: pedagogias da sexualidade. Belo Horizonte: Autêntica, 1999, p. 35-82.

Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Copyright (c) 2016 Pro-Posições

Downloads

Não há dados estatísticos.